Melanina – Uma Chave Para Liberdade – Richard King, M.D –

Melanin - Key To Freedom - capa Melanin - Key To Freedom - contra capa

MELANINA: Uma Chave Para a Liberdade
QUADRADO

COM UM EXTENSIVO GLOSSÁRIO & BIBLIOGRAFIA

Por Richard King, M.D.

MELANINA: Uma Chave Para a Liberdade

COM UM EXTENSIVO GLOSSÁRIO & BIBLIOGRAFIA

xxx  

Por Richard King, M.D.

Melanin - Key To Freedom - dedicação                                                          DEDICAÇÃO

Este livro é dedicado aos meus filhos, Kent, Khadi, e Knef. Este livro é dedicado a vocês, crianças desta nova geração, na firme convicção de que vocês estarão de cabeça erguida sobre os ombros de seus ancestrais. Está escrito que vocês são aqueles que irão utilizar o poder de nosso majestoso sangue para chegar até as estrelas e segurá-lo. Este livro é dedicado às crianças ainda não nascidas e as gerações ainda por nascer, as quais podem encontrar significado e valor na luta deste trabalho e sua própria espiral da vida.

,

Reconhecimento

O autor gostaria de agradecer aos seguintes por suas contribuições espirituais, emocionais e intelectuais, embora as opiniões expressas nesta publicação não representem a suas próprias.

.

acknowledge2

CONTEÚDO

Introdução ……………………………………………………………………..  11

Visão Geral do estado atual da pesquisa de Melanina ……………. 19

Melanina e o Cérebro, Neuromelanina,
12 núcleos pigmentados do tronco encefálico ………………………. 25

Melanina e o Olho ……………………………………………………………. 27

Melanina e o Ouvido ………………………………………………………… 29

Melanina e a Glândula Pineal,
Desenvolvimento da Visão Interior …………………………………….  32
Por Educação Kemética, Textos sobre
Melanina / Visão Interior como encontrados
na tumba do Faraó Tutankhamun,
1-33 Tecido de Hórus é Melanina,
Apud. Sistema Endócrino

Melanina e a Glândula Pineal, ……………………………………………. 35
Relacionamentos do 1-33 Tecido de Horus,
Cálcio, Hormônio Paratireóide, Vitamina D,
Densidade Óssea, com a Melanina da Pele

Melanina e a Glândula Pineal, ……………………………………………. 38
Desenvolvimento Kemético de Visão Interior
mediada pela Glândula Pineal, pela Educação do
Córtex Direito pela prática das Dez Verdades e
42 Confissões Negativas, Córtex Esquerdo pelo
Estudo das Sete Artes Liberais e União dos
dois Hemisférios Corticais. As Três vias de
suprimento nervoso para a Glândula Pineal pelos
Nervos Simpático,Parassimpático e Central.

Melanina e a Glândula Pineal, Referências Seletas …………………. 41
para a Glândula Pineal / Olho de Heru
dos Keméticos Textos dos Sarcófagos [Coffin Texts]
(2.100 – 1.675 A.C.)

Melanina e a Glândula Pineal, Referências Seletas …………………. 44
para a Glândula Pineal na Bíblia Cristã, Gên. 32:22-31

Melanina, Visão Interior, Simbolismo Preto,  ………………………… 47
Islã e a El Ka’aba em Meca

Melanina, Derivação do Nome a partir da ……………………………… 50
Palavra Grega Melanos,
Nome Kemético para Preto sendo Km, O Azeviche [The Jet],
Khemia (preparação do Minério Preto). A Derivação
Árabe da Alquimia a partir de Al-Khemia (O Deus Preto).
A Revisão de Marimba Ani sobre as teorias atuais sobre
diferenças raciais/culturais no sentido experimentado com
símbolos Pretos. O conceito de C. G. Jung sobre a Projeção
sendo Central para o processo de Alquimia. Conceitos
Keméticos sobre o inconsciente, projeção, e mudanças na
percepção de Símbolos Pretos induzidas pela injúria ao
Olho de Heru / Glândula Pineal / Visão Interior.

Molécula de Melanina e Propriedades Estruturais …………………… 53
para a Recepção de Luz Visível e Luz Ultra-Violeta,
Eumelanina e Feomelanina. O Alto Risco de Ruivos,
Louros,(Feomelanina) para Câncer de Pele.

Melanina e Neuromelanina. Melanina da Pele …………………………. 56
Formada por Tirosinase. Melanina Cerebral
(Neuromelanina) Formada por Tirosinase Hidroxilase.
Acúmulo de Neuromelanina ao longo da Vida. Neuromelanina,
conversão de radicais livres em energia vibracional
(conversão e acumulação fóton-elétrica de compostos
químicos com liberação lenta em concentrações
não-tóxicas). Toxicidade a partir da ligação da
neuromelanina de Paraquat,  MPTP.
[Toxiticity from neuromelanin binding of Paraquat, MTTP.]

Melanina e a Teoria Eletromagnética da Vida, ………………………… 59
de Bulkley. Modelos Keméticos / Ptolemaicos /
Apocalípticos / Bíblicos (Ver. 1-22) da Transformação das
Formas de Vida. Melanina como uma porta através da qual
passa a energia como uma discreta transferência de elétrons.
Melanina é uma Porta Semicondutora /
Supercondutora Transfísica. [Melanin is a transphysical
semiconductor /superconcuctor Door.]

Melanina e a Transformação dos Cinco Sentidos ……………………… 62
A Série de Glândulas APUD é a Árvore Glandular do Inteiro
Sistema de Melanina do Corpo. [APUD Series of Glands is
the Glandular Tree of the Whole Body Melanin System.]
Melanina e Embriogênese, do Útero/Esperma até a Mórula
(Grão Preto) [Black Berry] / Blástula/Gástrula com Melanina
Ectoderma até o Tubo Neural / Crista Neural.

Melanina, a “Unidade de Melanina Epidérmica” ……………………….. 65
como um Computador Analógico de Rede Neural
em concerto com um Conjunto Paralelo de
Computadores de Rede Neural Pareados,
O Sistema de Melanina do Santo (Inteiro) Corpo Preto (HPP)
[the “Epidermal Melanin Unit” as a Neural Network Analog
Computer, in concert wiith a Parallel Array of Neural Network
Computers, The Holy (Whole) Black Body Melanin System (HPP).]

Melanina e a 32ª das 42 Confissões Negativas. ……………………………. 68
O HBB [Holy Black Body (Santo Corpo Preto)] como
Harpa de Melanina em um Coral Musical de
Dinâmica Rotatividade, a Teoria Eletromagnética da Vida de
Bulkey ligada a mudanças na forma de Morfogêneses
multicelulares. Diferenças Estruturais de Melanina entre
Eumelanina e Feomelanina no Cabelo.

Melanina e o Fígado, Sistemas Sanguíneo …………………………………. 71
e Linfático. Evolução de Formas de Vida Planetárias
ligadas a Laço de Melanina para Oxigênio Atmosférico.

Melanina e Estudo Kemético de Eletromagnetismo, …………………… 74
Elektron, Thehent, Âmbar  e Cristais. A Décima – Nona
Dinastia Kemética, Décima Divisão. Livro das Portas
[The Book of The Gates], A Carne de Ra, Melanina. O Uso de
Luz Colorida em Cura [
The Use of Colored Light in Healing].

Melanina e Oxigênio na Evolução Cósmica, ………………………………… 77
Planetária, e Vegetal/Animal. Diferenças
Raciais/Culturais na circulação linfática de Melanina.
Computadores Móveis de Melanina do Sangue
[Melanin and Oxygen in Cosmic, Planetary, and

Plant/Animal Evolution. Racial/Cultural differences in the
lymphatic circulation of Melanin.
Blood Bourne Motile Melanin Computers]

Melanina e Energia Sexual, Energia Criativa Divina. ………………………. 81
Padrões Rítmicos de estilos Femininos e Masculinos de
Consciência em Relação à Tradução da Luz em Óvulo/Esperma
(Auto Replicação) e ou Transformação Órgão Sensorial (Auto Replicação)
da Árvore Glandular de Melanina (Porta, HBB – SANTO CORPO
PRETO -, HARPA DE MELANINA, CORAL DE MELANINA DE ROTATIVIDADE DINÂMICA) [Melanin and Sexual Energy, Divine
Creative Energy, Rhythmic Patterns of Female and Male Styles of Consciousness in Relationship to the Melanin Glandular (Door, HBB, MELANIN HARP, MELANIN CHOIR OF DYNAMIC TURNOVER) Tree translation of Light into Ovum/Sperm (Self Replication) and or Sensory Organ Transformation (Self Replication).]

Glossário ………………………………………………………………… 84

Bibliografia ……………………………………………………………. 152

X

– Melanina –
– Uma Chave Para a Liberdade –
– por Richard King M.D. –
– pg. 11 – 18 –
– Introdução –


                                                   INTRODUÇÃO

O estudo de Melanina é em si mesmo uma área de assunto inacreditavelmente vasta que é o foco atual de intenso estudo científico. Esta é apenas uma breve e parcial consideração de um oceano de ambos, velho e novo conhecimento. Por favor, considere este estudo sobre Melanina como apenas uma introdução, um grão de areia em uma praia de conhecimento que é composta de linhas costeiras de areia muito diferentes, todas, à margem do mesmo vasto oceano de “Vida Mediada por Melanina” [Melanin Mediated Life]. Uma futura consideração própria do tema Melanina abordará as principais sub-seções do “Oceano de Vida da Melanina”[Melanin Life Ocean]  nas formas de

(1) Melanina Cósmica  (Moléculas Orgânicas Complexas de Melanina em Nuvens Interestelares de Gás nas Regiões Disco Central da Galáxia) [Cosmic Melanin (Melanin Complex Organic Molecules in Interstellas Gas Clouds in Galaxy Central Disc Regions)].

(2) Melanina Planetária,

(3) Melanina do Reino Vegetal (Clorofila, Equivalentes de Foto-pigmentação), e

(4) Melanina do Reino Animal.

Nesse sentido, esta visão geral é focada sobre apenas uma destas quatro grandes sub-seções principais de Melanina, a Melanina do Reino Animal, particularmente dentro da espécie Homo Sapiens, a Humanidade. Referência especial é dada ao potencial evolucionário epigenético dentro da humanidade, “Filho da Luz,”  “Transformação de Melanina”, ou estágio “Homo Maximus” da humanidade.

A mentalidade do estudante é fundamental para todo o trabalho realizado por ele ou ela em seu processo de desdobramento de observações científicas. Cada etapa do método científico é profundamente colorida ou, melhor ainda, inconscientemente projetada sobre-a formulação da pergunta inicial ou hipótese, medição de facetas observadas, análise de medição de facetas derivada de dados, e a formulação de uma hipótese final que tenta explicar os padrões de relações medidas observadas entre várias facetas de uma questão em observação.

É dado que, na busca de cada etapa do método científico o processo da concentração humana de atenção é de fato um intenso processo que se baseia em muitos níveis da experiência humana de consciência. Infelizmente, a maior parte dos níveis de consciência tão utilizados é inconsciente para alguns cientistas e sua audiência pública. Assim, se alguém está a considerar seriamente a atual controvérsia existente nos anos 1900 sobre o estudo de Melanina, apesar da existência de eras de conhecimento antigo e novo sobre Melanina, então, esteja certo que isto tudo é apenas um testemunho da grande necessidade por futuros estudos de Melanina.

A humanidade está precisando desesperadamente de um estudo completo público sem censura da evolução da consciência, mediada por Melanina, da Humanidade, ao longo dos tempos e em outras formas de vida do Reino Animal neste planeta Terra.

Eu estou certo de que esta “Pesquisa de Melanina da Nova Era” será feita por aqueles dos nossos filhos que irão escolher a vida em vez de testemunhar a extinção de toda a Humanidade. Após a revisão dos leitores desta Introdução sobre Melanina possivelmente muitos leitores vão encontrar-se perguntando a si mesmos se toda esta pesquisa de Melanina relatada é real.

Pesquisa de Melanina, obviamente, define apenas o quão essencial a Melanina é para a vida existir em sistemas biológicos e em seres humanos. Por que a Melanina não se tornou amplamente conhecida do público em geral?

O leitor também pode questionar a validade de assumir Preto como sendo relacionado com inferioridade ou baixa inteligência/criatividade se Melanina é mostrada como sendo fundamental para níveis elevados de função cerebral.

Como pode a Supremacia Branca ser válida, se, apesar das diferenças na cor da pele todos os seres humanos têm massivas quantidades de Melanina Preta em locais de órgãos internos, particularmente o cérebro?

Apesar da adaptação e sobrevivência Africana em muitos ambientes difíceis, como os ecossistemas glaciais, internamente toda a Humanidade ainda é bastante Preta no interior. Não revela estas pesquisas de Melanina que a Humanidade é uma população derivada do Africóide Preto, que varia em cor da pele externa, do Preto-Roxo ao Branco, mas que são, todos, Pretos no interior?

Não tem os passados 500 anos de história deste planeta Terra sido testemunhas de uma Consciência Branca perpetuadora dos crimes humanos mais bestiais na história do planeta Terra com uma brutal Européia exterminação de cerca de Um Bilhão de humanos Africanos, destruição de múltiplas elevadas culturas Africanas na África, Terror Africano, estupro e mutilação durante uma forçada escravidão e pilhagem da Terra-Pátria Africana?

Não tem os passados 6,000 anos de história deste planeta Terra testemunhado uma consciência Branca de destruição de outros vastos milhões de pessoas de cor nos continentes da Europa (Ásia Ocidental), Ásia (Leste Asiático), Austrália, América do Norte e do Sul e África ?

Não foi essa consciência Branca expressa por algum “tipo diferente de Africano”, os reais assassinos de seus próprios pais Africanos?

Não demonstram os passados 6000 anos da história humana que existem, de fato, diferentes tipos ou estilos de consciência humana, que têm sido profundamente influenciados pela cor da pele e padrões de embranquecimento do ambiente ?

O que é Consciência Negra ? O que é Consciência Branca, Racismo, e Supremacia branca ? Tendo em conta que somos todos Africanos e internamente Pretos, não representa a distorção de um racista da negritude biológica o trabalho de uma “pessoa doente”, uma pessoa mentalmente doente com um ferido olho de Visão Interior?

[What is Black Consciousness? What is White Consciousness, Racism, and White Supremacy? Given that we are all Africans and internally Black does a racist’s distortion of biological blackness represent the work of a “Sick person”, a mentally ill person with a wounded Eye of Inner Vision? ]

Não É um Racista o Original Escravo Mental, profundamente deprimido e Psicótico (alucinação visual e pensamentos delirantes que não são baseadas sobre a realidade) ?

Não é verdade que a população carcerária dos Estados Unidos triplicou nos últimos dez anos?

Não é verdade que o processo e eleitorado de apoio político atual suportam ainda mais maciços aumentos na população prisional?

Não são 45% da população prisional e a maioria dos condenados à morte, Pretos do sexo Masculino?

Não são já os Estados Unidos, para o cidadão médio Preto, um estado policial com a maior taxa de cidadãos em prisão do que qualquer outra nação no planeta Terra?

Não passa esta região por uma guerra civil sobre a questão da escravidão física do Povo Preto?  Não foi a Industrialização Européia financiada pelo tráfico de escravos Africanos?

Não foi o tráfico de escravos Africanos um comércio triangular de drogas que envolveu as drogas álcool, rum, com posterior expansão em ópio/heroína e cocaína?

Não são o mesmo eleitorado e público em geral as verdadeiras vítimas da deseducação grosseira, horríveis baixos padrões de educação e indisponíveis serviços adequados de saúde mental?

É a doença mental desenfreada e sem tratamento?

Não estão as prisões e as escolas cheias de subdesenvolvidos, deseducados, diagnosticados, doentes, porém latentes gênios criativos?

Por que a pesquisa de Melanina tem sido suprimida?

Por que há uma ignorância tão chocante sobre a importância biomédica da Negritude biológica?

[Why hás Melanin research been supressed? Why is there such a shocking ignorance of the biomedical importance of biological blackness?]

Racismo é uma Doença Grave, a Doença Mais Prevalente no Mundo. O Racismo é um Câncer da Mente e Alma. Racismo Resulta em Ignorância do Corpo, Mente, Alma, Espírito e é Fatal.

O Racismo é a Principal Causa de Mortes no Mundo. A Doença Racismo Gera Ignorância, os Principais Sintomas de Diagnósticos Sendo Medo, Infelicidade, Depressão e Psicose.

Assim sendo. Racismo e Supremacia Branca é o terreno baixo [Racism and White Supremacy is the low ground]. A Verdadeira Negritude, especialmente Melanina é, pela maioria dos relatórios, Divina, o Altíssimo Chão.

Sim, MELANINA PRETA é o Alto Chão [High Ground], o Ponto de Referência sobre o qual esta Introdutória Visão Geral sobre Melanina é Fundada.

[Blackness, especially Melanin is by most of reports Divine, the Most High Ground. Yes, BLACK MELANIN is the High Ground, the Point of Reference Upon Which This Introdutory Overview Of Melanin is Founded]

O Objetivo desta Introdução à Melanina é Estudar a Hipótese de que Melanina é o Químico da Vida. A História Evolucionária. A História Embriológica das Formas de Vida, e, particularmente, a História do Desenvolvimento PsicoSexualEspiritual das Formas de Vida quando estudadas, têm sido,  todas, encontradas como sendo mediadas por Melanina e Eventos Físicos/Químicos relacionados à Melanina.

A Hipótese, Melanina é o Químico da Vida, é crucial em oferecer uma abordagem quantificável que leva diretamente para o estudo do papel da Melanina no Processo de Salvação da Alma, a Libertação, Ascensão, Transformação de uma Forma de Vida em um Tipo mais Consciente, que é, assim, capaz de atingir ressonância harmônica com níveis mais altos (comprimento de onda extremamente curto) de Radiação de Luz, que impregna o Meio Ambiente. Esta Latente Potencialidade, a Alma, é liberada de um tipo de consciência baseada em robótico medo, que é principalmente preocupada com a sobrevivência imediata e prazer imediato. Na medida em que o nível de consciência do ego centrado no corpo persiste, apesar dos cataclísmicos terremotos e sacudidelas da alma sepultada no corpo, Ótima Saúde é evitada e a Doença prevalece em uma miríade de “Chamados Despertadores da Alma” [“Soul Wake Up Calls”].

Racismo por esta definição é uma forma de Detido Desenvolvimento, em que uma forma de vida é “congelada” ou “Fixada” em uma consciência que se agarra à aparência da imagem corporal de sua própria forma e evita a visualização das memórias genéticas de passadas formas de vida dos pais e visões das formas de futuros filhos. O Estado Congelado, Ego-baseado, “Egoísta” [“Big Head”], Megalomaníaco do Racismo existe como postura defensiva para evitar mal integradas “Estresse Pós-Traumático atrelado” memórias emocionais genéticas de Catástrofes Climáticas/Geológicas vividas por ancestrais. No processo de adaptação pela despigmentação da pele, calcificação pineal, baixa dos níveis séricos de vitamina D, permitiram a sobrevivência de Formas de Vida “Hipopigmentadas”  de Melanina na Pele em um ecossistema Climático Geológico Glacial.

A mentalidade racista tentará suprimir (Supremacia Branca) os fatigantes “Chamados Despertadores da Alma” mediados por Melanina que aparecem em um nível Planetário e em nível Humano Individual. O racista tentará controlar o seu ambiente com uma propaganda prolífica (Supremacia Branca), cujo tema central é o de que a natureza da humanidade é a de uma Besta (que Preto é o sinal do diabo, sujeira, a “besta animal”), que o universo é apenas uma gigante máquina Sem Coração (que A Máquina Computador é Deus, que a mais alta forma de pensamento humano é a análise abstrata masculina estritamente lógica) (que as emoções são um sinal de fraqueza, o subdesenvolvido, o feminino primitivo”), e que, portanto, o único sóbrio objetivo, propósito, ou sentido para a vida deve ser encontrado na saturação de experiências sensoriais por imediato prazer/dor (Dinheiro, Dinheiro, Dinheiro, Sexo, Comida, Casa Grande, Carro Grande).

Apesar dos contínuos rumores e sacudidelas de uma alma tão enterrada no corpo, em tal total DESEQUILIBRADA PERSEGUIÇÃO POR PRAZER, apesar da persistência de uma vida-inteira de trivialidade e grandes sacrifícios pessoais da carne na esperança de um feliz céu em algo Celestial depois vida de morte, apesar da busca incessante por uma “Nova e melhor Emoção”, muitos relatam que eles continuam “machucados por dentro” e sentindo “com fome e famintos por dentro”, certamente doentes;

O conhecimento do que desperta a nascer dentro da forma de vida adulta tem sido suprimido por tanto tempo que ele foi realmente perdido. Pois até mesmo os guardas das prisões estão doentes e em busca desta muito importante “coisa perdida”, A Alma. O estudo do tema da alma foi publicamente rotulado por alguns como “fora dos limites”, “pseudo-ciência”, além da análise científica quantificável. No entanto, o estudo biomédico da alma está sob intenso controle institucional por inúmeras teorias distorcidas que são apenas “mapas mentais de becos sem saída” “doutrinas filosóficas/religiosas” que não são baseadas em um estudo da natureza. O racista tentará esconder e distorcer uns, parcialmente perdidos, mas parcialmente conhecidos estudos sobre o desenvolvimento da alma em Psiquiatria, História, Biologia, Química, Física, e Matemática.

O racista irá focar apenas nos segmentos das disciplinas científicas que somente definem o Ego. No entanto, é este estudo do papel da Melanina no desenvolvimento da alma que é apoiado por uma expansão de conhecimentos através dos trabalhos de excelentes Cientistas femininas e masculinos no mundo todo, nas diversas Faculdades da Universidade de Natureza. A humanidade está agora se aproximando rapidamente do ponto onde nós iremos recuperar coletivamente o que foi perdido, os precisos mapas mentais para a transformação pessoal, relações familiares, e transformações sociais que promovam Salvação da Alma e Desenvolvimento da Alma.

Melanina, pela natureza de sua vasta presença na natureza e freqüente sobreposição de funções e sistemas relacionados à Melanina, requer uma equipe multidisciplinar de estudo. Dentro da abordagem da equipe é da maior importância que uma perspectiva histórica Africano-Cêntrica seja o ponto de ancoragem e articulação a partir do qual esses estudos são conduzidos. Esta é uma perspectiva fundamental que promove a descoberta de antigos modelos de pesquisa de Melanina, Simbolismo Preto, e Psiquiatria, que foram conduzidos por antigos Estudiosos da Universidade Africana durante um tempo muito antes do surgimento do racismo e Supremacia Branca Europeus. Racismo produziu generalizada má-interpretação, fragmentação, supressão e perda de antigas fundamentais descobertas Africanas sobre Melanina.

Esta introdução irá brevemente revisar achados que apontam para a existência de Pesquisa de Melanina e Estudos Psicológicos pelos antigos Africanos em Kemit. Esses estudiosos Africanos parecem ter descoberto o crítico fato psicológico de que a visualização de Símbolos Pretos pela mente/alma humana poderia induzir mudanças dramáticas em estados de consciência e induzir a saúde ou ferimento do Olho da Visão Interior, O Olho de Heru, A Glândula Pineal. A Glândula Pineal é agora conhecida por, durante a noite, liberar para o sangue / LCR [líquido cefalorraquidiano] o hormônio melatonina. Melatonina afeta todo o sistema de Melanina do Inteiro Corpo Preto (HBB), aumentando a quantidade liberada de MSH (hormônio estimulante de melanócitos) da Pituitária, aumentando assim a produção de melanina pelos melanócitos da epiderme, que por sua vez, afetam diretamente a produção de Melanina nos locais de órgãos internos.

Por favor, considere, seção 157 dos Antigos Keméticos Textos Dos Sarcófagos (2100 – 1675 a.C.) (R.O. Faulkner, tradutor), “Aconteceu que Re disse a Horus: ‘ Deixe-me ver seu olho desde que isso aconteceu com ele’. Ele olhou para ele e disse: ‘Olhe para esse (Preto) traço com a sua mão encobrindo o Olho de som [sound Eye] que está lá.’ Horus olhou para o traço e disse: ‘ Eis que eu estou vendo-o como totalmente branco” e é assim que o órix surgiu, e Re disse: ‘ Olhe novamente para aquele porco preto. ’ E Horus olhou para este porco preto, e Horus gritou por causa da condição de seu olho ferido, dizendo: ‘ Eis que o meu olho é como aquele primeiro ferido, o qual Seth infligiu em meu olho ‘, e Horus ficou inconsciente em sua presença e Re disse: ‘ O porco é detestável para Horus ‘. ”

Assim, mais de 4.000 anos antes da redescoberta da análise do inconsciente e dos sonhos pelo psiquiatra e médico, Sigmund Freud (estudante e colecionador de psicosimbolismo Kemético), estes antigos Africanos estavam bastante familiarizados com o conceito do inconsciente e o processo psicológico de projeção. Além disso, eles parecem ter sido familiarizados com os conceitos de Visão Interior, o Olho de Heru (Glândula Pineal), e as relações do sistema endócrino à visualização de Simbolismo Preto.

Estes são assuntos que foram perdidos e apenas parcialmente recuperados pela ciência moderna. Antigos Africanos de Kemit valorizavam tanto a sua Pele Preta que havia uma proibição contra a alteração da pele Africana como foi registrado na 32ª das 42 Confissões Negativas, Melanina da Pele era diretamente identificada sob os títulos Keméticos de Carne de Ra e Carne de Heru. Melanina, ou melhor ainda, khem, o nome Kemético para Preto, era vista como tendo propriedades “mágicas”, sob o nome de Âmbar-Negro [Jet] (Cristo). Preto, um nome dado ao Minério Preto que resultava do Kemético processo metalúrgico de separar Ouro e Prata da Terra bruta pelo uso de Mercúrio.

Em um nível simbólico, este processo foi redescoberto pelo psiquiatra C.G. Jung como o Processo Simbólico de Alquimia, uma experiência na qual apenas o processo de intensa concentração de atenção (meditação) pelo observador foi visto a produzir uma projeção espontânea do próprio conteúdo inconsciente do observador sobre o assunto sendo visualizado. Simbolicamente, a mente (mercúrio) separava o ouro (Luz, efeitos Astronômicos) da Prata (Memória Genética, Corpo Material/Planetário).

Assim, é a partir de uma perspectiva histórica Africano-Cêntrica de nossos Ancestrais Africanos que eu tenho sido abençoado para encontrar as Raízes desta Grande Árvore da Vida Preta de Melanina [Great Melanin Black Tree of Life] sobre a qual tem Florescido um Fruto de Sacrifício, Uma Introdução Para O Estudo de Melanina, Âmbar-Preto , Khem, A Carne de Ra, A  I-33 Carne de Horus, e Wosir (Osiris), O Preto Perfeito.


Melanina
– Uma Chave Para a Liberdade –
– por Richard King M.D. –
– pg. 19 – 24 
– Visão Geral do estado atual da pesquisa de Melanina –

                     Visão Geral do estado atual da pesquisa de Melanina

O estudo de melanina na forma humana e em toda a natureza é uma chave preciosa que vai desbloquear as correntes da escravidão mental que atualmente aprisionam as mentes dos povos Africanos em todo o mundo.

Apesar da atual pequena dança das músicas [tunes] de uso intencional da má educação [miseducation], a destruição massiva de bibliotecas da antiga Universidade Africana, científica Propaganda de lavagem cerebral multimídia, distorção inconsciente de Simbolismo Preto da visão interior e práticas nutricionais bestiais que produzem estados crônicos de doenças com fragmentada e pouco desenvolvida visualização interna, os próprios registros da natureza de Preta Melanina permanecem bastante intactos e ao passo a uma vasta e muito maior sintonia cósmica. [cosmic tune].

Africanos sobreviveram aos horrores do inferno, seja os incontáveis derramamentos de sangue, cicatrizes de escravidão física ou perfurantes gritos da alma do escravo mental, principalmente por causa de seu profundamente enraizado sentido de espiritualidade. Isto foi com experiências do espírito, muito além da política e religião.

A Espiritualidade Africana, longe de ser uma frase aérea, volúvel, ou vaga, é uma força de vida palpável, vibrante, que é real e pode ser medida por muitos padrões científicos físicos.

A própria Melanina, em um plano filosófico é uma porta Química/Biológica Preta, através da qual a força de vida da Espiritualidade Africana passa em movimento a partir do reino do espírito para o reino material. A identificação física da Preta porta química/biológica de Melanina em humanos é atualmente objeto de intenso estudo por muitos laboratórios em todo o mundo, utilizando uma ampla gama de avançadas ferramentas da ciência.

No entanto, esta é uma notícia velha, uma redescoberta de uma antiga ciência Africana praticada por Africanos que eram LIVRES PARA USAR SUA VONTADE PARA FAZER O TRABALHO para moldar o seu mundo nas formas reais vistas em seus sonhos. Os sonhos de visão interior eram conhecidos por estes angelicais ancestrais Africanos como sendo imagens de visão interior do céu como visto por suas próprias almas.

Pois estes Grandes e Áureos sonhos dos Africanos eram conhecidos por eles servindo como um Grande Compasso e um  Diapasão de Espiritualidade Africana, uma medida (jarda de Côvado Preto Nilomético) de estar em ritmo com a natureza e em sintonia com o próprio céu. Melanina pode ser medida. Espiritualidade Africana pode ser medida.

A Vida Espiritual Africano é conhecida pelos Africanos por ser uma dança à música. Você pode ouvi-la? Você pode senti-la? Você pode abandoná-la? será que ela vai abandonar você?

A partir de um trabalho que analisou as obras anteriores de muitos grandes estudiosos, Ponto Preto, Parte I, que está disponível em fitas de áudio (1,2), fitas de vídeo (2-6), e formas escritas (7-17) são encontradas essas várias referências ao uso de símbolos pelos antigos Africanos, “Preto foi amplamente utilizado pelos antigos Africanos para representar uma série de conceitos, todos eles tendo em comum a idéia de semente, e porta de entrada para a mente inconsciente coletiva, incluindo: O hieróglifo Egípcio para o Deus Egípcio Ra, o Sol, ou Horus Ressuscitado (Budge 1969; Churchward, 1978) o resultado da síntese dos princípios masculino (lógico, lado esquerdo do cérebro) e os princípios do sexo feminino (emocional, lado direito do cérebro.);

A Terra Santa “Khui Terra” dos grandes lagos Africanos, local de nascimento da humanidade e casa do povo Twa (Annu) (King, 1878); Estrela Polar Norte e as Sete gloriosas do Sistema Plêiades; Estrela na Cimeira do Cone; O Olho que Tudo Vê de Horus (Churchward, 1978), representativos dos poderes semelhantes a Deus [godlike powers] de visão interior, desenvolvida no mais elevado grau da universidade Africana, Filhos da Luz (nível de Osíris, Preto Perfeito, Anjo, Preto como o Azeviche [Jet Black], Superconsciente, Cristo ) (James, 1976).

Estruturas toda pretas [All Black structures] são usadas com o mesmo significado simbólico de porta escondida para o inconsciente coletivo. Por exemplo, a Pedra Preta da Caaba de Meca; Pedra Preta de Pessinus, roubada de cidade de Aníbal de Cartago para Roma na última Guerra Púnica; Todo Preto Pyramidion; o [capeamento] ‘Capstone’ Preto normalmente encontrado no ápice de pirâmides, as quais eram, elas mesmas simbólicas da mente, Ptah, e do morro que surgiu a partir de Num, Água, Caos (percepção consciente, porta de entrada para o inconsciente coletivo); As estruturas internas da Grande Pirâmide de Khufu, sendo simbólica do todo preto mundo de Amenta (Massey, 1973; Churchward, 1978) a câmara do Rei é uma sala toda preta que simboliza a visão interior, o olho que tudo vê Horus, Ponto Preto porta de entrada para o inconsciente coletivo (King, 1979; Jochannan, 1980).

No que diz respeito ao côvado Preto, Kamel Oshman Galet Pasha escreveu em, O Côvado Nilomético (The Nilometic Cubit), o Boletim da Sociedade Real de Geografia Vol. 21, (1943) “O Côvado Preto do Egito Antigo era de origem desconhecida. Este côvado foi esculpido no sopé do colosso de granito preto ao leste da entrada que conduz do pátio de Ramsés para a grande colunata, e só é encontrado somente em pedras pretas ou o que correspondem ao seu símbolo, sua medida de comprimento é 54 centímetros. R.A. Schawaller de Lubiz (1977) reavaliou recentemente o côvado preto e encontrou o seu comprimento matemático como sendo 54,02376 centímetros.

” Uma das sete ordens do antigo sistema educacional Egípcio Africano era a de Melanophoros, que de acordo com Brunson (18), “era versada nos ritos de morte e imortalidade da alma ou Mistério de Osíris.” Considerando que, de acordo com Emboden (19) a bioquímica de ambas Nymphae caerulea, o sagrado Lótus Azul (lírio preto) e a Mandrágora officinarum revelam químicos que facilitam transe xamânico. . .

o sono é a morte simbólica que permite ressurreição milagrosa. . .

A premissa básica em práticas xamânicas é que há um transe no qual um eleito pode se comunicar com as divindades de outros mundos. . .

o simbolismo do Lírio Aquático (Lótus Azul) e mandrágora começou na Quinta Dinastia e continuou até o período ptolemaico. . .

Este culto (estrato mais elevado de sacerdotes) desenvolveu o conceito de criação de ordem a partir do caos (Nun), em que a escura piscina do nada deu origem a um Lírio Aquático Azul a partir do qual o primeiro ser surgiu. Na maioria das representações a persona é aquela de Osiris (anteriormente era Ra). . .

A Ninphae caerulea floresce por três dias consecutivos, com suas flores azuis levantadas 18 centímetros acima da água em pedúnculos. Cada dia ela se abre a cerca de 8h00 e fecha ao meio-dia, na plena glória de Ra, o sol. Ao final do terceiro dia, o pedúnculo começa a torcer e extrai a flor fechada por baixo da superfície da água onde ainda vai alcançar fruição. . .

Três dias eram de extrema importância para os antigos Egípcios. . .

na combinação de Osiris-Horus-Faraó  (meta, tipo ideal para cada cidadão) “. Assim, não devemos ficar surpresos ao ver os mesmos temas sobre a revisão da literatura científica moderna sobre o tema do Preto químico/biológico Melanina. O trabalho, Ponto Preto, Parte IV (1,3,16) contêm as declarações, “ Melanina é um profundo biopolímero químico, que é a cor da pele encontrada em todos os grupos raciais culturais da humanidade, que vai do preto, passando pelo Marrom para o branco.

Melanina é produzida dentro de uma célula dentro do corpo humano conhecida como o Melanócito, foi relatado por Breathnach a surgir a partir de três fontes –  a crista neural, cálice óptico, e tubo neural. O Tudo Neural é formado muito cedo no Embrião por uma invaginação ou movimento para dentro a partir de um ponto (Ponto Preto) como uma linha de células a partir da superfície de uma ectoderma contendo melanina (camada exterior da fase de gástrula). Esta bola de células de vida rapidamente multiplicando é o resultado direto da fertilização do óvulo contendo melanina pelo masculino espermatozóide contendo Melanina. O cálice óptica no inicial embrião irá depois tornar-se no Olho, é a partir da parede exterior do cálice óptico, que há um outro local de origem dos Melanócitos. Esta camada torna-se a retina em todos os animais vertebrados e todos os seres humanos, independentemente da cor da pele. Pois sem uma camada de pigmento preto Melanina da retina, um tal olho será cego e não-funcional.

O tubo neural cranial, o resultado da invaginação do ectoderma ontendo melanina, é o local de origem de muitos neurônios pigmentados que são encontrados em todo o cérebro. A melanina encontrada nestes neurônios é conhecida como neuromelanina e está presente nos cérebros de todos os seres humanos, independentemente do grau de cor da pele. Além disso, Breathnach é da opinião de que um estudo de melanina em outros locais do corpo além da pele ou dos olhos (um local, como o ouvido interno) revela o papel da melanina em uma capacidade redox, agente de transferência de elétrons, interruptor de entrada de semicondutores amorfos, acoplador de elétrons-fótons, acumulador de drogas e íons de metal, e possui propriedades de permuta catiônica…

Em um certo sentido, e, certamente, do ponto de vista da linhagem de desenvolvimento, as células de pigmento podem ser consideradas como neurônios altamente especializados, assim como os fotorreceptores são. . .

nós deveríamos pensar mais sobre prováveis funções “neuronais” e atividade das células de pigmento. . .

Consideração das propriedades gerais biofísicas e bioquímicas da melanina tem levado ainda mais à especulação de que, no ouvido, ela pode servir como um reservatório para oligoelementos [trace elements], uma pia para espécies de radicais livres. ” Evidências do atual intenso estudo de melanina no mundo todo podem ser facilmente apreciadas após examinar as muitas publicações de autores Afrocêntricos como King (1-17), Barnes (20), Welsing (21); novos teóricos como Barr (22), Breathmach (23), e Meyer zum Gottesberge (25); e uma vasta série de outros pesquisadores que compõem a Conferência Internacional sobre Células de Pigmento [International Pigment Cell Conference] (26) membros com as três sociedades regionais da Sociedade Pan-Americana por Pesquisa de Células de Pigmento [Pan American Society for Pigment Cell Research], e a Sociedade Japonesa para Pesquisa de Células de Pigmento [Japanese Society for Pigment Cell Research].

As Conferências Internacionais de Pigmento [International Pigment Conferences] (1,16) desde 1946, tendo sido a última realizada em Londres, em 1993. Considerando que estudiosos Afrocêntricos no estudo da melanina já realizaram sete Conferências Internacionais sobre Melanina [International Melanin Conferences] através do KM-WR Ciência Consortium Inc. [KM-WR Science Consortium,Inc.], todos nos Estados Unidos.

                                             REFERÊNCIAS 

referencia 23


Melanina – Uma Chave Para a Liberdade –
por
Richard King M.D. –
pg. 25 – 26

Melanina e o Cérebro, Neuromelanina,
12 núcleos pigmentados do tronco encefálico

 …

Melanina e o Cérebro, Neuromelanina,

12 núcleos pigmentados do tronco encefálico



Dentro do tronco cerebral humano estão doze centros de preta Melanina. Estes doze centros são

(1) locus coeruleus,

(2) substância negra,

(3) plexo braquial,

(4) paranigralis,

(5) intracapulares subcerleus,

(6) nervi trigeini,

(7) mesencepahsius,

(8) pontis centralis oratis,

(9) pedennculopontis legmenti,

(10) parabrachialis,

(11) dorsomotor medial, e

(12) ambigualis retro.

Toda vida animal com uma coluna vertebral, vertebrados, possui graus variados de pigmentação de Melanina destes doze centros.

As formas anteriores de vida, tais como peixes, anfíbios, e répteis possuem menos dos doze centros a ser pigmentados.

Enquanto que as formas de vida filogeneticamente avançadas possuem mais dos centros pigmentados com os Mamíferos possuindo o maior número de pigmentada Melanina Cerebral.

De todos os Primatas, é o mais próximo do tipo humano o Chipanzé que possui onze dos doze centros contendo profunda pigmentação de preta Melanina.
Criticamente, apenas os Seres Humanos possuem profunda pigmentação Melânica de todos os Doze Centros Cerebrais.

O Centro Cérebral profundamente pigmentado com preta Melanina somente em Humanos, mas não em outros Primatas ou outras formas de animais é conhecido como o Locus Coeruleus.

O Locus Coeruleus significa literalmente, Ponto Preto [Black Dot].

Locus é uma palavra latina, stlocus locum, significando ponto ou pinta [point or dot]. Coeruleus é uma palavra Sânscrita, caerleus yamas, significando preto.

O conceito filosófico do Ponto Preto [Black Dot] é um conceito-chave encontrado no núcleo dos antigos sistemas Africanos de conhecimento, tais como o antigo nome hieroglífico Annu para Terra Khui, o local dos Grandes Lagos, local do nascimento da humanidade, e o nome hieroglífico Egípcio para o deus do sol Ra.

Esta é uma profunda evidência de que os antigos Africanos estudaram a anatomia do cérebro e nomearam este local do cérebro Ponto Preto porque sua aparência e função revelaram evidência de um simbolismo, química, anatomia, e história que estava em linha com as então conhecidas evidências de pesquisa sobre o  papel da Preta Melanina na natureza.
A ciência moderna tem redescoberto algumas das relações que o Locus Coeruleus tem para outras estruturas do cérebro. As células do Locus Coeruleus fornecem o principal suprimento nervoso noradrenérgico, norepinefrina, para muitas áreas do córtex cerebral do cérebro, hipocampo, giro do cíngulo, e áreas da Amígdala que compõem a maior parte do Córtex Límbico.

O Locus Coeruleus também fornece parte da norepinefrina encontrada em outras áreas do cérebro, como o hipotálamo, tálamo, Glândula Pineal, Habênula (Profunda Pineal ), Cerebelo;tronco cerebral inferior e medula espinhal.

O Locus Coeruleus parece estar envolvido na memória pois um mau funcionamento deste centro de Melanina do cérebro pode resultar em amnésia.
O Locus Coeruleus também está envolvido em emoções tais como ansiedade com uma continuidade de funções de advertência ou inibitórias por este preto centro cerebral no qual a gama de função média ou normal é experimentada como vigilância, cuidado, prudência, guarda [watchfullness], e atenção.

Enquanto que função elevada do Coeruleus pode apresentar sentimentos de terror, pânico, medo, ansiedade, temor [dread] e alarme.

Função mínima do Lócus Coeruleus pode apresentar sentimentos de destemor, distração, impulsividade, desatenção, imprudência e destemor.

Isto tem importantes implicações de tratamento para os estados de doença de escravidão mental, racismo, depressão, ansiedade e síndrome do estresse pós-traumático.

Por último, a Glândula Pineal, libera um hormônio, a melatonina, durante a noite, que tem uma vasta gama de efeitos. Um dos efeitos mais importantes é a ativação da região cerebral, área postrema, que por sua vez ativa o Locus Coeruleus, para induzir o sono R.E.M.

Sono R.E.M. é aquela fase do sono em que os seres humanos neófitos podem conscientemente recordar os seus sonhos de viagem e comunicação com outros agrupamentos de memória interna e ou outras dimensões externas da vida na natureza, Estados de Transe [Trance States].

Mais uma vez, a evidência do atual intenso estudo de Melanina no mundo todo pode ser facilmente apreciada após examinar as muitas publicações de autores Afrocêntricos como King (1-17), Barnes (20), Welsing (21); novos teóricos como Barr (22), Breathmach (23), e Meyer zum Gottesberge (25); e uma vasta série de outros pesquisadores que compõem os membros da Conferência Internacional de Pigmento Celular [International Pigment Cell Conference] (26) com as três sociedades regionais da Sociedade Pan-Americana para a Pesquisa de Pigmento Celular [Pan American Society for Pigment Cell Research], e a Sociedade Japonesa para a Pesquisa de Pigmento Celular [Japanese Society for Pigment Cell Research].

As Conferências Internacionais de Pigmento já realizaram quinze Conferências Internacionais de Pigmento Celular (1,16) desde 1946, sendo a última realizada em Londres, em 1993. Enquanto que, estudiosos Afrocêntricos no estudo de Melanina já realizaram sete Conferências Internacionais de Melanina através do Consórcio de Ciência KM-WR, Inc. [KM-WR Science Consortium, inc.] todos nos Estados Unidos.


Melanina – Uma Chave Para a Liberdade
– por Richard King M.D. –
– pg. 27- 28
Melanina e o Olho

                                             Melanina e o Olho

Preta Melanina é um biopigmento crítico para a visão nos olhos dos seres humanos e todas as formas de vida com uma coluna vertebral, os vertebrados.

O revestimento interno de nossos dois olhos laterais contém a retina, uma estrutura com ambos, Cones e Bastonetes. Bastonetes são órgãos sensoriais receptores que produzem visão preto-e-branco através da captura de partículas de luz, os fótons, quando a luz passa através da pupila para alcançar o alinhamento interno da retina do olho.

O fotopigmento do Bastonete, a rodopsina, ao capturar luz muda de forma a partir de uma cis (forma-de-cadeira) para uma trans (forma-de-barco), deste modo segurando-se ao fóton de luz, o disco contendo rodopsina é, então, derramado, caindo na camada mais profunda de pigmento melanina da retina. Na camada pigmentada da retina o fóton de luz é transferido para a molécula de Melanina, a qual, por sua vez, transforma o fóton em uma mensagem eletro-química que passa para o nervo óptico e, em seguida, as vias do nervo óptico para outras partes do cérebro para processamento. A visão de cores é produzida pela retina por Melanina através de um processo semelhante utilizando outros fotopigmentos em um receptor de tipo diferente, os Cones.

Sem a Melanina na camada pigmentada da retina uma forma de vida será permanentemente cega. Visão de luz nasce da Escuridão, Melanina – (Creel, D., O’Donnell, F.E., Anomalias do Sistema Visual em Albinos oculares humanos, Ciência [Visual System Anomalies in Human Ocular Albinos], 201, p 1253, 1980;. Path, M.O., Phagocytosis of Light and Dark-Adapted Rod Outer Segments by Cultured Pigment Epithelium, Science, 203, p. 256, 1978)

Outra referência fundamental para o papel da Melanina em sistemas visuais é encontrada no relatório científico, Drager, U.C., Albinismo e Vias Visuais [Albinism and Visual Pathways], The New England Journal of Medicine, V. 314, N. 25, p. 636, 1986. Este cientista relatou, “Albinismo Oculocutâneo é uma desordem autossômica recessiva que se distingue pela hipopigmentação uniforme da pele, cabelo, e olhos. Envolvimento limitado aos olhos (albinismo ocular) também tem sido descrito. Porque a falta de pigmento Melanina resulta em foto-recepção reduzida da pele, carcinoma (cêncer) pode desenvolver-se em áreas expostas. Uma perda semelhante de foto-recepção nos olhos leva a fotofobia (medo e fuga da luz). Menos freqüentemente apreciados, no entanto, são os distúrbios mais complexos do sistema visual, que são comuns em albinismo e outras condições caracterizadas por hipopigmentação.”

Em humanos hipopigmentados um desvio dos nervos do trato óptico resulta em uma falta de visão binocular e nistagmo optocinético (movimento de vibração constante dos olhos em uma direção horizontal ou vertical) Drager era da opinião de que o nistagmo optocinético, como um defeito, era causado por “uma ligação incorreta no nível da retina de modo que a propriedade de algumas células fisiológicas – sua seletividade direcional – é invertida em 180 graus. ”

Uma quarto defeito é a cegueira noturna, uma condição que ocorre em hipopigmentadas forma de vida vertebradas, elevadas entradas visuais registradas resultantes da influência sobre a função de fotorreceptores. Drager relatou, “Em ratos, mais de 60 loci genéticos com cerca de 170 mutações são conhecidos por afetar a pigmentação. A maioria destes genes, provavelmente, possuem homólogos no genoma humano, mas apenas alguns deles serão aparentes como mutações de pigmento. Apenas um dos loci de pigmentação – o locus albino – codifica a enzima especificamente envolvida na síntese de melanina, e a enzima e não tem outras funções conhecidas….

Qual é a função do grande número de genes de pigmentação que não codificam a tirosinase?

Em praticamente nenhum caso é a resposta conhecida em termos de proteína codificada, mas uma lista desconcertante de efeitos pleotrópicos indica que o sistema de pigmentação compartilha funções biológicas celulares com muitos outros sistemas. . .

O pigmento da retina Epitélio, o qual é derivado a partir do cálice óptico (parte do tubo neural), torna-se pigmentado em uma fase crucial no início do desenvolvimento do olho, quando eventos de especificação são considerados por tomar lugar que determinam as coordenadas da retina e o seu padrão de intersecção para a vida. Nos seres humanos isso ocorre cerca de oito meses antes do nascimento. A síntese de melanina, neste estágio, parece influenciar o estabelecimento do plano visual mesmo antes de existirem quaisquer conexões visuais. ”

Melanina – Uma Chave Para a Liberdade –
por
Richard King M.D.
pg. 29 – 31 –
Melanina e o Ouvido

 

                                                Melanina e o Ouvido

Preta Melanina é um biopigmento fundamental, O Preto Químico da Vida, encontrado em todo o corpo de todos os seres humanos, pele, olhos, cérebro, glândulas endócrinas, sangue, coração, pulmões, trato gastrointestinal, rim / trato urogenital, órgãos sexuais, et. Claro, melanina também está presente no ouvido dos seres humanos e está criticamente envolvida na audição do som.

Talvez, dada a fase atual de elevadas realizações por todo o mundo pelos talentos criativos de Africanos na arena de música, o estudo de melanina, audição e música, pode ser uma “chave para a chave” da melanina como uma chave para a liberdade. O estudo do som é um estudo de vibração e música (harmonias/ressonância = chave). Som é uma forma de luz, alcance particular das vibrações e movimentos de átomos no espectro da luz, Vida.

Melanina como um fotorreceptor, receptor de luz, é uma porta através da qual a luz entra na forma humana através dos vários portais de informação dos órgãos sensoriais para auto-organizar, para alimentar o ego [self] ou a alma [soul] dos seres humanos, enquanto no corpo físico.

Melanina é encontrada ao longo da orelha em seres humanos e a presença de melanina no ouvido interno é de grande importância. Marie-LouiseBarrenas e Fredrik Lindgren em seu artigo, A Influência de Melanina do Ouvido Interno Na Susceptibilidade  Para TTS Em Hhumanos, [The Influence Of Inner Ear Melanin On Susceptibility To TTS IN Humans, Scan. Audiol. 1990 19:97-102] relatou: “Na literatura a maioria dos relatórios concernindo limiares ou permanente PAIR [Perda Auditiva Induzida por Ruído] (PTS) (capacidade de ouvir Som) em diferentes grupos étnicos ou raças indicam que a audição é melhor preservada em populações de cor do que em populações brancas.

Buch & Raiford. (1931) estudaram a função auditiva em pacientes americanos negros e brancos do hospital com semelhante experiência cultural e descobriu que os limiares auditivos eram superiores em homens de cor em comparação com os homens brancos na faixa de freqüência acima de 2 kHz, e esta diferença aumentava com a idade. Roset et. al. (1962) investigou os limiares auditivos em 541 pessoas de tribos primitivas que vivem em um área relativamente livre de ruído na República do Sudão. Estas pessoas mostraram melhores limiares auditivos em freqüências altas do que o que foi avaliado a partir de qualquer estudo semelhante da civilização ocidental moderna.

Post (1964) avaliou os resultados dos exames de audição de recrutas americanos da II Guerra Mundial e descobriu que homens de cor acima de meia-idade tinham melhores limiares auditivos em altas freqüências do que homens brancos nas mesmas faixas etárias, especialmente em homens com mais de 30 anos de idade.

Karsai et. al. (1972) estudou 836 trabalhadores portuários com experiência relativamente uniforme de exposição à barulho e encontrou limiares auditivos para tons de freqüências altas significativamente melhores entre os trabalhadores de cor do que entre os trabalhadores brancos. Royster et. al. (1980) investigou uma população exposta-à-ruído e descobriu que mulheres negras, como grupo, tendem a mostrar menos perda auditiva em idades mais elevadas do que os homens brancos.

Em 1985, Attias & Pratt (Auditory-Evoked Potential Correlates of Susceptibility To Noise-Induced Hearing Loss. Audiology 1985: 24: 149-56) encontrou significativa correlação entre a pigmentação da íris e a da pele, por um lado, e susceptibilidade à ruído, por outro, ou seja, quanto mais pigmento na Íris (superfície externa do olho) e pele, menor PTS  [perda auditiva] (baixa susceptibilidade). . .

Tota & Bocci (1967) (A Importância Da Cor da Íris Na Avaliação da Resistência à Fadiga Auditiva, Rev. Otoneuroophtalmol. 42: 183-92) e Hood et. ali. (1967) (A Influencia Da Cor dos Olhos Sobre Mudança Temporária do Limiar. Audiologia. 15: 449-464) encontraram uma correlação positiva entre a cor do olho e TTS, ou seja, pessoas de olhos marrons eram menos susceptíveis para TTS que pessoas de olhos azuis.

Assim, Melanina é fundamental para a audição. Povos Africanos ouvem uma gama de som mais ampla que os Europeus, em particular, os baixos sons graves. Realmente, quanto “Mais Preta a Amora mais Doce o Suco.” Quanto mais Preto a cor do olho (Iris) há mais melanina (Suco da Vida) presente no ouvido interno e maior a capacidade para ouvir som/luz. Esta lei universal diz respeito ao papel da melanina como uma porta de translação de energia que se aplica à maioria dos receptores de órgãos sensoriais, seja pele (sensação / tato / gravidade), olhos (visão), audição (som), paladar e olfato e suas correspondentes expansões extra-sensoriais da alma. (Ernest J. Stevens, Luzes, Cores, Tons e as Mais Sutis Forças da Natureza: Maravilhosas Descobertas, Princípios Básicos e Ativos, Funções de Elétrons, Magnétons, Átomos, Luz-Fria, Ódicos, Auras e Rádio 1974 Health Research P. O. Box 70 Mokelumne Hill, California 95245) (Arthur M. Young O Universo Reflexivo: Evolução da Consciência, 1976, Robert Briggs Associated, Box 9, Mill Valley, Califórnia 94941).

A. M. Meyer Zum Gottesberge, no artigo, Fisiologia e Fisiopatologia da Melanina do Ouvido Interno, Pesquisa de Pigmento Celular 1988 1:238-249, tem escrito que a melanina no ouvido interno está envolvida no controle de íons de cálcio pelo verdadeiro movimento de células contendo melanina, melanócitos ao longo dos vasos sanguíneos e do fluido endolinfático do ouvido interno. Mais uma vez, Evidências do atual intenso estudo de melanina no mundo todo podem ser facilmente apreciadas após examinar as muitas publicações de autores Afrocêntricos como King (1-17), Barnes (20), Welsing (21); novos teóricos como Barr (22), Breathmach (23), e Meyer zum Gottesberge (25) e um vasto conjunto de outros cientistas que compõem a Conferência internacional de Pigmento Celular.

Melanina –
Uma Chave Para a Liberdade –
por Richard King M.D. –
– pg. 32 – 34 –
Melanina e a Glândula Pineal, Desenvolvimento da Visão Interior –

Melanina e a Glândula Pineal, Desenvolvimento da Visão Interior

.
Preta Melanina é um biopigmento crítico, O Preto Químico da Vida, encontrados ao longo do corpo de todos os seres humanos em sua pele, olhos, cérebro, glândulas endócrinas, sangue, coração, músculos, pulmões, trato gastrointestinal, rim / trato urogenital, órgãos sexuais, etc.. Apesar da presença da Melanina em muitos locais do corpo e em receptores de órgãos sensoriais como uma porta de transformação, a Melanina pode funcionar como um unificado  sistema integral Preto.

Um estudo da história Africana antiga revela que O SISTEMA DE MELANINA HUMANO FUNCIONA COMO UM (INTEGRAL) SANTO CORPO PRETO [WHOLE HOLY BLACK BODY] (HBB), COMO A VISÃO INTERIOR DA ALMA, PARA PRODUZIR VERDAREIRA CONSCIÊNCIA ESPIRITUAL, GÊNIO CRIATIVO, VISÃO BEATÍFICA, PARA TORNAR-SE SEMELHANTE A DEUS, E PARA MANTER CONVERSAÇÃO COM OS IMORTAIS (Ancestrais).

De acordo com George G. M. James no livro Stolen Legacy [“Legado Roubado”], Capítulo três, p. 27 (U.B. & U.S. Communications Systems, Inc.), “A mais antiga teoria da salvação é a teoria Egípcia. O Sistema de Mistério Egípcio tinha como seu objeto mais importante, a deificação do homem, e ensinava que a alma do homem, se libertada de seus grilhões corporais, poderia permitir a ele se tornar semelhante a Deus, e ver os Deuses nesta vida, e alcançar a visão beatífica, e manter comunhão com os Imortais. . . .”

“O Sistema de Mistério, como a Universidade moderna, era o centro da cultura organizada, e os candidatos nele entravam como a principal fonte de cultura organizada. De acordo com Pietschmann, os Mistérios Egípcios tinham três tipos de alunos

(1) Os Mortais [The Mortals] ou seja, os alunos estagiários que estavam sendo instruídos, mas que ainda não haviam experimentado a visão interior.

(2) Os Inteligentes [The Intellegences], ou seja, aqueles que haviam alcançado visão interior, e haviam recebido mente ou nous, e

(3) Os Criadores [The Creators] ou Filhos da Luz [Sons of Light], que haviam se identificado com ou se unido com a Luz (ou seja, a verdadeira consciência espiritual).”

O OLHO DA VISÃO INTERIOR para todos os seres humanos é o OLHO DE HERU (HORUS), o OLHO DA ALMA, TERCEIRO OLHO, GLÂNDULA PINEAL, EPÍFASE CEREBRAL.

Apesar de uma reivindicação por parte dos Europeus de que Herophilos, um grande Professor da Biblioteca Grego de Alexandria no século III a.C. foi o primeiro descobridor da glândula pineal, Estes Doutores Africanos do sexo masculino e feminino pertenciam à Ordem Pastophori (Faculdade) da Universidade Egípcia (Sistema de Mistério), a qual havia florescido intacta como uma Academia Educacional por mais de quatro mil anos antes do aparecimento da Biblioteca e Museu Gregos em Alexandria, no Egito. Estes cientistas Africanos haviam definido em seus textos escritos (42 Livros de Tehuti, Textos das Pirâmides, Textos dos Sarcófagos, Livro da Revelação Pelo Dia – Livro dos Mortos) A Localização Detalhada, Fisiologia e Relacionamento do Olho de Heru (Glândula Pineal ) para com a luz do sol, luz das Estrelas, luz da Lua, Alma e o Sistema de Melanina do Integral Corpo Preto. No meio das primeiras três seções do painel superior registro a direita do segundo santuário do Faraó Tutankhamun, 18ª Dinastia Egípcia, há uma imagem de luz de estrela (luz do sol) sendo direcionada para o meio da testa humana [human midforehead](Piankoff, Alexander, The Shrines de Tutankhamon). Este é o local da glândula pineal, a única estrutura no interior da cabeça que é sensível à luz ambiental. Isto foi escrito por Africanos 1,200 anos antes de Herophilos e 3,300 anos antes da redescoberta da relação Pineal-Luz Solar por cientistas Europeus modernos. (R.J. Reiter, A Glândula Pineal, Vol. I-III, 1982).

Com a Luz Solar, a Pineal libera melatonina no sangue, um hormônio que afeta diretamente a produção de melanina em muitos locais em todo o corpo. (R. King Origens Africanas da Psiquiatria Biológica, p. 49). Na verdade, a Glândula Pineal é o mais elevada em uma cadeia de glândulas encontradas a partir do topo da cabeça, incluindo a Pituitária, com muitas glândulas ao longo da coluna vertebral e, claro, os melanócitos contendo Melanina na pele. Estas glândulas são parte do (Integral) Santo Corpo Preto (HBB) e são parcialmente conhecidas na ciência moderna como o sistema A.P.U.D. (sistema Amina descarboxilase).

Todas as glândulas do presente sistema de contêm a enzima A.P.U.D. que permite a manipulação especial de átomos de carbono (Preto átomo Chave de Melanina). Todas as glândulas do sistema A.P.U.D. originam-se a partir da estrutura do cérebro, da crista neural, que se desenvolve a partir de uma invaginação da camada da pele ectoderma contendo Melanina do inicial pré-feto. (Pearse, A.G.E., J Histocher Cytochem 17 (5)..); 303-313. Na seção meio da mesma seção do santuário do Faraó Tutankhamun estão seis figuras mumiformes, as quais foram traduzidas por Rkhty Amen Jones (King, p. 47) –

(1) Cabeça de Horus,

(2) Face de Horus,

(3) Pescoço de Horus;

(4) 1 33-Tecido de Horus;

(5) Olho Interior;

(6) Porta de Entrada.

O  I-33-tecido de Horus também foi traduzido por Piankoff como “Matéria Fina” ou “Coisa Fina” (“Fine Stuff”). Matéria Fina e o  I-33 tecido de Horus podem ter sido os antigos nomes científicos Africanos para Melanina.

Certamente, dado o claro papel da Melanina como o químico da vida e uma porta através da qual passam e são traduzidos todo o espectro de comprimentos de onda de luz (vida) na natureza. Na verdade, Melanina, como uma “Coisa Fina” [“Fine Stuff”] é uma forma verdadeiramente típica Africana de expressar uma Coisa Doce tão Profunda. Além disso, para os antigos Africanos nomear ligando Melanina com a Pineal, I, e 33 revela um conhecimento Africano de alta ciência. Pois o maiúsculo “I” (desenvolvimento da alma) resulta de uma conversão, levantando ereta a coluna vertebral 33 – de um nível morto horizontal, o caso do minúsculo “i” (ego / mente inferior, a besta), sobre a liberdade ou a salvação da alma do corpo físico por um processo de educação.

O sistema glandular de melanina do inteiro corpo encontrado ao longo das 33 vertebradas da coluna vertebral aumentam a produção hormonal e inter-relações glandulares elétrico/magnéticas durante o curso deste processo (King, p. 93-129).


Melanina – Uma Chave Para a Liberdade –
por
Richard King M.D. –
pg. 35 – 37
Melanina e da Glândula Pineal, a densidade óssea Relações com pele Melanina


Melanina e da Glândula Pineal, a densidade óssea Relações com pele Melanina

Preta Melanina é um biopigmento crítico, O Preto Químico da Vida, encontrado em todo o corpo de todos os seres humanos, em sua pele, olhos, glândulas endócrinas, cérebro, sangue, músculos, pulmões, trato gastrointestinal, rim/trato urogenital, órgãos sexuais, etc.

Melanina, embora presente em muitos locais diferentes do corpo, funciona como um Integral Santo Corpo Preto (HBB) [Whole Holy Black Body]. O Ponto Preto, Olho de Heru, Glândula Pineal, Terceiro Olho.

O Olho de Heru produz Verdadeira Consciência Espiritual, Gênio Criativo, Beatífica Visão, para tornar-se semelhante a Deus, e manter comunhão com os Imortais (ancestrais).

Ao longo de um período contínuo de quatro mil anos antes do surgimento da Biblioteca Grega de Alexandria houveram  Professores Médicos Africanos da Academia Educacional Africana.

O Sistema de Mistério Egípcio, definiu O Olho de Heru em seus textos escritos (42 Livros de Tehuti, Textos das Pirâmides, Textos, Textos dos Sarcófagos, Livro do Surgimento pelo Dia [Book of The Coming For  By Day]  (Livro dos Mortos).

Estes Homens e Mulheres Africanos, Professores da Universidade Kemética, O Sistema de Mistério de Kemit (Egito), nestes vários textos escritos definiram com precisão o local, fisiologia e relacionamento do Olho de Heru (Glândula Pineal) para à luz solar, luz da Lua , Alma e o Santo Corpo Preto  [Holy Black Body] (HBB).

O Santo Corpo Preto (HBB) foi nomeado por esses antigos africanos como o “I 33-Tecido de Horus” [I 33-Tissue of Horus], “Coisa Fina” [Fine Stuff], e “Carne de Ra” [Flesh of Ra].

No meio das três primeiras seções do registro superior do painel direito do segundo santuário do Faraó Tutankhamun, 18ª Dinastia Egípcia, de 1530 A.C. (1200 anos antes da Biblioteca Grega de Alexandria) estão seis figuras mumiformes que foram traduzidos por Rkhty Amen-Jones (R. King, A Origem Africana de Psiquiatria Biológica, p. 49, 1990) –

(1) Cabeça de Horus,

(2) Face of Horus,

(3) Pescoço de Horus,

(4) I 33 Tecido de Horus  [I 33 Tissue of Horus],

(5) Olho Interior  [Inner Eye],

(6) Porta de Entrada  [Doorway].

O I-33 Tecido de Horus [“I-33 Tissue of Horus”] também foi traduzido por Piankoff como “Coisa Fina” [“Fine Stuff”]
(A. Piankoff, Os Santuários de Tutankhamun, Princeton Univ. Press, 1977).

O conceito do Olho de Heru como um olho interno é claro por si mesmo e auto-explicativo. Pois visão interior era um nível de operação consciente, o uso direto da alma para além do uso da mente que era desenvolvido nos estudantes da Universidade Africana, no grau 2, Intellegence [Intelligentes] e grau 3, Filhos da Luz [Sons of Light]
(George James, Legado Roubado, Capítulo 3).

O sistema educacional dos antigos Kamitas literalmente aumentava a freqüência vibratória, e secreção do hormônio melatonina, um hormônio ativador de Melanina.

Porta de Entrada [Doorway] refere-se à porta da Fontanela Anterior, as Suturas Cranianas na parte Superior do Crânio, por meio da qual a alma, é dito, passa durante o curso da viagem fora do corpo. Porta de Entrada [Doorway] também se refere ao funcionamento e função da Melanina em cada um dos diversos locais de Melanina no corpo, uma vez que é influenciada pelo hormônio Pineal, melatonina.

A definição  “I-33 Tecido de Horus” do Olho de Heru pelos antigos médicos Africanos revela claramente um conhecimento de alta ciência e da relação do Olho de Heru ao Sistema de Melanina do Integral Corpo [Whole Body Melanin System], A Coisa Fina [Fine Stuff].

Existem três glândulas do pescoço, que são controladas pelo Olho de Heru/Glândula Pineal – Tiróide, Paratireóide, e Células Tirocalcitonina. A paratireóide produz o hormônio da paratireóide (PTH), que puxa o cálcio para fora do armazenamento ósseo para aumentar os níveis sanguíneos de Cálcio. Enquanto que as Células Tirocalcitonina aumentam o armazenamento de Cálcio no osso a partir do sangue.

Bell (N.H. Bell, Vitamina D- sistema endócrino,  J. Clin. Invest. 76: 1-6, 1985) informou que, em pessoas Pretas é encontrado um maior nível de hormônio PTH e totalmente ativado hormônio da vitamina D (1,25 (OH) 2D) do que o encontrado em Brancos.

As secreções da Glândula Pineal aumentam o nível de secreções hormonais pela Glândula Paratireóide, PTH (J.D. Kiss, Acta. Medica. Academinae Seientiarum Hungaricae, Tomus 26 (4): 363-370).

As secreções do O Olho de Heru/Glândula Pineal diminuem as secreções hormonais da Tireóide e Tirocalcitonina (G. Csaba, Acta. Biol. Acad. Sei. Hung. 19 (1): 35-41, 1968).

A Melanina está presente dentro da Glândula Pineal (E. Santamarina, Canad. J. Biochem. Physiol. 36: 227-235, 1958) e determina um nível mais elevado de secreções hormonais da Pineal como encontrado em pessoas Pretas (King, 1994, W. Pelham, J. Clin. Endocrinol. Metab. 37: 341-344, 1973).

O Olho de Heru, Glândula Pineal, está ligado às glândulas do pescoço (Tiróide, Paratireóides, Tirocalcitonina) e  Melanina (Pele, e outros locais do Inteiro Corpo de Melanina) através de cálcio e vitamina D. A formação de vitamina D primeiramente começa na Pele como uma pré-vitamina 7-desidrocolesterol. Quando a luz passa através da camada de Melanina-da-Pele, ela energiza e converte para D3 a qual, então, passa para o sangue, transportada para o fígado e convertida (hidroxilação) de 25-hidroxi-vitamina D (25-OHD), em seguida, passa no sangue para o rim para conversão final (hidroxilação) para formar 1,25 (OH) 2D, A vitamina D (T.C. Clemens, Lancet 1: 74-76, 1982; M.F. Holick, Science 21 1 (6): 590-593, 1981).

Criticamente, esta fase final da formação da vitamina D é controlada pelo PTH o qual existe em um nível de sangue mais elevado em Pretos do que os Brancos, porque os Pretos têm menos calcificação pineal e, conseqüentemente, níveis sanguíneos mais elevados de melatonina Pineal (G.M. Vaughan, J. Clin. Endocrinol. Metab. 42: 752-764), o que eleva o nível de PTH.

Sabe-se que a cor do revestimento exterior do olho, a íris, reflete o grau de pigmentação em sítios internos tais como o ouvido interno e, por extensão lógica, a glândula pineal (J.D. Hood, Audiologia 15: 449-464, 1976).

Assim, não apenas as pessoas Pretas têm uma menor incidência de calcificação pineal, maiores níveis de secreção de melatonina pineal, e os Pretos têm uma densidade de seus ossos de 5-10% maior, e uma taxa significativamente menor de osteoporose em mulheres após a menopausa, quando comparado com mulheres Brancas (Williams, 1990; S. Cohn, Metab. Clin. Exp .26:171-178, 1977).

Assim, Cálcio e Vitamina D servem um papel de Feedback para permitir ao Olho de Heru/Glândula Pineal determinar a eficiência da melanina da pele e outros locais do corpo do papel da melanina como uma porta de entrada na recepção da luz.

.

———————————————————————————————————


Melanina – Uma Chave Para a Liberdade –
por
Richard King M.D. –
pg. 38 – 40
Melanina e a Glândula Pineal, Desenvolvimento Kemético da Glândula Pineal

Melanina e a Glândula Pineal, Desenvolvimento Kemético da Glândula Pineal

UM ESTUDO DE ANTIGA HISTÓRIA AFRICANA REVELA A DEFINIÇÃO AFRICANA DO SISTEMA DE MELANINA HUMANA COMO UM SANTO CORPO PRETO [HOLY BLACK BODY] (HBB) QUE SERVE COMO O OLHO DA ALMA PARA PRODUZIR VISÃO INTERIOR, VERDADEIRA CONSCIÊNCIA ESPIRITUAL, GÊNIO CRIATIVO, VISÃO BEATÍFICA, PARA TORNAR-ASE SEMELHANTE A DEUS, E PARA MANTER CONVERSAÇÃO COM OS IMORTAIS (ANCESTRAIS).

O PROPÓSITO DA ANTIGA EDUCAÇÃO AFRICANA ERA PEROPORCIONAR O CONHECIMENTO E DESENVOLVIMENTOO DA VONTADE DO ESTUDANTE QUE PERMITIA A SALVAÇÃO (LIBERDADE) DA ALMA DOS GRILHÕES (CORRENTES) DO CORPO FÍSICO. (George James, Legado Roubado, Capítulo 3, U.B. & U. S. Communications Systems).

MELANINA É O QUÍMICO DA VIDA, O QUÍMICO DA ALMA, UMA PORTA DE ENTRADA TRANSFÍSICA ATRAVÉS DA QUAL AS ONDAS DE ENERGIA DOS SANTOS ALMA, ESPÍRITO E MENTE PASSAM PARA TOMAR FORMA COMO O SANTO CORPO PRETO. ANTIGOS AFRICANOS EM KEMIT (EGITO) VIAM TODO O CONTEÚDO DO AMENTA (O SUBMUNDO [UNDERWORLD]) – SUBCONCIENTE PESSOAL (MENTE), SUPERCONSCIENTE (ALMA), COLETIVO ONSCIENTE (espírito) – COMO PRETOS AZEVICHE NA COR [AS JET BLACK IN COLOR].

O Olho da Alma foi nomeado o Olho de Heru em Kemit, o Olho da Visão Interior. Visão Interior do uso expandido do Olho de Heru era desenvolvida por um Sistema de Educação Kemético (James). Estudante do grau 2, Inteligentes [Intellegence] e do grau 3, Filhos da Luz [Sons of Light], alcançaram a Visão Interior.

Afigura-se que esta forma de visão resultava de uma síntese, união, ou o desenvolvimento global do cérebro. O Córtex Direito (radar emocional, emoções intuitivas) era desenvolvido por um controle das paixões e levantando-se das emoções intuitivas por intenso estudo e prática das Dez Virtudes (James) e 42 Confissões Negativas (Budge, W., Osiris e a Ressurreição Egípcio, Universidade Books, New Hyde Park, N.Y. pp 340, 1961). O Córtex Esquerdo era desenvolvido por intenso estudo das leis da natureza com a prática das Sete Artes Liberais (James) purgando assim a mente de tendências irracionais e permitindo que o aluno a querer uma conduta para estar em ritmo com a natureza.

Quando o estudante havia se tornado capaz de usar igualmente ambos os hemisférios cerebrais direito e esquerdo de seu próprio cérebro ele experimentava Visão interior.

Estudantes Africanos do Grau 2, Inteligentes [Intellegence], experimentaram Visão Interior através de um aumento da atividade do Olho de Heru, a Glândula Pineal, a interna linha média dos olhos /Glândula encontrada no meio do cérebro entre os hemisférios corticais.

Estudantes Africanos do Grau 3, Filhos da Luz, experimentaram um maior nível de Visão Interior que permitia uma verdadeira unidade com a Luz e a capacidade de manter conversação com os Imortais.

A este nível de Visão Interior o estudante utilizava igualmente ambos os hemisférios corticais de uma forma que unificava os dois estilos corticais de consciência com o contributo das mais profundas estruturas cerebrais mais antigas do cérebro médio, tronco cerebral, coluna vertebral, todas as glândulas do corpo inteiro (sangue, linfa, nervos periféricos) e, particularmente, o Integral Corpo Preto [Whole Black Body] (HBB).

Por favor considere os nervos que controlam alguns aspectos do Olho de Heru, a Glândula Pineal.

Moller escreveu, (Moller, M., Fina Estrutura da inervação pinealopetal da glândula pineal de mamíferos, Microscopy Research and Technique 21: PP. 188-204, 1992) “A glândula pineal de mamíferos é inervada por periféricas fibras nervosas simpáticas  e parassimpáticas bem como por fibras nervosas originadas no sistema nervoso central.

Os perikaya das fibras simpáticas estão localizados nos gânglios cervicais superiores. . . Ambos noradrenalina e neuropeptídio Y estão contidos nestes neurônios.

As fibras parassimpáticas originam-se dos perikara no gânglio pterygopalatino. Os neuropeptídios, peptídeo intestinal vasoativo e peptídeo histidina isoleucina, são presente nessas fibras. As fibras da inervação central originam-se predominantemente da perikarya localizada nas estruturas hipotalâmicas e límbicas do cérebro anterior [forebrain] bem como do perikaya no sistema óptico. ”

Sandyk, R., Relevância do complexo habenular para neuropsiquiatria: uma revisão e hipótese, Intern. J. Neuroscience, 61: pp. 189-219, 1991) “o complexo habenular fornece um elo importante (fibras nervosas) entre o cérebro anterior límbico (tronco cerebral, sistema límbico, cérebro dinossauro) e o mesencéfalo (homem pré-adâmico Androglynous, Adam Kadmon) . . . há crescente evidência da presença de interações anatômicas e funcionais entre o complexo habenular e a glândula pineal. ”

Estas três vias nervosas foram definidas na literatura Kemética como os caminhos de

Osiris (Neófito, masculino, via direita, ramo direito da árvore da vida, simpático, ativo)

Isis (Intellegence, feminino, via esquerda, ramo esquerdo da árvore da vida, parassimpático, passivo ) e

Horus (Filho da Luz, criança, via do meio, canal central da medula espinhal , tronco da árvore da vida, a síntese ou a união da auto-afirmação (eu sou), auto reprodução, de Frente pra Deus [facing God]).

É claro que este mesmo tema está presente sobre a visão do Ankh o antigo símbolo Africano para a vida, com o braço esquerdo (testículo), braço direito (testículo) e coluna espinhal do meio com uma forma oval no topo (Ponto Preto, Ventre [Womb] (Útero), teceiro ventrículo do crânio cerebral, terceiro ventrículo do cérebro sendo a localização da alma, enquanto no corpo físico, terceiro ventrículo do cérebro sendo a abóbada de Iniciação [the vault of initiation], o terceiro ventrículo sendo uma câmara preenchida de fluido L.C.R. com a glândula pineal ligada ao piso no final atrás e a pituitária ligada ao piso na parte frontal), a câmara sagrada onde o novo filho (feto) é formado por auto-afirmação (eu sou), auto-reprodução, o terceiro ventrículo sendo a tumba dentro da tumba dentro da qual passou o Espírito Santo., alma,. mente através da Melanina Preta Azeviche [Jet Black Melanin] para se tornar o Santo Corpo, de frente para Deus [Facing God]).

De acordo com Murphy (Murphy, D.L., et. al., efeitos dos antidepressivos e outras drogas psicotrópicas sobre a liberação de melatonina e função da glândula pineal, J. Neural Transm. (Suppl) 21: pp 291-309 1986), a trajeto do nervo simpático para a pineal é

  1. luz,
  1. olho,
  1. trato hipotalâmico da retina,
  1. núcleo supraquiasmático do hipotálamo,
  1. pacote medial do cérebro anterior,
  1. formação reticular do tronco cerebral,
  1. medula espinhal,
  1. gânglio cervical superior,
  1. glândula pineal, e
  1. melatonina / serotonina.


Melanina – Uma Chave Para a Liberdade –
por
Richard King M.D. –
pg. 41 – 43
Melanina e a Glândula Pineal, Referências Seletas para a Glândula Pineal a partir  dos Textos dos Sarcófagos Keméticos

Melanina e a Glândula Pineal, Referências Seletas para a Glândula Pineal a partir  dos Textos dos Sarcófagos Keméticos

.

UM ESTUDO DE ANTIGA HISTÓRIA AFRICANA REVELA QUE O SISTEMA DE MELANINA HUMANO FUNCIONA COMO UM SANTO CORPO PRETO [HOLY BLACK BODY] (HBB) COM O OLHO DA ALMA PARA PRODUZIR VISÃO INTERIOR, VERDADEIRA CONSCIÊNCIA ESPIRITUAL, GÊNIO CRIATIVO, VISÃO BEATÍFICA, PARA TORNAR-SE SEMELHANTE A DEUS, E PARA MANTER CONVERSAÇÃO COM OS IMORTAIS (ANCESTRAIS).

O OLHO DE VISÃO INTERIOR PARA TODOS HUMANOS É O OLHO DE HERU (HORUS, HERMES, MERCURY, SERAPIS, JESUS). ESTE OLHO É “O MENSAGEIRO DA LUZ” DE VISÃO INTERIOR QUE É UMA PORTA DE ENTRADA [DOORWAY] PARA A LUZ DO ÚNICO ETERNO E INTERNO SOL (RA) QUE BRILHA ATRAVÉS DE TODA VIDA.

Os médicos do antigo Kemit escreveram extensivamente sobre o Olho de Heru em seus Grandes Livros.

Os Textos das Pirâmides do Império Antigo (3200 – 2100 A.C.).
Textos dos Sarcófagos do Médio Império (2100 – 1675 A.C.).
Versão do Novo Império dos Textos Edfu Ptolemaicos 332 – 30 A.C. (R. King, Origem Africana de Psiquiatria Biológica, 3º Impressão, 1994: U.B. & U.S. communication systems: 912 W. Pembroke Ave. Hampton, Virginia 23669.)

Estes homens e mulheres Africanos professores, eram da ordem Pastophori no Per Ankh (Casa da Vida) seção do Sistema da Universidade Kemética (Sistema de Mistério), o qual havia existido como uma intacta Academia Educacional por mais de 4000 anos antes da fundação da Grega Biblioteca e Museu de Alexandria em Alexandria, Egito, no Terceiro Século A.C. (George James, Legado Roubado, 2ª impressão por U.B. & U.S. communication systems, 912 W. Pembroke Ave., Hampton, Va., 23669).

Talvez nós, os alunos, podemos estudar e refletir sobre os escritos de nossos ancestrais como os oferecidos nos Grandes Livros Keméticos, por exemplo, considere estas breves citações dos Textos dos Sarcófagos keméticos, (Faulkner, R.O., Os Antigos Textos Dos Sarcófagos Egípcios, V. 1-111, Aris & Phillips, Ltd., Warminister, Wilts, Inglaterra, 1978) “Mande sua alma, para que se veja com os seus olhos: tal é Heru quando ele reapareceu em glória e formou seu Olho corporal… É o Olho da alma mais forte do que os deuses? Assim digo Eu a meu pai Atum. Força tem saído para mim da sua boca, e isso significa que eu me tornei Heru, que é mais forte entre os deuses, e Seth caiu por causa de mim, eu fiz a sua confederação deslizar por causa daquela conta em que ele vagou. . . Eu sou Horus que levantou o seu Olho, o qual apareceu resoluto, alto e poderoso: ele consome o rio ”

(Faulkner, V. 1, Seção 316, pp 238-240).

“Tome o Olho de Heru e esteja satisfeito com ele, coloque o Olho de Heru em sua testa. Oh Heru que é N, tome o Olho de Heru, pois ele pertence a você, ele pertence a seu corpo, coloque-o sobre si, provenha a si mesmo com ele, pois ele o proverá como um deus; levante o que está em você, o que está na testa de Heru. ”

[“Take the Eye of Heru and be pleased with it, put the Eye of Heru on your Brow. O Heru whi is N, take the Eye of Heru, for it belongs to you, it belongs to your body, put it on yourself, provide yourself with it, for it will provide you as a god; lift up what is on you, which is on the brow of heru.”]
(Faulkner, v.3, seção 845, pp. 30d).

“ON, Heru anexou seu Olho para a sua testa, para você, em seu nome de ” Grande da Magia”

ON, tome aquilo de que os deuses estão com medo, assim como eles têm medo de Heru.

ON, tome o Olho de Heru, contra o qual Seth agiu.

ON, tome o Olho de Heru, a metade do qual ele viu a mão de Seth quando ele o arrebatou.

ON, tome o branco Olho de Heru, o qual ele resgatou de Seth quando este o arrebatou.

ON, tome o Olho de Heru, alguns dos quais ele roubou.

ON, deixe-o estar longe de você.

ON, tome o Olho de Heru, que pendia das mãos de seus filhos.

ON, tome a água que está no olho de Heru, não a deixe ir. “

(Falkner, V. 111, seção 846, pp. 31)

“Eu sou o Touro de Ofertas [the Bull of Offerings], possuidor de cinco pães no templo; Três pães estão no céu e dois estão na terra. Eu tomo banho nas piscinas do submundo [Netherworld] eu ascendo para o lugar de Shu pertencente ao céu. O que Seth detesta é o Olho de Heru, e eu não vou comer fezes; o que eu detesto é urina, e eu nunca vou bebê-la, assim como Seth detestou o Olho de Heru após o julgamento na grande Mansão-do-Príncipe que está em On. Se alguém o entrega a você, a luta não será interropida, alvoroço não será suprimido, o gado malhado não vai mover-se por si, Seth irá engolir o Olho de Heru por si mesmo após o julgamento na grande mansão do Príncipe que está em On, e se você der isso para mim, não haverá ‘vir a ser’ ou existindo. ”

(Faulkner, V. 11, seção 587, pp. 190).
“Heru colocou ouro em seu Olho, Oh Heru que é N, tome o Olho de Heru em que ele colocou ouro, ele é seu para sempre.

ON Heru que é N, Eu faço com que os dois olhos de Heru subam para você para a sua face. Eu coloco para a sua (. . .) sobre você em seu nome dos Dois Grandes da Magia.

ON Heru que é N, Heru lhe dá seu olho, e ele irá guiá-lo no caminho, sua garganta se abrirá por meio dele, e a água nele é sua para sempre. ”

(Faulkner, V. 111, seção 861, pp. 39)

ON, Eu dou-lhe o Olho de Heru, por causa de qual os deuses foram misericordiosos.

ON, Eu dou-lhe o Olho de Heru; valei-se dele.

ON, Eu dou-lhe o Olho de Heru, que eles guardavam.

ON, Eu dou-lhe o Olho de Heru, do qual Seth comeu.

ON, Eu dou-lhe o Olho de Heru, com o qual a sua boca é aberta. A pupila que está no olho de Heru, Coma-a.

ON, Eu dou-lhe o Olho de Heru, e você não ficará doente.

(Faulkner, seção 157, pp. 135 – 136)


Melanina – Uma Chave Para a Liberdade –
por
Richard King M.D. –
pg. – 44 – 46 –
Melanina e a Glândula Pineal,
Referências Seletas para a Glândula Pineal na Bíblia cristã, Gen. 32: 22-31

Melanina e a Glândula Pineal,
Referências Seletas para a Glândula Pineal, na Bíblia Cristã, Gen. 32: 22-31

.
UM ESTUDO DE ANTIGA HISTÓRIA AFRICANA REVELA COMO O SISTEMA DE MELANINA HUMANO FUNCIONA COMO UM INTEGRAL PRETO SISTEMA DE MELANINA PARA SER O OLHO DA ALMA, PARA PRODUZIR VISÃO INTERIOR, VERDADEIRA CONSCIÊNCIA ESPIRITUAL, GÊNIO CRIATIVO, VISÃO BEATÍFICA, PARA TORNAR-SE SEMELHANTE A DEUS, E PARA MANTER CONVERSAÇÃO COM OS IMORTAIS (ANCESTRAIS).

O OLHO DA VISÃO INTERIOR PARA TODOS OS HUMANOS É O OLHO DE HERU (HORUS, HERMES, MERCÚRIO, SERAPIS, JESUS) O QUAL FOI DADO A HORUS POR TEHUTI (THOT) O DEUS DAMAGIA, DA CIÊNCIA E DA ESCRITA, SOB A DIREÇÃO DE SUA COMPANHEIRA FEMININA, DEUSA SEFKET – AABUT, PRESIDENTE DA BIBLIOTECA, ELA, QUE É PROVIDA COM SETE CHIFRES.” “(Budge, Wallace, Os Deuses dos Egípcios, Dover Publications, N.Y. V. 1 426 pp. – 427 1969).

ESTA LUZ É O “MENSAGEIRO DA LUZ” O ÚNICO ETERNO INTERNO SOL QUE BRILHA ATRAVÉS DE TODA VIDA.

A PARTIR DOS GRANDES LIVROS DO ANTIGO KEMET (TEXTOS DA PIRÂMIDES, TEXTOS DOS SARCÓFAGOS, LIVRO DA REVELAÇÃO PELO DIA (LIVRO DOS MORTOS) TEXTOS PTOLEMAICOS DE EDFU, 42 LIVROS DE TEHUTI) SÃO OS TEXTOS FUNDAMENTAIS A PARTIR DOS QUAIS FORAM CONSTRUÍDOS OS OUTROS GRANDES LIVROS DE RELIGIÃO, TAIS COMO A BÍBLIA CRISTÃ.

“Aquilo que é conhecido como a religião cristã existiu entre os antigos, e nunca foi não existente, desde o início da raça humana, até o momento em que Cristo veio em carne, momento em que a verdadeira religião, que já existia, começou a ser chamada de Cristianismo. “(Santo Agostinho, retract. I, xiii, citado pelo Dr. Alvin Boyd Kuhn, Shadow of the Third Century, Elizabeth, N.J., Academy Press, pp. 3, 1949, John G. Jackson, Cristianismo Antes de Cristo, American Atheist Press , Austin Texas, 1 pp., 1985).

As principais seções dos Grandes Livros do Antigo Kemet eram o produto das descobertas e revelações dos homens e mulheres Africanos professores médicos da Ordem Pstophori, Per Ankh (Casa da Vida) Seção do Sistema da Universidade Kemética (Sistema de Mistério).

Este Sistema Universitário foi a “ESPINAH DORSAL” DA CULTURA KEMÉTICA (EGÍPCIA), existindo como uma intacta  Academia Educacional antes dos Hebreus e mais de 4000 anos antes dos Gregos Biblioteca e Museu de Alexandria em Alexandria, Egito, no século III a.C., (Ben-Jochannan, Yosef, Origens Africanas das Principais Religiões Ocidentais, Black Classic Press, Baltimore, Md.)

Assim, há referências ao OLHO DE HERU nos Grandes Livros Keméticos para a história, anatomia, química e psiquiatria biológica e há similares referências “QUANTITATIVAS DE MEDICINA CLÍNICA” para o OLHO DA ALMA, OLHO DE HERU, GLÂNDULA PINEAL, na Bíblia Cristã.

Talvez nós, os alunos, podemos estudar e refletir sobre os fragmentos dos escritos de nosso ancestrais como eles aparecem no LIVRO SAGRADO, A BÍBLIA DO CRISTIANISMO, EM Gênesis 32,22-31.

“Naquela noite Jacó levantou-se, tomou suas duas mulheres, suas duas servas e seus onze filhos para atravessar o lugar de passagem do Jaboque.”

“Depois de havê-los feito atravessar o ribeiro, fez passar também tudo o que possuía.”

“E Jacó ficou sozinho. Então veio um homem que se pôs a lutar com ele até o amanhecer.”

“Quando o homem viu que não poderia dominá-lo, tocou na articulação da coxa de Jacó, de forma que lhe deslocou a coxa, enquanto lutavam.”

“Então o homem disse: ‘Deixe-me ir, pois o dia já desponta’. Mas Jacó lhe respondeu: ‘Não te deixarei ir, a não ser que me abençoes’.

“O homem lhe perguntou: “Qual é o seu nome? ” ’Jacó’, respondeu ele.

“Então disse o homem: ‘Seu nome não será mais Jacó, mas sim Israel, porque você lutou com Deus e com homens e venceu”.

“Prosseguiu Jacó: ‘Peço-te que digas o teu nome’.

“Mas ele respondeu: ‘Por que pergunta o meu nome?’ E o abençoou ali.”

“Jacó chamou àquele lugar Peniel, pois disse: ‘Vi a Deus face a face e, todavia, minha vida foi poupada’.”

“E nascia o sol, quando ele passou de Peniel; e coxeava de uma perna.”

– Gênesis 32:22-31 –

Nessa citação bíblica estão referências ao NOME, GLÂNDULA PINEAL (PENIEL, PENUEL), descrevendo um EVENTO, (MUDANÇA DE NOME), em uma LOCALIZAÇÃO ANATÔMICA, (JUNTURA DA COXA), por DUAS FORMAS DE LUZ DO AMBIENTE, (LUZ SOLAR, E NOTURNA ), que controlam a liberação do hormônio MELATONINA da Glândula Pineal  durante a LUZ NOTURNA DA LUA e SEROTONINA durante A LUZ SOLAR, DIURNA.

Talvez se possa considerar a interpretação simbólica das palavras-chave encontradas nesta cotação. (Dicionário Metafísico da Bíblia [Metaphysical Bible Dictionary], Unity School of Christianity, Unity Village, Missouri) –

1. Peniel –  virado para Deus; face de Deus; dentro da presença de Deus; Semblante de Deus; visão de Deus; reconhecimento de Deus; Graça a Deus; compreensão de Deus. Metafísico – A realização interior da presença divina, de ter sucedido através da oração em alcançar o favor divino e bênção que foi procurada. (voltado para Deus);

2. Israel – lutando por Deus, buscando a Deus; aquele que prevalece com Deus; um príncipe com Deus; domínio com Deus; regência com Deus. (ISRAEL, IS RA EL (O DEUS), O ETERNO INTERNO SOL). Metafísico – A mente controla o corpo através dos nervos, e um grande nervo, o ciático, desce a perna através da juntura da coxa. A vontade atua diretamente através deste nervo quando o indivíduo, através de sua mentalidade ou entendimento [understanding] (Jacó), exerce o seu EU SOU (ALMA, MENTE SUPERIOR) poder sobre o homem natural em uma tentativa de fazer unidade entre Espírito e o divino-natural, há um desapego da vontade humana (coxa de Jacó desconjuntada). Uma grande luz de compreensão rompe na alma aguerrida quando se descobre que há um corpo divino-natural, e ela apega-se àquela força e vida interior em perpétuo vigor. Força em ambos, espiritual e material. KM-WR (Preto perfeito).


Melanina – Uma Chave Para a Liberdade –
por
Richard King M.D. –
pg. – 47 – 49 –
Melanina, Visão Interior, Simbolismo Preto, Islã e a El’Kaaba em Meca

Pg. 47

Melanina, Visão Interior, Simbolismo Preto, Islã e a El’Kaaba em Meca

.

UM ESTUDO DA HISTÓRIA AFRICANA ANTIGA REVELA UMA ANTERIOR DEFINIÇÃO AFRICANA DO SISTEMA DE MELANINA HUMANA COMO UM (INTEGRAL) SANTO CORPO PRETO [(WHOLE) HOLY BLACK BODY] (HBB) QUE SERVE COMO O OLHO DA ALMA PARA PRODUZIR VISÃO INTERIOR, VERDADEIRA CONSCIÊNCIA ESPIRITUAL, GÊNIO CRIATIVO, VISÃO BEATÍFICA, PARA TORNAR-SE SEMELHANTE A DEUS, E MANTER CONVERSAÇÃO COM OS IMORTAIS (ANCESTRAIS). O PROPÓSITO DA ANTIGA EDUCAÇÃO AFRICANA ERA PROPORCIONAR CONHECIMENTO E DESENVOLVIMENTO DA VONTADE DO ESTUDANTE QUE PERMITIA A SALVAÇÃO (LIBERDADE) DA ALMA DOS  GRILHÕES (CORRENTES) DO CORPO FÍSICO. (George James, Stolen Legacy, Capítulo 3, U.B. & U.S. Communications Systems, Inc.).

ESTE OLHO É O “MENSAGEIRO DA LUZ”, DO UM ETERNO SOL QUE BRILHA ATRAVÉS DE TODA VIDA.
A PARTIR DOS GRANDES LIVROS DA ANTIGA KEMET (TEXTOS DAS PIRÂMIDES, TEXTOS DOS SARCÓFAGOS, LIVRO DA REVELAÇÃO DO DIA [LIVRO DOS MORTOS], TEXTOS PTOLEMAICOS DE EDFU, 42 LIVROS DE TEHUTI) ESTÃO OS TEXTOS FUNDAMENTAIS A PARTIR DOS QUAIS FORAM CONSTRUÍDOS OS OUTROS GRANDES LIVROS DE RELIGIÃO TAIS COMO O LIVRO SAGRADO, O CORÃO DO ISLÃ;

“629 D.C., A.H. 7, foi o ano que (PROFETA) Muhammad voltou para Meca a partir de Medina, onde ele foi forçado a correr e se esconder. Ele marcou a data em que o tratado de acordo entre o governo que o (PROFETA) Maomé havia formado com Bilal em seus seis anos de exílio no Oásis de Yathrib, em Medina, e o governo do qual ele havia fugido em Meca.

Entre estas duas datas (622 – 629 D.C. ou A.H. 1 – 7), no entanto, o governo em Meca testemunhou uma conversão em massa de seus cidadãos da adoração da deusa Al’lat e El Ka’aba (a Pedra Preta Meteorito da Etiópia , África Oriental).
Estas religiões estabelecidas, tinham durante séculos representado as estruturas morais e religiosas do governo em Meca. . .

O (PROFETA) Maomé retornou triunfalmente para Meca. Ele e seus fiéis seguidores no Islã (a “nova religião”) adotaram Meca como a sua “CIDADE SANTA.” Eles também adotaram a El Ka’aba (Pedra Preta Meteorito, da Etiópia).

Mas eles rejeitaram completamente a pagar qualquer outra homenagem à Deusa Al’lat, que foi substituída pelo Deus Al’lah. . .

As seguintes são as Deusas do Islã que se tornaram as três “FILHAS DE AL’LAH”.

Al-lat, a Deusa do Sol, Al-Manat, a Deusa de Vênus, Al-Uzzah, A Deusa da Fortuna. ”

(Ben-Jochannan, Origens Africanas das Principais Religiões Ocidentais, Black Classic Press, Baltimore, Maryland, pp. 214-215).

Quanto à verdadeira visão (visão externa e interna) da El Ka’aba em Meca, um seguidor do Islã observou:

“Ele quer dizer que a mínima das ciências da proximidade (proximidade com Deus) é que quando você olha (consciência, atenção, meditação) para qualquer coisa, sensivelmente ou intelectualmente ou de outra forma, você deve estar consciente de contemplar a Deus com uma visão mais clara do que a sua visão daquela coisa.

Existem diversos graus nesta matéria. Alguns místicos dizem que eles nunca vêem nada sem ver Deus antes ou ‘com aquilo’, ou eles dizem que não vêem nada, mas Deus.

Um certo Sufi disse: ‘Eu fiz a peregrinação e vi a Ka’ba’.
Esta é a percepção de alguém que está velado. Então ele disse: ‘Eu fiz a peregrinação de novo, e ambos a Ka’ba e o Senhor da Ka’ba. Esta é contemplação  do Auto-subsistência (Self-substance) através da qual tudo subsiste, ele viu a Ka’ba.’

Então ele disse: ‘Eu fiz a peregrinação pela terceira vez, e eu vi o Senhor da Ka’ba, mas não a Ka’ba. Esta é a estação de waqfat (falecer em essência [passing-away in essence]). No presente caso, o autor está se referindo à contemplação da Auto-subsistência. [self-subsistence]”

(Nicholson, Reynold A., Os Místicos do Islã, [The Mystical of Islam] Shocken Book, New York, pp. 57-58, 1975).

Assim, para muitos seguidores do Islã a experiência de ver o a Pedra Preta Meteorito El Ka’aba em Meca evoca a imagem da visão interior e experiência de Deus.

Este evento de visão interior era provável que tenha sido experimentado pelos mesmos Africanos que trouxeram a Pedra Preta da Etiópia para a Arábia muito antes do nascimento do PROFETA MAOMÉ.

É igualmente importante notar que, em Kemet, a genética filha da Etiópia, às Pedras Pretas era dado Valor Divino.
Pedras Pretas eram muitas vezes colocadas como as todo – pretas pedras de capeamento [capstone] do Pyramidion sobre o topo das pirâmides, também na sala [room] toda de pedra Preta (granito rosa sendo um granito Preto com manchas de vermelho) como a Câmara do Rei [King’s Chamber] que é a sala mais elevada no interior do Grande Pirâmide de Giza; e também em um sistema especial de medição utilizado pelos Kamitas [Kamites] quando se trabalhava em Pedra Preta, o Cúbito Preto ou Côvado Nilomético, (King, Richard, Origem Africana de Psiquiatria Biológica, pp. 22).

Os antigos professores Africanos da antiga Universidade Kemética, O Sistema Mistério de Kemet, construíram pirâmides como templos réplicas simbólicas do templo humano, o corpo humano, que continha a alma humana, a parte superior do corpo humano contendo um velado, OLHO PRETO DE VISÃO INTERIOR, O OLHO DE HERU, A GLÂNDULA PINEAL A QUAL ERA PARTE DO SANTO CORPO PRETO (HBB) E SERVIA PARA MEDIAR O RELACIONAMENTO HUMANO PARA A LUZ SOLAR E LUNAR. [SUNLIGHT AND MOONLIGHT].

“Osiris como doador de luz, na lua foi dividido em quatorze pedaços durante a segunda metade da lunação pelo malvado Sut, o poder de oposição das trevas. Ele foi ajuntado novamente e reconstituído por seu filho, amado Horus, o jovem deus solar.

Esta representação não poderia ter sido feito, até que fosse conhecido que a luz era reabastecida mensalmente a partir da fonte solar. Então Horus como o deus-sol e o vencedor de Sut, o poder das trevas, poderia ser chamado de o reconstituidor de Osíris na Lua. (Gerald Massey, Egito Antigo [Ancient Egypt], V. 1, pp. 187).

“Nos monumentos, Osiris é visto às vezes como uma múmia com cabeça humana, segurando os emblemas de poder, e usando em sua cabeça a imagem de uma lua cheia dentro de uma CRESCENTE…

Havia dois conjuntos de Mistérios. Osiris (masculino, sol) era o deus dos Mistérios Maiores, e Isis (Feminino, Lua) era adorada nos Mistérios Menores. ”

(Jackson, John, Cristianismo Antes de Cristo, [Christianity Before Christ] p. 137).


Melanina– Uma Chave Para a Liberdade –
por
Richard King M.D. –
pg. – 50 – 52 –
Melanina, A Derivação do Nome a Partir da Palavra Grega Melanos. O Nome Kemético para Preto sendo Km

Melanina, A Derivação do Nome a Partir da Palavra Grega Melanos.
O Nome Kemético para Preto sendo Km

.

UM ESTUDO DA HISTÓRIA AFRICANA ANTIGA REVELA UMA ANTERIOR DEFINIÇÃO AFRICANA DO SISTEMA DE MELANINA HUMANA COMO UM (INTEGRAL) SANTO CORPO PRETO [(WHOLE) HOLY BLACK BODY] (HBB) QUE SERVE COMO O OLHO DA ALMA PARA PRODUZIR VISÃO INTERIOR, VERDADEIRA CONSCIÊNCIA ESPIRITUAL, GÊNIO CRIATIVO, VISÃO BEATÍFICA, PARA TORNAR-SE SEMELHANTE A DEUS, E MANTER CONVERSAÇÃO COM OS IMORTAIS (ANCESTRAIS). O PROPÓSITO DA ANTIGA EDUCAÇÃO AFRICANA ERA PROPORCIONAR CONHECIMENTO E DESENVOLVIMENTO DA VONTADE DO ESTUDANTE O QUE PERMITIA A SALVAÇÃO (LIBERDADE) DA ALMA DOS GRILHÕES (CORRENTES) DO CORPO FÍSICO.
(George James, Stolen Legacy, Capítulo 3, U.B. & U.S. Communications Systems, Inc.).

MELANINA É O QUÍMICO DA VIDA, O QUÍMICO DA ALMA, UMA PORTA TRANSFÍSICA ATRAVÉS DA QUAL  AS ONDAS DE ENERGIA DOS SANTOS ALMA, ESPÍRITO E MENTE PASSAM PARA TOMAR FORMA COMO O SANTO CORPO PRETO.

ANTIGOS AFRICANOS EM KEMIT (EGITO) VIAM TODOS OS CONTEÚDOS DO AMENTA (O SUBMUNDO = INCONSCIENTE PESSOAL [MENTE]. SUPER CONSCIENTE [ALMA], INCONSCIENTE COLETIVO [ESPÍRITO] COMO PRETOS AZEVICHE NA COR [JET BLACK IN COLOR].

Melanina é um nome Grego para a cor preta que foi tomado a partir da palavra Grega Melanos que significa Preto. O nome Keméticoantigo (Egípcio) para o preto era KM (pronunciado em Inglês como Keme).

Budge escreveu, (Budge, Wallis, Egyptian magic, Dover Publications, Inc., New York, 1971,) “Um dos nomes mais antigos do Egito é “Kamt “,”Qemt “, uma palavra que significa “preto” ou “escuro”, . . . OsEgípciosCristãosou Coptas transmitiram a palavra sob a forma Kheme para osGregos, Romanos, Sírios e Árabes.

Ha um período muito precoce os Egípcios eram famosos por sua habilidade no trabalho de metais e em suas tentativas de transmutá-los, e, de acordo com escritores Gregos, eles empregaram azougue (mercúrio) nos processos pelos quais eles separavam o ouro e prata do minério nativo.

A partir destes processos resultava um pó “negro”[azeviche] [a (Jet) “black” powder] ou substância que era suposta de  possuir os mais maravilhosos poderes, e de conter em si as individualidades dos vários metais; e nele suas verdadeiras substâncias eram incorporadas.

De uma forma mística este pó “preto”[“black” powder] era identificado com o corpo que o deus Osíris era conhecido por possuir no submundo, e a amboseram atribuídas qualidades mágicas, e ambos eramconsideradospor ser fontes de vida e poder . . . a crença de que poderes mágicos existiam em fluxos e ligas; e a arte de manipular os metais, foram descritas pelo nome “Khemeia”, isto é, “a preparação do minério de preto” (ou “pó”) [“powder”] que era considerado como o princípio ativo na transmutação de metais. À este nome os Árabes afixaram o artigo al, e assim a palavra Al-Khemeia, ou Alquemia.”

Por favor, considere o significado literal da palavra Al-Khemiea ou Alquimia que é
AL (O DEUS) – Khemeia (PRETO) ou O DEUS PRETO (ALQUEMIA).

Por favor considere, as palavras de Marimba Ani (Ani, Marimba, Yuguru, Uma Crítica Africano-Centrada do Pensamento e Comportamento Cultural Europeu [An African-Centered Critique of European Cultural Thought and Behavior], African Word Press, Inc. Trenton, New Jersey, pp. 469-471, 1994),

um nível inferior sobre-todos de integração do sistema nervoso, menor atividade da glândula pineal, e maior exemplo de calcificação pineal.

“Com menos melanina (os Europeus), poderíamos esperar um nível inferior sobre-todos de integração do sistema nervoso, menor atividade da glândula pineal, e maior exemplo de calcificação pineal.

Isto, por sua vez, pode limitar o acesso à função do lado direito  do cérebro associada com a glândula pineal; por exemplo, o desenvolvimento de intuitividade holística, pensamento “global” [“global” thinking], a habilidade de compreender verdades espirituais . . .

melanina e a glândula pineal são as chaves para uma consciência espiritual mais profunda no nível o qual os seres humanos podem integrar seu entendimento/conhecimento para alcançar verdades metafísicas que destravam as portas do   inconsciente escuro, trazendo consigo um emocional, e psicológico senso de segurança: uma unicidade consigo [oneness with self], uma paz interior . . .

O medo (Europeu) de seus inconscientes, eus ancestrais [ancestral selves] se manifesta como um medo dos outros . . . Africanos – suas ‘mães’, ‘pais’, sua origem – se torna o mais temido ‘outro’.

Eles temeram aquilo que eles eram incapazes de conhecer, o que veio a representar para eles a sensação de uma perda de controle, de caos, de desordem.

Pois a realidade espiritual torna-se opressiva [overwhelming], se a pessoa perde sua conexão . . . a negritude passou a representar o mal (para os Europeus e Escravos mentais Africanos) e o motivo porque o ‘lado negro’ tornou-se ameaçador.

A negritude, aliás, era o reino espiritual, metafísico para o qual os Europeus tinham pouco ou nenhum acesso.
O ‘lado negro’ desta era a visão interna do inconsciente que abria a porta para a comunicação com os símbolos e sabedoria ancestrais”.
Por favor, considere os escritos dos nossos Ancestrais Keméticos, Textos dos Sarcófagos, de mais de 4.000 anos atrás (Faulkner, R.O., The Ancient Egyptian Coffin Texts [Os textos dos Sarcófagos dos Antigos Egípcios], V. 1-111, Airs & Phillips, Ltd., Warminister, Wilts, Inglaterra, V. 1 ., pp. 135-136., 1978).

“Aconteceu que Re’ (Deus Sol Ra) disse a Heru: ‘Deixe-me ver seu olho desde que isso aconteceu a ele’. Ele olhou para ele e disse: ‘Olhe para o traço (preto) [(Black) stroke] com a sua mão cobrindo o Olho do Som [Sound Eye] que está lá’
Heru olhou para aquele traço e disse: ‘Eis que eu estou vendo-o como totalmente branco ‘ e é assim que o órix veio a existir. E Re’ disse: ‘Olhe novamente para aquele porco preto’.
E Heru olhou para este porco preto, e Horus chorou por causa da condição de seu injuriado Olho, dizendo: ‘Eis que o meu Olho é como aquele primeiro ferido que Seth infligiu em meu Olho’, e Horus ficou inconsciente em sua presença.
E Re’ disse: ‘Coloque-o em sua cama até que ele esteja bem’. Acontece que Seth havia se transformado em um porco e tinha projetado um ferimento em seu olho.
O porco é detestável para Horus.”

Jung (Jung, C.G., Psychology and Alchemy [Psicologia e Alquimia], V. 12, The Collected Works of C.G. Jung, Bollingen Series XX, Princeton University Press, pp. 389 1974), escreveu, “A verdadeira natureza da matéria era desconhecida do alquimista: . . .  Na tentativa de explorá-la ele projetava o inconsciente (Amenta) na escuridão da matéria, a fim de que iluminá-la . . .  Estritamente falando, a projeção nunca é feita; ela acontece . . . ela era uma ocorrência involuntária.”

Por favor, considere uma visão Africana da Alma (anjo) no Preto Amenta, no túmulo do Corpo, aguardando a salvação para guiar alguém no caminho da vida.
(Foto da Capa da Frente do livro de duas formas humanas, a grande alma do anjo da personalidade superior, e o pequeno ego [personalidade inferior, do cubo Preto] Santo Corpo Preto, [Holy Black Body], auto corpo físico reproduzido através da porta de melanina, melanina o químico da vida cujo átomo central é carbono o qual existe na natureza sob a forma de um cubo.)

cubo preto capa melanina

Please consider an African vision of the Soul (angel) in Black Amenta, in the tomb of the Body, awaiting salvation to guide one up the path of life (Front Book Cover picture of the 2 human forms, the large angel soul of higher personality, and the small ego [lower personality, from the Black cube] Holy Black Body, physical body self reproduced through the melanin door, melanin the chemical life whose central atom is carbon which exists in nature in the shape of a cube.)


Melanina– Uma Chave Para a Liberdade –
por Richard King M.D. –
pg. – 53 – 55 –
Molécula de Melanina e Propriedades Estruturais
para a Recepção de Luz Visível e Luz Ultra-Violeta

            Molécula de Melanina e Propriedades Estruturais
para a Recepção de Luz Visível e Luz Ultra-Violeta

.

UM ESTUDO DA HISTÓRIA AFRICANA ANTIGA REVELA UMA ANTERIOR DEFINIÇÃO AFRICANA DO SISTEMA DE MELANINA HUMANA COMO UM INTEIRO PRETO CORPO SISTEMA DE MELANINA [A WHOLE BODY BLACK MELANIN SYSTEM] QUE SERVE COMO O OLHO DA ALMA PARA PRODUZIR VISÃO INTERIOR, VERDADEIRA CONSCIÊNCIA ESPIRITUAL, GÊNIO CRIATIVO, VISÃO BEATÍFICA, PARA TORNAR-ASE SEMELHANTE A DEUS, E PARA MANTER CONVERSAÇÃO COM OS IMORTAIS (ANCESTRAIS). 

O PROPÓSITO DA ANTIGA EDUCAÇÃO AFRICANA ERA PEROPORCIONAR O CONHECIMENTO E DESENVOLVIMENTO DA VONTADE DO ESTUDANTE QUE PERMITIA A SALVAÇÃO (LIBERDADE) DA ALMA DOS GRILHÕES (CORRENTES) DO CORPO FÍSICO.
(George James, Legado Roubado, Capítulo 3, U.B. & U. S. Communications Systems).

MELANINA É O QUÍMICO DA VIDA, O QUÍMICO DA ALMA, UMA PORTA DE TRANSFORMAÇÃO ATRAVÉS DA QUAL AS  ONDAS DE ENERGIA DOS SANTOS ALMA, ESPÍRITO E MENTE PASSAM PARA TOMAR FORMA COMO O CORPO PRETO.

ANTIGOS AFRICANOS EM KEMIT (EGITO) VIAM TODOS OS CONTEÚDOS DO AMENTA (O SUBMUNDO = INCONSCIENTE PESSOAL [MENTE]. SUPER CONSCIENTE [ALMA], INCONSCIENTE COLETIVO [ESPÍRITO] COMO PRETOS AZEVICHE NA COR [JET BLACK IN COLOR].
(Piankoff, Alexandre, The Shrines of Tutankhamun)

Talvez possamos ESTUDAR, APRECIAR e REFLETIR sobre os escritos de nossos ANCESTRAIS ​​como eles aparecem nos GRANDES LIVROS de KEMET antiga (TEXTOS DAS PIRÂMIDES, TEXTOS DOS SARCÓFAGOS, LIVRO DA REVELAÇÃO PELO DIA [LIVRO EGÍPCIO DOS MORTOS]).

Estes antigos textos africanos contêm verdadeiros MAPAS MENTAIS para guiar o movimento da VIDA (LUZ), através da transformacional PORTA DA “COISA FINA” (MELANINA) entre os diferentes reinos da VIDA (LUZ).

[These ancient African Texts contain actual MIND MAPS for guiding the movement of LIFE (LIGHT) through the transformational “FINE STUFF” (MELANIN) DOOR between the different realms of LIFE (LIGHT)]

EXISTEM MUITAS FORMAS DE LUZ QUE ATINGEM A SUPERFÍCIE DE NOSSO PLANETA, TAIS COMO LUAR, E MUITAS FORMAS DIFERENTES  DE LUZ ESTELAR [STAR LIGHT] (BURACOS NEGROS CENTRO GALACTICO, [CENTER GALACTIC BLACK HOLES], ESTRELAS DE NEUTRONS,  GIGANTES VERMELHAS [RED GIANTS], PULSARES, QUASARES), RADIAÇÃO DO NASCIMENTO ORIGINAL DESTA DIMENSÃO DO UNIVERSO FÍSICO [O BIG BANG] E A LUZ (VIDA) DO NOSSO SOL.
EXISTE TAMBÉM UM ETERNO INTERNO SOL QUE SUPORTA TODAS AS DIMENSÕES DE TODOS UNIVERSOS.

No que diz respeito à luz do sol de nosso sistema solar Cesarini escreveu, (Cesarini, J., eventos foto-induzidos no sistema Melanocítico humano: foto-agressão e foto-proteção [Photo-induced events in the human Melanocytic system: hpotoagression and photoprotection], pesquisas com pigmento celular [Pigment cell Research], 1: pp. 223-233, 1988) “A distribuição de energia espectral da luz solar é contínua, estendendo-se de Raios-X até ondas de rádio.
Ela tem sido dividida em regiões de comprimento de onda [wavelength regions], com base em efeitos biológicos bem reconhecidos, correspondentes às absorções pelos cromóforos em bandas de onda específicas.

Após a absorção através da atmosfera superior e inferior terrestre, o espectro solar que atinge a superfície da Terra é composto de radiações UVB, UVA, visíveis e infravermelhas.
O Ozônio é responsável na atmosfera superior por uma absorção completa de UVC, enquanto a baixa atmosfera absorve a maior parte da UVB. No Mar Morto (400 metros abaixo do nível do mar), apenas traços de UV abaixo de
320 nm são detectados.

Entre os cromóforos, melaninas, presentes no estrato córneo e estrato Malpighi [Malpighi stratum], atuam como um filtro, protegendo outros cromóforos, como DNA, dos incidentes UVR.”

Em humanos existem dois tipos diferentes de melanina,
Eumelanina, preta ou marrom na cor, e Feomelanina, vermelha para amarela na cor,
Ito (Ito, Shosuke,Alta-performance, análise de cromatografia líquida (HPLC) de eu-e-feomelanina em melanogênese, [High-performance, liquid chromatography (HPLC) analysis of eu-and-pheomelanin in melanogenesis] J. Invest. Dermatol. 110: 166S-171S, 1993), relatou que é difícil distinguir entre a escura Eumelanina marrom e a Feomelanina castanho avermelhada por inspeção visual.
As diferenças entre os dois tipos de melanina são mais bem determinadas por diferenças no conteúdo elementar. Eumelanina tem um teor de enxofre elementar de 0-1%, enquanto Feomelanina tem um conteúdo de enxofre de
9-12%. A Presença de grandes quantidades de enxofre na Feomelanina produz importantes mudanças estruturais promovendo cadeias curtas de unidade monoméricas se comparadas às longas cadeias de unidades monoméricas encontradas na Eumelanina (Barnes, Carol, 1993).

Ito (1993) relatou, “melanossomos elipsoidais-lamelares são encontrados associados com Eumelanogênese.”
Ito também notou que embora Eumelanina e Fenomelanina sejam ambas produzidas a partir do aminoácido tirosina, o elevado teor de enxofre da Feomelanina conduz à produção de formas intermediárias de 2-S-Cisteinildopa e
5-S-Cisteinildopa que então produzem um derivado benotiazina [benothiazine] e, finalmente, Feomelanina.

Estas três formas intermediárias de Feomelanina são conhecidas por induzir cancro por ligar ao DNA sob exposição à luz UV. Eles não existem na formação de Eumelanina.

(Koch, W.H. and Chedekel, M.R., danos no DNA fotoiniciados por intermediários melanogênicos in vivo, Foto-quim.
Foto-bio. 44: pp. 703-710, 1986) Humanos com alta Feomelanina de pele tem uma alta freqüência de carcinoma de células escamosas da pele, carcinoma de células basais da pele, e em todos os países ocidentais melanomas de pele estão dobrando a cada dez anos. (Cesarini, 1988).

Em 1977, a população humana foi dividida em seis tipos pela sensibilidade da pele à reação foto-tóxica (queimadura solar) [sunburn] de pacientes psoriáticos psoraleno-UVA no dia 7 a seguir à irradiação de 1 hora do sol de meio dia em Junho sob latitude de 40 graus –

[In 1977, the human population was divided into six types by skin sensitivity to phototoxic reaction (sunburn) of psoralen-UVA psoriatic patients on Day 7 following irradiation of 1 hour of miday Sun in June under 40 degree latitude -]

– Tipo I, Caucasiano, sempre queima sem bronzeado,

Tipo II, Caucasiano, sempre queima e leve bronzeado,

Tipo III, Caucasiano, queimadura leve e bom bronzeado,

Tipo IV, Caucasiano, sem queimadura bronzeado escuro,

Tipo V, Mongolóides [Monogoloids], população do Oriente Médio e mestiços [metiss] (tipo racial humano misto), e

Tipo VI, Africanos e Pretos Americanos,

(.Meleski, J.W., Tenbaum, L., Parrish, J. A., Fitzpatrick, T.B., Bleich, H.L., and 28 participating investigators. Oral methoxypsoralen photochemotherapy for the treatment of psoriasis, J. Invest. Dermato. 68: pp. 328-335, 1997).

Estes são dados críticos pois os Caucasianos Tipos I e Tipo II apresentam um risco elevado para o desenvolvimento de várias formas de cancro da pele durante o curso da sua vida adulta, por causa de uma falta de Eumelanina de pele, e a presença de produtos tóxicos de sua Feomelanina de pele sob exposição a luz UV.

Além disso, há diferenças no número e forma de Melanossomos, a vesícula para armazenamento de Melanina dentro do Melanócito da pele. Esta vesícula é transferida para células da pele para se organizar em uma camada sobre o núcleo da célula da pele para a proteção do DNA das células da pele.

Cesarini (Cesarini, 1988) usando a definição de seis protótipos para Melanossomos encontrou que, para os Tipos I e II, os Melanossomos são redondos e em menor número, do Tipo III uma mistura de forma redonda e oval, e do Tipo VI com inúmeros Melanossomos ovóides – Os Tipos I e II têm um menos eficaz (melanossomo denso) escudo sobre o DNA da pele.


Melanina – Uma Chave Para a Liberdade –
por Richard King M.D. –
pg. – 56 – 58 –
Melanina e Neuromelanina

                             Melanina e Neuromelanina

 

UM ESTUDO DA HISTÓRIA AFRICANA ANTIGA REVELA UMA ANTERIOR DEFINIÇÃO AFRICANA DO SISTEMA DE MELANINA HUMANA COMO UM [INTEIRO] SANTO CORPO PRETO [HOLY BLACK BODY – HPP] DE MELANINA [A WHOLE BODY BLACK MELANIN SYSTEM] QUE SERVE COMO O OLHO DA ALMA PARA PRODUZIR VISÃO INTERIOR, VERDADEIRA CONSCIÊNCIA ESPIRITUAL, GÊNIO CRIATIVO, VISÃO BEATÍFICA, PARA TORNAR-SE SEMELHANTE A DEUS, E PARA MANTER CONVERSAÇÃO COM OS IMORTAIS (ANCESTRAIS). 

O PROPÓSITO DA ANTIGA EDUCAÇÃO AFRICANA ERA PROPORCIONAR O CONHECIMENTO E DESENVOLVIMENTO DA VONTADE DO ESTUDANTE QUE PERMITIA A SALVAÇÃO (LIBERDADE) DA ALMA DOS GRILHÕES (CORRENTES) DO CORPO FÍSICO.
(George James, Stolen Legacy [Legado Roubado], Capítulo 3, U.B. & U. S. Communications Systems).

MELANINA É O QUÍMICO DA VIDA, O QUÍMICO DA ALMA, UMA PORTA DE TRANSFORMAÇÃO ATRAVÉS DA QUAL AS ONDAS DE ENERGIA DOS SANTOS ALMA, ESPÍRITO E MENTE PASSAM PARA TOMAR FORMA COMO O SANTO CORPO.

OS ANTIGOS AFRICANOS EM KEMIT (EGITO) VIAM TODOS OS CONTEÚDOS DO AMENTA (O SUBMUNDO = INCONSCIENTE PESSOAL [MENTE], SUPER CONSCIENTE [ALMA], INCONSCIENTE COLETIVO [ESPÍRITO] COMO PRETOS AZEVICHE NA COR [AS JET BLACK IN COLOR].

(Piankoff, Alexandre, The Shrines of Tutankhamun)

Talvez possamos ESTUDAR, APRECIAR e REFLETIR sobre os escritos de nossos ancestrais como eles aparecem nos GRANDES LIVROS de KEMET antiga (TEXTOS DAS PIRÂMIDES, TEXTOS DOS SARCÓFAGOS, LIVRO DA REVELAÇÃO PELO DIA [LIVRO EGÍPCIO DOS MORTOS]).

Estes antigos TEXTOS AFRICANOS contêm verdadeiros MAPAS MENTAIS para guiar o movimento da VIDA (LUZ), através da transfísica PORTA DA “COISA FINA” (MELANINA) entre os diferentes reinos da VIDA (LUZ).

Strzelecka (Strzelecka, T. A hypothetical structure of melanin and it’s relation to biology, Physiol. Chem. Phys. [Uma estrutura hipotética de melanina a sua relação à biologia, fisiol. Quím. Fís.] 14: pp. 233-237 PP, 1982)
tem apresentado percepções [insights] sobre o papel da estrutura de melanina é o seu espectro de absorção óptica; o coeficiente de absorção é quase constante entre 400 e 700 nm ainda sobe rapidamente em direção ao comprimento de onda mais curto.” (Crippa, P.R., Cristoletti, V., Romeo, N.A., band model for the melanin deduced from optical absorption and photoconductivity experiments [modelo de banda para a melanina deduzido a partir de experimentos de absorção óptica e fotocondutividade]. Biochem. Biophys. Acta. 538: pp. 164, 1978) Melanina foi mostrada por McGinness que quando absorvendo ultra-som na região de 1 MHz era convertida numa forma que matava as células cancerosas. (McGinness, J.E., Corry, P.M., Amour, E., drugs and ultrasound induced cytoxicity, [Citotoxidade induzida por ultra-som e drogas], Pigment Cell, 2: pp. 316, 1976)
Strzelecka observou que Melanina sintética e Melanina Natural,  Melanina do cabelo, tem semelhança geral, mas ligeiramente diferentes regiões de absorção óptica de luz.

Melanina sintética com três regiões de absorção: 14:46 – 1,85 eV, 1,85-3,5 eV, e acima de 3,5 eV, que correspondem a regiões de comprimento de onda de LUZ de 850-670 nm, 670-355 nm, e inferior a 355 nm.

Melanina do cabelo tem duas regiões de absorção:
01:57 – 3.4 eV e acima de 3,4 eV, que correspondem a regiões de comprimento de onda de 790-365 nm de LUZ e abaixo de 365 nm.

Uma parte absorvia LUZ na faixa visível (1,57-3,4 eV). Enquanto que a segunda parte do polímero de Melanina absorvia LUZ na região do ultravioleta (acima de 3,4 eV).

Strzelecka aceitou a teoria de que o polímero de melanina sendo composto por duas pilhas de diversos grupos planares paralelas umas às outras. (Thatachari, Y. Structure of melanins [Estruturas de melaninas], Ibid, 1: pp. 158, 1973 e Kono, R., Yamaoka, T., Yoshizaki, H., McGinness, J.E., Anomalous absorption and dispersion of sound waves in diethylamine melanin [Absorção e dispersão anômala de ondas sonoras em melanina dietilamina], J. Appl. Phys., 50: pp. 1236, 1980)

As unidades monoméricas na melanina têm absorção na região da LUZ visível com a interação entre elas resultando em mudanças de pilha em direção aos maiores comprimentos de ondas de LUZ visível.

O polímero de melanina foi visto como tendo um “núcleo” [“core”] com unidades monoméricas ligadas ao núcleo [“core”] que durante a degradação das próprias pilhas, podem ser destruídas, mas ainda são capazes de absorver LUZ na região visível.

Strzelecka notou, “o núcleo também se torna destruído, mas continua capaz de absorve a radiação de UV (LUZ). . . Provavelmente essa é a razão pela qual a melanina foi “escolhida” no processo de evolução como uma substância que melhor pode proteger as células dos tecidos exteriores contra os danos da radiação, o que explica por que encontramos este polímero em tantas espécies, de plantas a seres humanos.”

ISTO SE APLICA À FORMA DE MELANINA EUMELANINA, PRETA PARA O MARROM NA COR, MAS NÃO À FEOMELANINA, QUE É VERMELHA PARA O AMARELO NA COR. FEOMELANINA SE COMPORTA DE FORMA DIFERENTE QUANDO EXPOSTA À LUZ UV.
(Menon, I.A., Persad, S., Haberman, H.F., Kurian, C.J., A comparative study of the physical and chemical properties of melanins isolated from human Black and red hair. [Um estudo comparativo das propriedades físicas e químicas de melaninas isoladas de cabelo preto e vermelho humano]. J. Invest. Dermatol., 80: Pp. 202-206, 1983).

Cesarini (Cesarini, J., Photo-induced events in the human melanocytic system: photoagression and photoprotection [eventos Foto-induzidos no sistema Melanocítico humano: foto-agressão e foto-proteção]. Pigment Cell Research., 1: pp. 223-233, 1988) relatou,
“Feomelanina tornou-se mutagênica (produziu câncer) após exposição a luz – UV de longo comprimento de onda, encontrando consistência com a hipótese de mutação somática induzida por UV para a origem das sardas [freckles]. . . e a alta suscetibilidade dos ruivos e louros para alterações na pele induzidas por luz solar.

Koch (Koch, W.H., e Chedekel, M.R., Photoinitiated DNA damage by melanogenic intermediates in vitro
[Danos Foto-iniciados no DNA por intermediários melanogênicos in vitro], Photochem. Photobiol., 44: pp. 703-710, 1986) descreveu danos foto-iniciados de DNA por intermediários melanogênicos de origem 5-S-cysteinyl 1-dopa.

A ligação desta molécula para o DNA é ativada pelos 300 nm de luz UV, juntamente com a indução de quebras nos filamentos individuais no DNA. . .

Menon (1983) encontrou que o cabelo vermelho (feomelanina) continha mais S (enxofre) do que as melaninas de cabelo preto (eumelanina). . .

Tem sido demonstrado que a incidência de carcinoma de células escamosas da pele e carcinoma basocelular surgem com alta freqüência em grupos de pessoas com olhos azuis – verdes, tez clara, cabelos claros e vermelhos. . .

em todos os países ocidentais, o número de casos de melanomas de pele estão dobrando a cada dez anos. ”


Melanina – Uma Chave Para a Liberdade –
por Richard King M.D. –
pg. – 59 – 61 –
Melanina e a Teoria Eletromagnética da Vida

                     Melanina e a Teoria Eletromagnética da Vida

UM ESTUDO DA HISTÓRIA AFRICANA ANTIGA REVELA UMA ANTERIOR DEFINIÇÃO AFRICANA DO SISTEMA DE MELANINA HUMANA COMO UM [INTEIRO] SANTO CORPO PRETO [HOLY BLACK BODY – HPP] DE MELANINA [A WHOLE BODY BLACK MELANIN SYSTEM] QUE SERVE COMO O OLHO DA ALMA PARA PRODUZIR VISÃO INTERIOR, VERDADEIRA CONSCIÊNCIA ESPIRITUAL, GÊNIO CRIATIVO, VISÃO BEATÍFICA, PARA TORNAR-SE SEMELHANTE A DEUS, E PARA MANTER CONVERSAÇÃO COM OS IMORTAIS (ANCESTRAIS). 

O PROPÓSITO DA ANTIGA EDUCAÇÃO AFRICANA ERA PROPORCIONAR O CONHECIMENTO E DESENVOLVIMENTO DA VONTADE DO ESTUDANTE QUE PERMITIA A SALVAÇÃO (LIBERDADE) DA ALMA DOS GRILHÕES (CORRENTES) DO CORPO FÍSICO.
(George James, Stolen Legacy [Legado Roubado], Capítulo 3, U.B. & U. S. Communications Systems).

MELANINA É O QUÍMICO DA VIDA, O QUÍMICO DA ALMA, UMA PORTA TRANSFORMACIONAL ATRAVÉS DA QUAL AS ONDAS DE ENERGIA DOS SANTOS ALMA, ESPÍRITO E MENTE PASSAM PARA TOMAR FORMA COMO O SANTO CORPO.

A Melanina está presente nas células do cérebro, Neurônios, em muitos locais diferentes em todo o Cérebro.

A Melanina encontrada em tais locais é conhecida como Neuromelanina.

(Graham, D.G., The Origin and Significance of Neuromelanin [A Origem e Significado da Neuromelanina], Arch Pathol. Lab. Med. 103; pp. 359-362, 1987; Lindquist, N.G.,Neuromelanin and its Possible Protective and Destructive Properties [Neuromelanina e Suas Possíveis Propriedades Protetoras e Destrutivas], Pigment Cell Research 1: Pp. 133-136 Bazelon, M., Estudos sobre Neuromelanina 1. A Melanin System in the Human Adult Brainstem [Um Sistema de Melanina no Tronco Cerebral Humano Adulto] Neurology, 17;  pp. 512-519, 1967; Fenichel, G.M., Studies on Neuromelanin [Estudos sobre Neuromelanina]. II Melanin in the brainstem of Infants and Children [Melanina no Tronco Cerebral de Bebês e Crianças]. Neurology, 18: pp. 817-820,1968: Lacy, M. Neuromelanin: A hypothetical component of bioelectronic mechanisms in brain function [Um componente Hipotético de Mecanismo Bioeletrônico em Processos Bioeletrônicos Envolvendo Neuromelanina], J. theor Biol., 111: pp. 201-204, 1984; McGinness, J., A New View of Pigmented Neurons [Uma Nova Visão de Neurônios Pigmentados], J. theor Biol. 115: pp. 474-476, 1985: Marsden, C.D., Brain Melanin [Melanina Cerebral]. In: Pigments in Pathology. M. Wollman Ed. Academic Press, New York, pp. 395-420, 1969; Mann, D.M.A., The Effect of Aging on the Pigmented Nerve Cell of The Human Locus Coeruleus and Substantia Nigra [O Efeito do Envelhecimento Sobre a Célula Nervosa Pigmentada do Locus Coeruleus e Substantia Nigra Humana], Acta Neuropathol. [Berl.] 47; pp. 93-97, 1979).

De acordo com Lindquist (1987), “Muitas das propriedades da Neuromelanina são semelhantes àquelas de outros tipos de Melanina, mas a Neuromelanin difere da Melanina presente nos Melanócitos em alguns aspectos: Ela pode ser formada, principalmente, por outras enzimas além da tirosinase ou, pelo menos em parte, autoxidativamente [autoxidatively].”

No entanto, Lacy (1981) relatou, ” Considerando que a tirosinase está envolvida na formação de Melanina ocular –cutânea (olhos, pele), a tirosina-hidroxilase [tyrosinase-hydroxilase] está provavelmente envolvida na formação de Neuromelanina.

Pigmentação normal do cérebro é observada em ratos albinos e seres humanos albinos embora tenham uma deficiência genética de Tirosinase (a enzima fundamental requerida para a formação de Melanina na pele). A Tirosinase não foi encontrada no tecido cerebral, enquanto que a Tirosina Hidroxilase [Tirosine Hydroxylase] não apenas é encontrada, mas ocorre em maiores concentrações nessas regiões do Cérebro (Substantia Nigra e Locus Coeruleus) que contém as maiores concentrações de Neuromelanina. (Neuromelanina no cérebro é formada pela enzima tirosina-hidroxilase e a Melanina na pele é formada pela enzima Tirosinase.)

Tem sido proposto que Neuromelanina é realmente um acumulativo sub-produto do metabolismo da catecolamina. [na accumuating by-product of catecholamine metabolism].

Estudos por Kastin e co-trabalhadores (Kastin, III. Melanin in the Rat Brain [Melanina no Cérebro de Ratos], Brain Res. Bull. 1: Pp. 567, 1976), no entanto, mostram que a concentração de Neuromelanina no cérebro de ratos atinge níveis adultos mais cedo do que a concentração de catecolaminas. A ausência de formação contínua concomitante indica que os dois processos podem ser apenas indiretamente relacionados. ”

Lindquist (1987) observou que “Neuromelanin parece ser muito estável e não é normalmente secretada a partir das células onde se forma. Indivíduos jovens têm pequenas quantidades de Neuromelanina (Bazelon, 1967, Fenichel, 1968), mas no homem o pigmento é acumulado nos Neurônios na Substantia Nigra do Locus Coeruleus até 55-60 anos de idade, quando o nível de Neuromelanina nestas células parece diminuir lentamente (Marsden, 1969, Mann, 1979). A rotatividade da Neuromelanina parece ser extremamente baixa; talvez a única maneira de degradação seja a liberação de grânulos de pigmento de Neurônios danificados e fagocitose por células da Neuroglia (Marsden, 1969).”

Lindquist citou dois possíveis papéis funcionais da Neuromelanina – A Conversão Químicos Radicais Livres Prejudiciais em Energia Vibracional (phonon-electron coupling [acoplamento de Fônon-Elétron], Lacy, 1984) e O Acúmulo de Compostos Químicos, como Aminas e Metais por longos períodos de tempo, com liberação lenta dos agentes , em baixas concentrações não-tóxicas.

Lindquist disse: “É possível que pelo menos dois compostos, MPTP e Manganês, devido à sua Neurotoxicidade direta ou indireta, podem causar lesões em Neurônios contendo Pigmento secundário à sua acumulação nos grânulos de Neuromelanina (doença de Parkinson, distúrbios extrapiramidais semelhantes à doença de Parkinson).

Muitos outros compostos possuem afinidade à Melanina. . . Entre estes agentes, um pesticida, paraquat, que é de interesse porque está quimicamente relacionado com um metabólito de MPTP.

O Paraquat tem sido encontrado quase tão tóxico para o sapo quanto este metabólito de MPTP particular (Barbeau, A., Comparative Behavioral Biochemical and Pigmentary Effects of MPTP [Bioquímica Comportamental Comparada e Efeitos Pigmentares de MPTP], MPP + – e paraquat em Rana pipiens, Life Sci. 37: pp. 1529-1538 , 1985).

Em recente investigação epidemiológica, as maiores taxas de prevalência da doença de Parkinson foram encontradas em áreas rurais agrícolas de elevada utilização de pesticidas. (Barbeau, A., Environmental and Genetic Factors in the Etiology of Parkinson’s disease [Fatores Ambiental e Genéticos na Etiologia da Doença de Parkinson]. Adv Neurol, 45: pp. 299-306, 1986)”.


Melanina – Uma Chave Para a Liberdade –
por Richard King M.D. –
pg. – 62 – 64 –
Melanina e a Transformação dos Cinco Sentidos

Melanina e a Transformação dos Cinco Sentidos

UM ESTUDO DA HISTÓRIA AFRICANA ANTIGA REVELA A DEFINIÇÃO AFRICANA DO SISTEMA DE MELANINA HUMANA COMO UM [INTEIRO] SANTO CORPO PRETO [HOLY BLACK BODY – HPP] QUE SERVE COMO O OLHO DA ALMA PARA PRODUZIR VISÃO INTERIOR, VERDADEIRA CONSCIÊNCIA ESPIRITUAL, GÊNIO CRIATIVO, VISÃO BEATÍFICA, PARA TORNAR-SE SEMELHANTE A DEUS, E PARA TER CONVERSAÇÃO COM OS IMORTAIS (ANCESTRAIS). 

O PROPÓSITO DA ANTIGA EDUCAÇÃO AFRICANA ERA PROPORCIONAR O CONHECIMENTO (ENERGIA) E DESENVOLVIMENTO DA VONTADE (ENERGIA) DO ESTUDANTE QUE PERMITIA A SALVAÇÃO (LIBERDADE) DA ALMA DOS GRILHÕES (CORRENTES) DO CORPO FÍSICO.
(George James, Stolen Legacy [Legado Roubado], Capítulo 3, U.B. & U. S. Communications Systems).

MELANINA É O QUÍMICO DA VIDA, O QUÍMICO DA ALMA, UM CONDUTOR DE ROTATIVIDADE DINÂMICA COMO UM CORO MUSICAL [A CONDUCTOR OF DYNAMIC TURNOVER AS A MUSICAL CHOIR], UMA PORTA TRANSFÍSICA ATRAVÉS DA QUAL AS ONDAS DE ENERGIA DOS SANTOS ALMA, ESPÍRITO E MENTE PASSAM PARA TOMAR FORMA COMO O SANTO CORPO.

ANTIGOS AFRICANOS EM KEMIT (EGITO) VIAM TODO O CONTEÚDO DO AMENTA (O SUBCONSCIENTE = SUBCONSCIENTE PESSOAL [MENTE], SUPERCONSCIENTE [ALMA], INCONSCIENTE COLETIVO [ESPÍRITO] COMO PRETOS AZEVICHE NA COR.)
Pryse (Pryse, J.M., Apocalypse unsealed, [the drama of self conquest] [Apocalipse dês-selado –  O drama da auto conquista] Health Research, Mkelumne Hill, Califórnia, pp. 68, 33-75, 1965),
em 1919, relatou, “Quatro planos de existência no Apocalipse, como:

(1) o Céu (Mundo Espiritual, Forças Noéticas),

(2) Os Rios e Nascentes, Mundo Psíquico (Terra, Mundo Físico, Forças Psico-Mentais,

(3) O Mar (Mundo Fantasmal [Phantasmal World], Forças Psíquicas Animais) e

(4) A Terra (Mundo Físico, Forças Vitais);

Enquanto compreendendo estes quatro está o Ar, o Empírico que é chamado o quinto mundo no sistema de Ptolemaico, embora ele realmente represente os três planos informes (As Três Hipóstases Deíficas) (O Dragão da Luz) – O Primeiro Logos (Amor de Deus), o Segundo Logos (Ideação Divina), e a Virgem (Substância Primordial).

Abaixo do reino do Dragão da Luz e do reino dos Quatro Ventos da Forma era composto da A Besta (Intelecto Frênico), A Prostituta (Os Elements Brutos) e O Pseudo-Profeta (Desejo).

Pryse disse: “Na construção literária (Apocalipse 1: 9) [Rev. 1:9] do Apocalipse segue-se em certa medida o Drama Grego convencional . . . Para literalistas sentimentais o Apocalipse é geralmente aceito como um registro de visões realmente vistas pelo “Vidente de Patmos.”
Isto também pode ser uma referência à Pitágoras, Yacub, ou Jacob?

É importante notar que este modelo do universo cita o quinto mundo no sistema ptolemaico. Cláudio Ptolomeu foi um astrônomo, em 130 d.C., na Biblioteca e Museu de Alexandria a partir das bibliotecas roubadas do Sistema de Mistério da Universidade Africana de Kemit, a Academia Educacional que existiu por mais de 4.000 anos antes da ocupação Grega do Egito em 332 a.C. e posterior ocupação Romana, em 30 a.C.

Assim, verifica-se que o modelo de Pryse baseia-se no modelo de Ptolomeu cujo modelo Greco-Romano continha fragmentos de livros dos antigos Videntes [Profetas] Africanos (Graus 2,3).
(Kuhn, A.B., Who Is This King of Glory, A Critical Study of The Christos-Messiah Tradition [Quem É Este Rei da Glória, Um Estudo Crítico da Tradição do Christos-Messiah], Academia imprensa, Elizabeth, New Jersey, pp. 357-275, 1944)

NO ORIGINAL E KEMÉTICO PAI DO MODELO DE PTOLOMEU (BÍBLIA, APC. 1-22) [BIBLE, REV. 1-22] O SERVIÇO DA MELANINA NO MUNDO PSÍQUICO E MUNDO ESPIRITUAL É PELO FLUXO DE ELÉTRONS ATRAVÉS DE PORTAS DE MELANINA.

[IN THE ORIGINAL AND KEMETIC PARENT OF PTOLEMY’S MODEL (BIBLE, VER. 1-22) THE SERVICE OF MELANIN IN THE PSYCHIC WORLD AND THE SPIRITUAL WORLD IS BY THE FLOW OF ELECTRONS THROUGH MELANIN DOORS].

De acordo com Bulkey (Bulkey, D.H., Na Electromagnetic Theory of Life [Uma Teoria Eletromagnética da Vida], Medical Hypothesis, 30: pp. 281-285) muitos eventos de Forma Viva não podem ser explicados apenas pelo paradigma “Vida-como-Química.”

Bulkey disse, “algumas das falhas do modelo químico atual devem ser listadas de forma a mostrar uma possível necessidade por um paradigma Vida-como-Física.

Química é baseada em ’reações’ que envolvem as transferências discretas de elétrons entre doadores e receptores . Para criar grandes moléculas se requer uma longa série de reações.

Com a física, por outro lado, pode haver fluxos de elétrons como correntes com campos magnéticos intrínsecos . . . Assim, uma Teoria Eletromagnética da Vida pode ser indicada em uma sentença com cinco elementos:

(1) as ultra-estruturas de vida são claramente eletromagnéticas;

(2) as macromoléculas são eletricamente condutoras;

(3) com fechamento de circuito [Loop] de cadeia longa, séries encadeadas, monômeros alto-dipolos vêm a ativação catalítica tipo ‘enzima’

[with loop closure of long-chain, series linked, high dipole monomers comes ‘enzyme’-type catalytic activation];

(4) com “correntes” em circuitos (não-resistivos?) vêm campos magnéticos toroidais e solenoidais; e

(5) com os campos vêm forças atrativas e repulsivas para gerar repetições e motilidades.”
. . .

Com o advento do microscópio eletrônico, vemos uma fina ultra-estrutura que poderia ser considerada descaradamente “eletromagnética”. . . Ao invés de ‘protoplasma’ vemos uma densa matriz de finos filamentos e microtúbulos, que são conectados por membrana. Eles, por sua vez consistem de espirais [coils] e espirais enroscadas [coiled coils], densos circuitos de finos filamentos helicoidais. ”
Devreotes (Devreotes, P.N., G Protein-Linked Signaling Pathways Control the Developmental Program of Dictyostelim [Proteínas G ligadas Sinalizando Processos controlam o Programa de Desenvolvimento de Dictyostelium], Neuron 12: p. 235-241, 1994) relatou: “As ações de uma grande variedade de Neurotransmissores são mediadas por sete receptores hélice (espiral) [coil] transmembranares . . . os receptores para (MELANINA =) serotonina (Melatonina Pineal), dopamina, acetilcolina, odorantes, e luz . . .
Há um novo processo . . . influxo de Ca . . . , através do qual sete receptores hélice transmembranares podem transduzir sinais .”

MELANINA É À TEMPERATURA AMBIENTE UMA PORTA TRANSFÍSICA SEMICONDUTORA/SUPERCONDUTORA PARA O FLUXO DE ELÉTRONS.

(Cope, F.W., Organic Superconductors Phenomena at Room Temperature, Some Magnetic Properties of Dyes and Graphite Interpreted as Manifestations of Viscous Magnetic Flux Lattices and Small Super Conductive Regions, [Fenômenos de Supercondutores Orgânicos à Temperatura Ambiente, Algumas Propriedades Magnéticas de Corantes e Grafite Interpretadas como Manifestação de Viscosos Entrelaçamentos de Fluxo Magnético e Pequenas Regiões Super-Condutoras], Physiological Chemistry and Physics, 13: pp. 99-110, 1981; Bynum, E.B., Transcending Psychoneurotic Disturbances: New Approaches in Psychospirituality and Personal Development [Transcendendo Distúrbios PsicoNeuróticos: Novas Abordagens em PsicoEspiritualidade e Desenvolvimento Pessoal], Harworth Press, Inc., New York, 1994).


Melanina – Uma Chave Para a Liberdade –
por Richard King M.D. –
pg. –65 – 67 –
Melanina, “A Unidade de Melanina Epidermal” como uma Rede Neural de Computador Analógico

Melanina,  “A Unidade de Melanina Epidermal” como uma Rede Neural de Computador Analógico

[Melanin, “The Melanin Epidermal Unit” as a Neural Network Analog Computer]

UM ESTUDO DA HISTÓRIA AFRICANA ANTIGA REVELA A DEFINIÇÃO AFRICANA DO SISTEMA DE MELANINA HUMANA COMO UM [INTEIRO] SANTO CORPO PRETO [HOLY BLACK BODY – HPP] QUE SERVE COMO O OLHO DA ALMA PARA PRODUZIR VISÃO INTERIOR, VERDADEIRA CONSCIÊNCIA ESPIRITUAL, GÊNIO CRIATIVO, VISÃO BEATÍFICA, PARA TORNAR-SE SEMELHANTE A DEUS, E PARA TER CONVERSAÇÃO COM OS IMORTAIS (ANCESTRAIS). 

O PROPÓSITO DA ANTIGA EDUCAÇÃO AFRICANA ERA PROPORCIONAR O CONHECIMENTO E DESENVOLVIMENTO DA VONTADE DO ESTUDANTE QUE PERMITIA A SALVAÇÃO (LIBERTAÇÃO DA ALMA) DOS GRILHÕES (CORRENTES) DO CORPO FÍSICO.
(George James, Stolen Legacy [Legado Roubado], Capítulo 3, U.B. & U. S. Communications Systems).

MELANINA É O QUÍMICO DA VIDA, O QUÍMICO DA ALMA, UMA PORTA TRANSFÍSICA ATRAVÉS DA QUAL AS ONDAS DE ENERGIA DOS SANTOS ALMA, ESPÍRITO E MENTE PASSAM PARA TOMAR FORMA COMO O SANTO CORPO.

Malavor Ukodari tem escrito (Ukodari, M., The Personal Ascension of The Five Senses, Uraeus [A Ascensão Pessoal Dos Cinco Sentidos, Uraeus] Uraeus, 1. (3); 10-14, 53, 1978; Bailey, AA, A tratado sobre Fogo Cósmico, V. 1 e II, Leis Publishing Company, New York, 1925).

“Esta transformação, salvação, (liberdade da alma) é simbólica de uma iniciação, ou seja, a elevação [raising] das qualidades inferiores da personalidade no interesse das superiores.

É um processo espiritual, que tem lugar na alma por lentos degraus, assim como a evolução procede nos planos inferiores.

Transformação (salvação, liberdade da alma) da personalidade ou cinco sentidos – audição, visão, olfato, paladar e tato – é simbólica dos cinco meios de percepção da alma neste nível inferior que corresponde com os cinco elementais – terra,água, ar, fogo, éter –  e os planos

(1) físico,

(2) astral,

(3) mental,

(4) búdico,

(5) átmico.

Os órgãos de ação que produzem karma são:

ação mental (orelhas, som, voz);
disciplina mental (mãos, tato, ânus, sensação);
Entendimento (pés, olfato);
libertação de qualidades inferiores (paladar, boca, ânus e excreção);
e produção das qualidades elevadas (geração, terceiro olho, Glândula Pineal).

Os cinco órgãos dos sentidos são símbolos da consciência sendo transmutada.

Audição [Hearing] no plano físico, torna-se “clariaudiência” [“clairaudence”] no plano astral e dá ao Homem uma idéia de direção relativa que lhe permite fixar a sua direção relativa no esquema e localizar-se.

A audição torna-se “maior clariaudiência” [“higher clairaudence”] no plano mental,
“compreensão” [“comprehension”] no plano búdico e “bem-aventurança” [“Beatitude”] no plano átmico.

Visão no plano físico torna-se “clarividência” [“clairvoyance”] no plano astral, e dá ao Homem essa visão mística que lhe permite perceber visões do eu superior, como este tenta comunicar idéias para a mente consciente de vigília.

Visão torna-se “maior clarividência” [“higher clairvoyance”] no plano mental,

“visão divina” [“divine vision”] no plano búdico,

e “realização” [“realization”] no plano átmico.

Olfato no plano físico torna-se “idealismo emocional” [“emotional idealism”] no plano astral e dá ao homem uma idéia das qualidades inatas que lhe permitem encontrar o que agrada a ele como da mesma qualidade ou essência como a si mesmo.

Olfato torna-se “discernimento espiritual” [“spiritual discernment”] no plano mental,

“idealismo” no plano búdico,

[“todo conhecimento”] [”all knowledge”] no o plano átmico.

Paladar no plano físico torna-se “imaginação” no plano astral, dando ao Homem uma idéia de valor e permitindo-lhe fixar-se sobre aquilo que lhe parece melhor.

No plano mental, paladar torna-se “discriminação” [“discrimination”],

“intuição” [“intuition”] no plano búdico,

e “perfeição” [“perfection”] no plano [átmico.

Transformação sensorial deve ser dominada [mastered] e absorvida na qualidade da alma para alcançar a plena expressão do Eu”.

A.G.E. Pearse (Pearse, A.G.E., Neuroendocrine Embryology and the APUD concept [Embriologia Neuroendócrina e o conceito APUD], Clinical Endocrinology, 1976;

Pearse, A.G.E., The Cytochemstry and Ultrastructure of Polypeptide Hormone-Producing Implications for the Concept [A Citoquímica e Ultra-estrutura das implicações produtoras de hormônios de polipeptídios para o conceito], The Journal of historchemistry and Cytochemistry, 17 (5): pp. 303-313, 1969)

descobriu que muitas glândulas funcionam como grupo unificado,
o grupo APUD, que inclui os Melanócitos, Pineal, hipófise, adrenais, mastócitos, hipotálamo, tireóide, paratireóides, pâncreas e muitas outras glândulas encontradas no estômago, intestinos, pulmões e trato urogenital

(Welbourn, R.B., current status of the apudmoas [estado atual das apudmoas, Annals of Surgery, 185: 1-12 pp., 1977).

Pearse disse: “As células APUD derivam seu nome das letras iniciais de suas três e mais importantes propriedades, a saber:

(1) um elevado teor de amina,

(2) A capacidade de absorção de Precursor de Amina, e

(3) a presença do aminoácido descarboxilase para a conversão do precursor de aminoácido e amina. ”
As aminas envolvidas são a dopamina, noradrenalina [norepinephrine], triptamina, e epinefrina, todas precursores de Melanina.

A SÉRIE DE GLÂNDULAS APUD É A ÁRVORE GLANDULAR DO SANTO CORPO PRETO [HOLY BLACK BODY – HBB] E OPERA COMO UM SISTEMA GLANDULAR ALTAMENTE INTERCONECTADO.

[THE APUD SERIES OF GLANDS ARE THE GLANDULAR TREE OF THE HOLY BLACK BODY (HBB) AND OPERATE AS A HIGHLY INTERCONNECTED UNIFIED GLANDULAR SYSTEM]

Na verdade, todas essas glândulas se originam na precoce forma de vida pré-fetal de Crista de Tubo Neural que, em si, é formada como uma invaginação da Preta pele ectoderma contendo Melanina da mórula/blástula (Morula-Amora [Amora Preta – Black Berry] bola de células formada dentro de horas após a fertilização do óvulo pelo espermatozóide masculino nas trompas de falópio.
Depois de três dias, a mórula, blástula se move para o ventre [Womb] (Ponto Preto, Útero) para desenvolver ainda mais para o feto/criança.

Os primeiros dois hormônios produzidos pelo pré-feto mórula/blástula/gástrula depois de ancorando na parede do útero são HCG e MSH (hormônio estimulante de melanócitos).

Melanina é produzida ao longo da vida, com aumento da quantidade de Neuromelanina nos anos adultos.

Melanina desempenha um papel fundamental na regeneração da forma humana no processo de libertação da alma que, em seguida, energiza a transformação/re-generação do corpo em um novo corpo com Visão Interior extra-sensorial de todos os órgãos sensoriais.


Melanina – Uma Chave Para a Liberdade –
por Richard King M.D. –
pg. – 68 – 70 –
Melanina e a 32ª das 42 Confissões Negativas Keméticas

Melanina e a 32ª das 42 Confissões Negativas Keméticas

.

UM ESTUDO DA HISTÓRIA AFRICANA ANTIGA REVELA A DEFINIÇÃO AFRICANA DO SISTEMA DE MELANINA HUMANA COMO UM [INTEIRO] SANTO CORPO PRETO [HOLY BLACK BODY – HPP] QUE SERVE COMO O OLHO DA ALMA PARA PRODUZIR VISÃO INTERIOR, VERDADEIRA CONSCIÊNCIA ESPIRITUAL, GÊNIO CRIATIVO, VISÃO BEATÍFICA, PARA TORNAR-SE SEMELHANTE A DEUS, E PARA TER CONVERSAÇÃO COM OS IMORTAIS (ANCESTRAIS). 

O PROPÓSITO DA ANTIGA EDUCAÇÃO AFRICANA ERA PROPORCIONAR O CONHECIMENTO (RECEPTOR DE ENERGIA) E DESENVOLVIMENTO DA VONTADE (DOADOR DE ENERGIA) DO ESTUDANTE QUE PERMITIA A SALVAÇÃO (LIBERTAÇÃO) DA ALMA (ENERGIA, ELÉTRON, PONTO PRETO) DOS GRILHÕES (CORRENTES) DO CORPO FÍSICO.
(George James, Stolen Legacy [Legado Roubado], Capítulo 3, U.B. & U. S. Communications Systems).

MELANINA É O QUÍMICO DO SANTO CORPO PRETO (HOLY BLACK BODY – HBB) VIDA. UMA CHAVE PARA A ALMA, UM SUPERCONDUTOR DE ROTATIVIDADE DINÂMICA COMO UM CORAL MUSICAL, UMA PORTA TRANSFÍSICA ATRAVÉS DA QUAL PASSAM AS ONDAS DE ENRGIA DOS SANTOS ALMA, ESPÍRITO, E MENTE PARA TOMAR FORMA COMO O SANTO CORPO PRETO.

MELANINA É UM SEMICONDU-TOR [SEMICONDUC-TOR] /SUPERCONDUTOR PARA O FLUXO DE ELÉTRONS À TEMPERATURA AMBIENTE.

(Bulkey D. H., Na electromagnetic theory of life, Medical Hypothesis, 3: pp. 281-285, 1080; Cope, F. W., Organic supercon-ductive phenomena at room temperature, Some magnetic phenomena at room temperature, Some magnetic properties of dyes and graphic interpreted as manifestations of viscous magnetic flux lattices and small superconductive regions, Physiological Chemistry and Physics, 13: pp. 99-110, 1981).

Nur Ankh Amen escreveu (Nur Ankh Amen, The Ankh, African Origin of Electromagnetism, [O Ankh, Origem Africana do Eletromagnetismo], New York, pp. 29, 1993)

“Grânulos de melanina atuam como pequenos olhos primitivos, formando uma grande estrutura de rede neural, cuja função é a de absorver e decodificar ondas eletromagnéticas. Computadores de rede-Neural [Neural-network computers] são máquinas de aprendizagem que são feitas com um número de receptores que podem ajustar seus pesos (propriedades quantitativas) para produzir uma saída específica.

O corpo de Africanos contém grandes quantidades de melanócitos que codificam todas as experiências de vida em sua produção de melanina, com o objetivo de criar um verdadeiro estado de realidade após a morte. Durante a vida, visões aparecem freqüentemente e ESP [experiências de saída do corpo – projeção da consciência] é comum . . .

Como um semicondutor, a melanina tem uma brecha energética [energy gap]. A absorção de energia é requerida antes que elétrons possam saltar para a banda de condução e tornar a melanina condutora. Um aumento da condutividade aumenta a sensibilidade da melanina ao mundo eletromagnético de seres etéreos, projeções astrais e entidades espirituais.”

Slominski relatou (Slominski, A., Paus, R., Schandendorf, D., Melanocytes as “Sensory” and regulatory Cells in the Epidemis [Melanócitos como células “Sensoriais” e Reguladoras na Epiderme], J. theor. Biol. 164: pp. 103-120. 1993)

“A partir de sua localização estratégica na camada basal da epiderme, Os Melanócitos (MC) se comunicam via processos dendríticos com 36-40 queratinócitos (KC, células da pele) para as quais eles transferem melanossomos contendo Melanina.

Geralmente assume-se que o principal objetivo deste processo dentro da “unidade de melanina epidérmica” é a proteção do DNA de queratinócitos contra danos causados ​​por radiação UV e certas toxinas como radicais livres de oxigênio.

A cor do cabelo da pele também envia sinais importantes de comunicação social e contribui para o contato sexual dentro de cada espécie. Além disso, Melanossomos [MC] Melanizados podem transformar a energia electromagnética de luz UV em mensageiros químicos intracelulares e a Melanina pode ter propriedades de termoregulação, melhorando a absorção de luz solar. . .

Os Melanossomos [MC] operam no contexto de uma unidade epidérmica funcional, o  “Tripé Epidermal”[“Epidermal Tripod”]
MC-KC-LC (células de Langerhans, produção de insulina, mudanças entre metabolismo da gordura em jejum e metabolismo de açúcar [carboidratos])

[shifts between fasting fat metabolism and sugar (carbohidrates) metabolism]. . .
Considerando a importância do cálcio para regular o estado de diferenciação ou proliferação de queratinócitos, bem como funções de barreira epidérmica, as atividades dos Melanossomos [MC] associadas a alterações na concentração de cálcio intracelular em queratinócitos [KC] merecem atenção especial. . .
O componente principal do Melanossomo, Melanina, ademais, pode atuar como um semicondutor amorfo com potencial capacidade polarizadora de membrana relevante para a permeabilidade iônica.

[… the main component of the melanossome, Melanin, furthermore might act as na amorphous semiconductor with potential membrane polarizing capacity relevant to íon permeability].
É particularmente importante que o heteropolímero Melanina é um eficaz eliminador de oxigênio e radicais-livres.  Formas superiores de vida são presas no dilema de sua dependência de oxigênio, por um lado, e os graves danos celulares causados por exposição contínua de único elétron-oxigênio, por outro.

[Higher forms of life are trapped in the dilemma of their oxygen-dependence on the one hand and the serious cellular damage caused by continuous exposure to single-electron oxygen on the other…]
A transferência dos Melanossomos [MC] para queratinócitos [KC], em resumo, provavelmente afeta várias funções de [KC].

O CONCEITO É CONFIRMADO QUE A “UNIDADE EPIDERMAL DE MELANINA” (MC-KC-LC/MELANOSSOMOS) SERVE COMO UM COMPUTADOR DE REDE NEURAL E COMO UM SISTEMA UNIFICADO DE UNIDADES ALTAMENTE INTERCONECTADAS, O SISTEMA DE MELANINA DO INTEIRO CORPO PRETO.

[THE CONCEPT IS CONFIRMED THAT THE “EPIDERMAL MELANIN UNIT” (MC-KC-LC/MELANOSSOMES) DOES SERVE AS A NEURAL NETWORK COMPUTER AS A UNIT AND AS A UNIFIED SYSTEM OF HIGHLY INTERCONNECTED UNITS, THE WHOLE BODY BLACK MELANIN SYSTEM].

,
Na parede do túmulo do faraó Kemético Ramsés VI estão inscrições do LIVRO DO QUE ESTÁ NO SUBMUNDO, DÉCIMA DIVISÃO, TEXTO INTRODUTÓRIO [BOOK OF WHAT IS IN THE NETHERWORLD, TENTH DIVISION, INTRODUCTORY TEXT],

“Este grande Deus (Deus Sol Rá, Luz) descansa por um tempo nesta caverna. ele dá ordens aos deuses ali. O nome do Portão desta cidade, pelo qual este Grande Deus entra, é grande dos Seres [great of Beings], Ela, que dá à luz as formas.

O nome desta cidade Ela cuja água é profunda, cujas margens são altas.

O nome da Hora da Noite que lidera este Grande Deus ao longo dos caminhos misteriosos desta cidade que corta, que decapita os rebeldes.

A misteriosa Caverna do Oeste’, onde Khepri pousa na presença de Re, Ela, que convoca os deuses, os espíritos e os mortos em direção a ela nas imagens misteriosas da Região do Silêncio.

Isto feito de acordo com esta imagem que está representada no Leste da Câmara Oculta do submundo.

Ele, que os conhece pelo nome irá valer-se para o submundo, a fim de passar por ele.

Ele será aquele que não pode ser impedido de . . . a presença de Re. ”

(Piankoff, A., o túmulo de Ramsés VI, Bulligen Series XL.I, Pantheon Books, pp. 299-300, 1954).

[“This Great God (Sun God Re, Light) rests for a while in this cavern. He gives orders to the gods therein. The name of the Gate of this city, by which this Great God enters, is great of Beings, She who gives birth to the forms.

The name of this city, Se whose water is deep, whose banks are high.
The name of the Hour of the Night who leads this Great God along the mysterious ways of this city who slashes, who decapitates the rebels.

The mysterious Cavern of the West’, where Khepri alights in the presence of Re, She who convokes the gods, the spirits, and the dead toward her on the mysterious images of the Region of Silence. This done according to this image which is depicted in the East of the Hidden Chamber of the Netherworld.

He who knows them by name will betake himself to the netherworld in order to pass through it.

He will be one who cannot be kept from . . . the presence of Re.”]

(Piankoff, A., the Tomb of Ramses VI, Bulligen Series XL.I, Pantheon Books, pp. 299-300, 1954).

Melanina e a 32ª das 42 Confissões Negativas Keméticas

UM ESTUDO DA HISTÓRIA AFRICANA ANTIGA REVELA A DEFINIÇÃO AFRICANA DO SISTEMA DE MELANINA HUMANA COMO UM (INTEIRO) SANTO CORPO PRETO [HOLY BLACK BODY] (HBB) QUE SERVE COMO O OLHO DA ALMA PARA PRODUZIR VISÃO INTERIOR, VERDADEIRA CONSCIÊNCIA ESPIRITUAL, GÊNIO CRIATIVO, VISÃO BEATÍFICA, PARA TORNAR-SE SEMELHANTE A DEUS, E PARA TER CONVERSAÇÃO COM OS IMORTAIS (ANCESTRAIS). 

O PROPÓSITO DA ANTIGA EDUCAÇÃO AFRICANA ERA PROPORCIONAR O CONHECIMENTO E DESENVOLVIMENTO DA VONTADE DO ESTUDANTE, O QUE PERMITIA A SALVAÇÃO (LIBERTAÇÃO DA ALMA) DOS GRILHÕES (CORRENTES) DO CORPO FÍSICO.
Por favor, considere a 32ª das 42 Confissões Negativas da Antiga Kemet,

“Salve, Serekhi, vindo de Unth, Eu não tenho . . .  A minha pele,
Eu não tenho . . . O deus.”

[“Hail Serekhi, coming forth from Unth, I have not . . . my skin,
I have not . . . the god.”]

(Budge, EAW, Osiris, the Egyptian religion of Ressurection [Osiris, a Religião Egípcia de Ressurreição], University Books, New Hyde Park, Nova Iorque, pp. 342, 1961).

A importância da pele era tão importante para Kamitas, cuja pele era Preta a partir de altos níveis de Eumelanina, que o tratamento adequado da pele foi especificamente listado como uma das 42 Confissões Negativas para o desenvolvimento do Coração, Vontade, e Consciência do Córtex Direito.

A Dr. Patricia (Sekmet) Newton em uma comunicação pública (Baltimore, Maryland, 1994) ofereceu a interpretação,

“Eu não tenho BRANQUEADO minha pele.”

[“I have Not BLEACHED my skin”]

,
Piankoff observou (Piankoff, A., the Tomb of Ramses VI
[A Tumba de Ramsés VI, série Bolingen, SL.I. Pantheon Books, pp. 37, 1954),

“Durante o dia, no céu acima, o deus do sol chamado Re ou Horus do Horizonte, sendo representado como um homem com cabeça de falcão. No céu abaixo, na região da noite, ele é o deus do poente e morto sol, Atum ou a Carne de Re, a energia da Luz solar agora passou através das portas supercondutoras de Melanina como um fluxo de elétrons para doadores/receptores em todo o (inteiro) Sistema de Melanina do Santo Corpo Preto (HBB).

[Sunlight energy now passed through Melanin superconductor doorways as a flow of electrons to donors/receptors throughout the (Whole) Holy Black Body Melanin System (HBB)].

Melatonina Pineal é liberada em padrões rítmicos durante a noite para tocar a Harpa de Melanina do HBB [Santo Corpo Preto] como um Coro Musical de Rotatividade Dinâmica (Sonhos, Estados de Transe), personificado como um homem com a cabeça de um carneiro.

[Pineal Melatonin is released in rhytmic patterns during the Night to play the HBB Melanin Harp as a Musical Choir of Dynamic Turnover (Dreams, Trance States), personified as a man with the head of a Ram].

Ele vai nascer de novo como Khepri, o ‘Tornando-se Um’ [the Becoming One], o sol visível no horizonte leste ao nascer-do-sol, simbolizado por um besouro escaravelho transportando disco.”

O escopo de análises do antigo cientista Africano sobre a alma era infinito. No entanto, deve-se perceber que a grandeza de seu trabalho é o subproduto de altamente desenvolvidos olhos da alma [highly developed soul eyes].

Com seus níveis ampliados de consciência e faculdades de percepção, eles produziram obras extraordinárias, muitas das quais estão completamente além da compreensão do cientista ocidental de hoje.

O cientista ocidental médio, tentando replicar obras dos antigos Africanos se depara com um monumental bloqueio na estrada, naquilo que tal empreendimento exige, como pré-requisito, um certo nível de desenvolvimento da alma e do Eu
[self and soul development].

Um cientista tentando entender a alma deve, inicialmente, compreender o seu funcionamento dentro dele mesmo/dela mesma. Essa pessoa deve compreender completamente as ramificações da serpente Uraeus, experimentando, assim, certas manifestações de realeza [royalty], navio mágico [magician ship], sacerdócio e passar por fases compreensíveis de iniciação: morte, ressurreição e transformação.

No entanto, apenas quando o nível de olho da alma [soul-eye level] foi atingido alguém pode verdadeiramente experimentar e tornar operativo o exposto:

realeza [royalty] sendo sinônimo com sua capacidade de exercer o controle completo sobre o corpo físico, navio mágico a habilidade de utilizar conhecimento avançado na manipulação de energias além da compreensão física; e sacerdócio a capacidade de comunicar-se com outros avançados mestres de vastos poderes, todos os quais estão trabalhando para o cumprimento [fullfilment] das tarefas da alma [soul tasks] e crescimento positivo do universo.

Os sacerdotes-cientistas Africanos descobriram que a viagem ao longo do Uraeus, caminho serpentino resultaria em morte ou mudança no nível atual de consciência. No caminho, é preciso primeiro ser ressuscitado do nível mais baixo de desejos físicos e tornar-se iniciado através de um exigente, disciplinado, educacional, processo de desenvolvimento da alma que, quando concluído, em última análise, transforma o aspirante ‘em um mestre, alguém em plena comunicação com a sua alma, na qual todas as coisas são possíveis.

O povo Preto hoje ainda não definiu a sua essência de alma

[Black people of today have not yet defined their soul essence].

Muito poucos sabem sua história, cultura, língua ou fisiologia básica.

Sem esse conhecimento, o básico plano diretor [blueprint] ou fundamento para o esquema das coisas permanecerão um mistério.

Um tipo de escravidão persiste em que a alma permanece virtualmente presa.

Asa Hilliard, em sua introdução à reedição de 1970 do livro,
Legado Roubado [Stolen Legacy] por George G.M. James, definiu ainda mais este tipo de escravidão como auto-contenção ou contenção da alma [soul or self-containment].

Escravidão Mental é a violência invisível.

A Escravidão física Formal terminou nos Estados Unidos.

A Escravidão mental continua até os dias atuais.

Esta escravidão afeta as mentes de todas as pessoas, e, de uma forma, é pior do que a escravidão física sozinha.  Isto é, a pessoa que está em escravidão mental será “auto-suficiente.”
Não apenas essa pessoa vai deixar de desafiar crenças e padrões de pensamento que o controlam, ela vai defender e proteger essas crenças e padrões de pensamento virtualmente com seu último esforço moribundo.

Durante a década de 1960 pessoas descendentes de Africanos vigorosamente tentaram libertar-se de várias condições socioeconômicas, apenas para testemunhar uma constante erosão de seus duros ganhos de luta na década de 1970.

Por que esse importante esforço passou à clandestinidade?
Por que líderes e organizações internamente “viajam no ego” e brigam entre si para a formação final de organizações fragmentárias?

Por que tanta desunião prevalece quando o grito era por coesão?

Certamente, o desejo de ser livre existia, e a grande luta que foi lançada fez tocar a maioria dos níveis da sociedade.

Por que é então, que ele vai dormir?

Hilliard atribui esse sono/morte à existência de uma condição de escravidão mental. Sua premissa básica é que é a violência invisível de escravidão mental que impede o nosso povo de travar com êxito uma luta para se tornar livre.

A fim de ver a perspectiva total desta premissa, é fundamental que examinemos o termo “auto-contenção”
[“self-containment”].

O Dicionário Webster (1968) define o “si próprio” [o “self”] como a identidade, caráter ou qualidades essenciais de uma pessoa. Levando isso um passo adiante, descobrimos que identidade e caráter é o modelo a partir do qual o senso de ser ou individualidade de uma pessoa é desenvolvido.

Contenção é a política de tentar impedir a influência de uma contrária idéia, noção ou sistema político de se espalhar.

Assim, se todas as partes de uma pessoa são construídas a partir de um projeto básico [blueprint] localizado dentro da alma, então
auto-contenção [self-containment] significa literalmente prevenção de o plano da alma de crescer.
Além disso, uma vez que a mente também é uma parte desta que é construída, a Contenção da alma [soul containment] da mesma forma sufoca o crescimento da mente.

É aqui que podemos ver a maneira em que a contenção da alma produz escravidão mental.

Com contenção da alma [soul containment], a mente é incapaz de desenvolver sua capacidade total.

A pessoa em tal condição é alienada de sua alma, na qual se encontra a chave para o total desenvolvimento mental, bem como espiritual e físico.

A mente pode tornar-se plenamente desenvolvida somente quando a energia da vida da alma [life energy of the Soul] atinge e energiza a glândula pineal. Até que isso ocorra, não se pode proceder ao longo do caminho serpentino conduzindo do físico à consciência cósmica.

Enquanto satisfazendo a luxúria, ganância, e poder, desnecessidade no combate irá impedir os afetados de conhecer as suas próprias almas e razão fundamental para a existência, eles não podem ver o seu próprio plano cósmico, nem ver ou respeitar aquele dos outros.

Sem uma glândula pineal energizada o olho da alma [soul eye] permanece fechado. Pessoas Mentalmente cegas de ascendência Africana são mais suscetíveis a confusão quando enfrentando inúmeros símbolos que os bombardeiam diariamente.

Eles não podem usar os seus modelos [blueprints] da alma para testar a validade ou reconhecer a existência de certos símbolos fundamentais. Eles são incapazes de reconhecer a utilidade de vários símbolos ou assinaturas em termos das suas necessidades essenciais.

Em outras palavras, os Pretos, particularmente nos Estados Unidos, são mais freqüentemente incapazes de processar cognitivamente aquilo que eles vêem, ouvem ou de outra forma sentem no mundo cotidiano.

Assim, temos outra implicação crítica sobre o processo de mudança da condição de alma-cega [soul-blind] para olho da alma [soul eye].

Escravidão Mental é a violência invisível.

Como é que alguém se defende contra violência invisível e conseqüente escravidão mental?

De acordo com Yosef Ben-Jochannan, outro grande historiador Africano, é através da aquisição de conhecimento, ou seja, Gnosis – saber [Gnosis – to know].

Escravidão Mental, divorcia o indivíduo do conhecimento inerente ao seu ser que deve ser usado para continuar a sua evolução.

Alguém em escravidão mental olha para outro para orientação em vez de para dentro. O conhecimento contido dentro da mente do escravo mental é atrofiado porque é inexplorado.

Quando Jochannan diz que é o conhecimento que liberta o escravo mental, as implicações são de que alguém deve validar e aderir a seus próprios pensamentos e sentimentos inerentes ao conhecimento; alguém deve extrapolar o conhecimento de toda experiência externa e interna para o exercitar e cultivar a mente; desenvolvendo assim a alma.

Novamente, testemunhamos a profunda sabedoria da antiga ciência Africana quando recordamos a inscrição sobre a entrada para as universidades: “Homem, Conhece a Si Mesmo.”
[“Man, Know Thy Self.”]

Estar em contato consigo mesmo era central para todo o crescimento e desenvolvimento. A intimidade com o eu ou alma foi considerada fundamental para a centralização e processo de estabilização que ancorou um eixo central a partir do qual a alma pode expressar.

A teoria da contenção da alma [soul containment] e ausência de auto-intimidade são substanciadas nas lutas pela liberdade dos anos 60 e 70. Lá estávamos nós e aqui estamos nós, lutando para ser livres, ainda incapazes de reconhecer, em conjunto, o que queremos libertar.

É o tempo que nos perguntamos: “O que é o self, alma ou essência do povo Preto?

Qual é a base da cultura ou estilo de vida que as pessoas pretas estão tentando perpetuar?”

Verdadeiramente, não podemos determinar nada disso até que primeiro nos conheçamos a nós mesmos como indivíduos e depois coletivamente como pessoas.

Aqui estamos nós, na década de 1990 desejando ser livres, lutando para ser liberados. Nós sabemos agora que o conhecimento é necessário, mas pode ainda ser incerto sobre o que é que precisamos aprender.

Precisamos aprender primeiro sobre como o conhecimento está sendo usado para nos manter em um estado alucinogênico [hallucenagenic] de escravidão mental.

Conhecimento que foi roubado e distorcido dos arquivos dos antigos templos de mistérios Africanos.

É por isso que o livro, Stolen Legacy [Legado Roubado] é tão importante e deve ser lido de capa a capa, uma e outra vez.

Ele mostra claramente que a base de todo o conhecimento, especialmente aquele conhecido como filosofia Grega clamado por Platão, Sócrates e Aristóteles, é realmente conhecimento Africano.

Além disso, o livro descreve o antigo processo educativo Africano utilizado para desenvolver a alma. Como uma pessoa se move a partir da condição de escravidão mental ou cegueira-da-alma
[soul-blindeness], ele ou ela deve começar com o eu individual e, em seguida, o coletivo.

Ao responder a pergunta “Quem sou eu”, alguém formula um conceito de si, que pode ser usado como um parâmetro para medir todas as idéias.

Considere a transformação de Malcolm X a partir de um traficante de rua para líder nacional. Ele desenvolveu um processo onde estudou idéias por sua relevância para a sua alma.
Ele não mais tomou idéias para significar o que outros disseram que significava; assim, ele começou a livrar-se de seu condicionamento social.

A verdadeira liberdade não tem sido alcançada hoje, porque a maioria dos povos Africanos e seus líderes estão virtualmente excomungados da origem de suas almas.  Eles não estão em contato contínuo com o seu eu interior, nem com a natureza. Ao contrário, eles apenas ocasionalmente obtêm um vislumbre de si, no entanto, essas visões da alma são, normalmente, confundidas, vistas como sonhos irreais ou fantasias, e sendo vistas como tal, elas não vêm para a manifestação física.

O sonho é real, a incapacidade de fazer o sonho manifesto é a fantasia.


Melanina – Uma Chave Para a Liberdade –
por Richard King M.D. –
pg. – 74 – 76
Melanina e o Fígado, Sistemas Sanguíneo e Linfático

Melanina e o Fígado, Sistemas Sanguíneo e Linfático

UM ESTUDO DA HISTÓRIA AFRICANA ANTIGA REVELA A DEFINIÇÃO AFRICANA DO SISTEMA DE MELANINA HUMANA COMO UM [INTEIRO] SANTO CORPO PRETO [HOLY BLACK BODY – HPP] QUE SERVE COMO O OLHO DA ALMA PARA PRODUZIR VISÃO INTERIOR.

O PROPÓSITO DA ANTIGA EDUCAÇÃO AFRICANA ERA PROVIDENCIAR  O CONHECIMENTO (RECEPTORES DE ENERGIA) E DESENVOLVIMENTO DA VONTADE (DOADORES DE ENERGIA) DO ESTUDANTE O QUE PERMITIA A SALVAÇÃO (LIBERTAÇÃO) DA ALMA (ENERGIA, FLUXO DE ELÉTRON, PONTO PRETO, MICRO BURACO NEGRO) DOS GRILHÕES (CORRENTES, NÃO-RESSONÂNCIA DESARMÔNICA) DO CORPO FÍSICO.

(George James, Stolen Legacy [Legado Roubado], Capítulo 3, U.B. & U. S. Communications Systems).

EM UMA TEORIA ELETROMAGNÉTICA DA VIDA (Bulkey, D.H., Na Electromagnetic Theory of Life [Uma Teoria Eletromagnética da Vida], Medical Hypothesis, 30: pp. 281-285, 1989) AS ESTRUTURAS DA VIDA SÃO CLARAMENTE ELETROMAGNÉTICAS COM “CORRENTES” EM CIRCUITOS (NÃO-RESISTIVOS?, SEMICONDUCTORES, SUPERCONDUTORES) VÊM CAMPOS MAGNÉTICOS TOROIDAL E SOLENOIDAL E COM OS CAMPOS VÊM REPLICAÇÕES GENERATIVAS ATRATIVAS E REPULSIVAS (AUTO-SIGNIFICADO, EU SOU, AUTO-TRANSFORMAÇÃO, SENDO O ANJO) E MOTILIDADE (RESSONÂNCIA HARMÔNICA, UNIDADE COM A LUZ, CONVERSAÇÃO COM OS IMORTAIS).

POR FAVOR, CONSIDERE A ANALOGIA SIMBÓLICA DA OBSERVAÇÃO DE QUE, ENQUANTO EM ESTADO DE JEJUM (FALTA DE ALIMENTO DE DENSA MATÉRIA FÍSICA, USO DE LUZ DO AMBIENTE E INTERNA LUZ DO ETERNO SOL INTERNO) COMO A ESTRUTURA MULTICELULAR SOFRE (EPIGÊNESE?) FORMAÇÃO DE NOVAS ESTRUTURAS A PARTIR DE UM ESTADO SUBDESENVOLVIDO ATRAVÉS DA INFLUÊNCIA DA ALTAMENTE EVOLUÍDA FORMA DO ESTÁGIO FINAL) MORFOGÊNESE (FORMAÇÃO E GERAÇÃO DE TECIDOS E ÓRGÃOS), SE FORMOU UMA LESMA MIGRANDO [MIGRATING SLUG] E FINALMENTE UM CORPO FRUTIFICANDO [A FRUITING BODY], CÉLULAS NAS REGIÕES ANTERIOR E POSTERIOR DESSAS ESTRUTURAS SOB O ÂMBITO DE INFLUÊNCIA CONTÍNUA DE CAMPO (EQUIVALENTE MENSAGEIRO ANGÉLICO, ANÁLOGO A MELANINA, RECEPÇÃO DE ENERGIA), SE DIFERENCIAM EM VARAS/ESPIGAS [STALK] (COLUNA, CIRCUITO SEMI –CONDUTOR/SUPERCONDUTOR DE FLUXO DE ELÉTRONS, SOLENOIDAL (FORMA CILÍNDRICA) CAMPO MAGNÉTICO, MOTILIDADE) OU CÉLULAS DE ESPORO (AUTO-REPLICAÇÃO, AUTO-TRANSFORMAÇÃO, SALVAÇÃO ( LIBERDADE DO ANJO), DOAÇÃO DE ENERGIA, TOROIDAL (FORMA DE ROSCA) CAMPO MAGNÉTICO)

(Dereotes, G-Protein-Linked Signilizing Pathways Control the Development Program of Dictyostelium [Ligações de Proteína-G Sinalizando Caminhos Controlam o Programa de Desenvolvimento de Dictyostelium], Neuron, 12: pp. 235-241, 1994).

Sichel observou (Sichel, G., Biosynthesis and Function of Melanins in Hepatic Pigmentary System [Biossíntese e Função de Melanina no Sistema Pigmentar Hepático], Pigment Cell Research 1: pp. 250-258, 1988),

ao contrário das células de pigmento cutâneas que são derivadas da crista neural, as células de pigmento do fígado , em vez disso, derivam de células Kupffer. . .

As células Kupffer de Anfíbios e Répteis são capazes de sintetizar Melanina por si. . .

As células de pigmento do fígado de Anfíbios e Répteis devem ser classificadas como “Células de Pigmento Extra-Cutâneas de origem Hiistocítica (Sangue)”. . .

No que diz respeito à função das Melaninas, mostra-se que o O2 é preso por estas substâncias, a atividade de óxido dismutase é  inversamente proporcional à quantidade de Melanina presente; Assim, pensamos que a Melanina poderia imitar a atividade SOD. . .

os fenômenos básicos da vida aparecem como métodos concebidos a fim de proteger a matéria viva contra oxigênio, e esta operação é atualizada por elegantes sistemas enzimáticos (progressão de campos magnéticos ressonantes harmônicos), como, por exemplo, catalase de SOD, peroxidases e assim por diante, Eu penso que é muito provável que estes sistemas, durante filogênese, foram formados há relativamente pouco tempo e que anteriormente, quando a atmosfera tornou-se uma oxidante, esta função foi realizada por moléculas mais simples do que as enzimáticas, tais como catecolaminas e Melanina “.

Esta é uma observação importante que liga o papel da Melanina em sistemas vivos com a evolução de O2/CO2 na atmosfera de corpos planetários em que a formação de uma atmosfera planetária experimenta mudança no balanço de oxigênio/dióxido de carbono como um resultado de forças geológicas que liberam o oxigênio de minerais, a geração de oxigênio pelas plantas e dióxido de carbono por animais, a recepção de luz do pigmento Clorofila em plantas, a recepção de luz da Melanina nos animais, e as alterações epigenéticas/morfogenéticas na forma de plantas e animais na biosfera planetária em relação ao campo geomagnético da Terra ao Sol e campos magnéticos planetários do sistema solar, como o sistema solar, estrelas próximas como o sol orbitam o centro da nossa Galáxia Via Láctea e as relações de campo magnético com outras Galáxias nesta expressão do universo. Lá está a Melanina em nuvens de gás interestelares de galáxias, Melanina Cósmica.

Wassermann reportou (Wassermann, H.P., Melanokinetics and the biological significance of Melanin [Melanokinética e a Significância Biológica da Melanina], The British Journal of Dermatology, 82 (5): pp. 530-534, 1970),

O transporte vascular de Melanina na circulação sanguínea e linfática dos seres humanos. Os Linfócitos, adquirindo Melanina na resposta inflamatória. . . circulam na “Quarta Circulação” [“Fourth Circulation”] e re-entram na circulação via vasos linfáticos.

Um exame de leucócitos concentrados do sangue periférico do Bantu normal, revelou células mononucleares pigmentadas.
Nodos linfáticos que drenam a pele mais freqüentemente contém Melanina do que nodos linfáticos abdominais. Melanina é encontrada em cerca de 75% de nodos semelhantes no Bantu”.

Considerando o papel indicado da melanina como um receptor para radicais livres tais como o oxigênio, o qual é transportado por células sanguíneas no sangue ao longo do corpo, há uma importância considerável para a presença de Melanina em células brancas do sangue na árvore vascular. Desse modo, também está o papel de melanina como um transportador de metais, moléculas portadoras de proteínas, moléculas e íons carregados como uma entidade energética, ela própria, dentro da árvore vascular como um circuito para campos magnéticos toroidais e solenoidais.

A árvore vascular pode ser uma auto-estrada para o Móvel Computador de Melanina Nascido do Sangue [Blood Bourne Motile Melanin Computer], A Rede de Trabalho Neural – Células brancas do Sangue – Células Vermelhas do Sangue – De Melanina [The Melanin –White Blood Cell – Red Blood Cell Neural Net Work]. Computador Analógico.

Novamente, há um (Inteiro) Sistema de Melanina do Santo Corpo Preto que é altamente interconectado.

[Again, there is a (Whole) Holy Black Body Melanin System that is highly interconnected].


Melanina – Uma Chave Para a Liberdade –
por Richard King M.D. –
pg. – 77 – 80 –
Melanina e Estudo Kemético de Eletromagnetismo
Elektron, Thehent, Âmbar  e Cristais

Melanina e Estudo Kemético de Eletromagnetismo,
Elektron, Thehent, Âmbar e Cristais

 

UM ESTUDO DE ANTIGA HISTÓRIA AFRICANA REVELA A DEFINIÇÃO AFRICANA DO SISTEMA DE MELANINA HUMANA COMO UM (INTEIRO) SANTO CORPO PRETO [HOLY BLACK BODY] (HBB) QUE SERVE COMO O OLHO DA ALMA PARA PRODUZIR VISÃO INTERIOR, VERDADEIRA CONSCIÊNCIA ESPIRITUAL, GÊNIO CRIATIVO, VISÃO BEATÍFICA, PARA TORNAR-SE SEMELHANTE A DEUS, E PARA MANTER CONVERSAÇÃO COM OS IMORTAIS (ANCESTRAIS).

O PROPÓSITO DA ANTIGA EDUCAÇÃO AFRICANA ERA PROPORCIONAR O CONHECIMENTO E DESENVOLVIMENTOO DA VONTADE DO ESTUDANTE QUE PERMITIA A SALVAÇÃO (LIBERDADE) DA ALMA DOS GRILHÕES (CORRENTES) DO CORPO FÍSICO. (George James, Legado Roubado, Capítulo 3, U.B. & U. S. Communications Systems).

A PARTIR DO MODELO DO PAI KEMÉTICO ORIGINAL FOI POSTERIORMENTE PRODUZIDO O MODELO BÍBLICO DO APOCALIPSE, APC. 1-22 [REV. 1-22] (APOKALYPSIS (DESCOBRIMENTO, DESVELAMENTO), EPOPTEIA (CONTEMPLANDO, ENCARANDO DEUS) = INICIAÇÃO NOS MISTÉRIOS MAIORES) O SERVIÇO DA MELANINA NO MUNDO FÍSICO E MUNDO ESPIRITUAL É POR FLUXO DE ELÉTRONS ATRAVÉS DE PORTAS DE MELANINA.

(Kuhn, A. B., Who Is This King of Glory, A Critical Study of the Christos-messiah Tradition [Quem É Este Rei da Glória, Um Estudo Crítico Sobre a Tradição do Cristo-Messias] Academy press, Elizabeth, N.J., pp. 257-275, 1944; Psyse, JM., Apocalypse Unsealed (the drama of self conquest) [Apocalipse Dês-selado (o drama da auto-conquista)], Health Research, Mokelumne Hill, California, pp. 68, 33-75, 1965.

A palavra elétron vem da palavra Grega elektron a qual era o nome Grego para âmbar.

O nome Kemético para âmbar é thehent o qual é o nome para ambos, âmbar e cristal.

Isto é evidência do Kemético estudo do elétron (eletrônica).

Quando um cristal é colocado sob pressão ele produz um fluxo de elétrons,efeito piezelétrico, assim como o âmbar produz um fluxo de elétrons quando friccionado contra a madeira, corrente elétrica.
(Budge, E. A. W., A. Hieroglyphic Vocabulary To the Book of The Dead [Vocabulário Hieroglífico Para o Livro dos Mortos], Dover Publications, N.Y., pp. 453-, 1991).

MELANINA É UM SEMICONDUTOR/SUPERCONDUTOR PARA O FLUXO DE ELÉTRONS À TEMPERATURA AMBIENTE.

(Bulkley, D. H., An Electromagnetic Theory of Life [Uma Teoria Eletromagnética da Vida], Medical Hypothesis, 3: pp. 281-285, 1989; Jacobson, J. I., “Exploring The Potential Of Magneto-Recrystallization Of Genes And Associated Structures With Respect To Nerve Regeneration And Cancer,” [“Explorando O Potencial da Recristalização-de-Magneto de Genes e Estruturas Associadas Com Respeito À Regeneração Nervosa e Câncer”], Intem. J. Neuroscience, 64: pp. 153-165, 1992: Nur Ankh Amen, The Ankh, African Origin of Electromagnetism [O Ankh, Origem Africana do Eletomagnetismo], Nur Ankh Amen Co., Jamaica, N.y., 1993).

Sobre a parede da tumba do Faraó Kemético Ramsés VI, estão inscrições do LIVRO DOS PORTÕES, Décima Divisão [BOOK OF THE GATES, Tenth Division],

Nome do portão: O Santo [The Holy One];
Na barca de Re (Tipo de fluxo de energia): estão

(1) A Carne de Re (A Face de Deus Sol Ra mostrada como a Face de um Homem Preto com Cabelo Enrolado Cinza, Nariz Largo, Lábios Carnudos, e Pele Preto-Azeviche),

(2) Magia [Magic] (vontade),

(3) Mente (memória conhecimento), e

(4) o dispositivo de Envolvimento (tempo)
[The Enveloper] [time]. . .

Texto na porta [Text on the door] :

Ele está sobre esta porta, ele abre para Re.
A Mente diz (diz para) o Unidor [the uniter] (serpente, associação de eventos por qualidades sensoriais semelhantes):
Abra vosso submundo [Open thy Netherworld] (subconsciente, superconsciente, inconsciente coletivo) para RE (luz), escancara vossa porta (Sistema de Melanina do Inteiro Corpo Preto, os sete receptores transmembranares hélices (espiral)
[the seven helix (coil) transmembrane receptor], Neurotransmissores mediados por Melanina para transdução de sinais de vias cerebrais).
Ele ilumina a escuridão completa e torna a Câmara Oculta (Crânio?, Terceiro Ventrículo Mediado por Pineal/Pituitária) brilhante.
(RECEPTORES DE ENERGIA?) = Uraeus Superior: Ela que acende para Re.
Uraeus Inferior: Ela que acende para Re. (DOADORES DE ENERGIA?)= Guardião Superior: O Executor. Ele dobra seu braço perante Re. Guardião Inferior: o descobridor [the uncoverer], ele dobra seu braço perante Re.

(Piankoff, A., The Tomb of Ramses VI [A Tumba de Ramsés VI], Bolligen Series XL. 1, Pantheon Books, Plate 58, pp. 203-208, 1954)

Parece que este texto da Antiga Universidade Africana sobre o Décimo Portão do livro dos Portões define o efeito da luz solar sobre a Melanina da pele (Carne de Re) da cabeça e rosto no desenvolvimento da Mente, Magia (Vontade), e o uso-do-Tempo do estudante.
[It appears that this Ancient African University Text of the Tenth Gate of the book of the Gates defines the effect of Sunlight Upon skin melanin (Flesh of Re) of the head and face in the development of Mind, Magic (Will), and the student’s use of Time.]

Não pode haver nenhuma dúvida quanto à frase Africana, “a carne de Re”, como Re é distintivamente mostrado na vista de frente da cabeça e pescoço de um Homem Preto de Pele Preta.

Luz do Sol passando através da Melanina Carne de Re da cabeça e pescoço torna ativas as vias de Melanina do inteiro corpo que iluminam as câmaras escuras simbolicamente e literalmente.

Richard Frenkel escreveu (Frenkel, R., Overcoming Stress [Superando o Stress], Richardson and Steirman, Inc., New York) que a mente (cérebro) armazena experiências em suas respectivas cores. Ele observou que quando pacientes são expostos a cores particulares, memórias dolorosas retornam, geralmente acompanhadas de sintomas corporais associados com as experiências originais. Seu tratamento consiste em uso diário de óculos coloridos da mesma cor que evocou a dor que dessensibilizou e opticamente negou a ligação da cor com memórias dolorosas e sintomas corporais.

Jacob Liberman revisou (Liberman, J., Light Medicine Of The Future [Medicina de Luz do Futuro], Bear & Company, Santa Fe, New Mexico, 1991) o uso de luz no tratamento de varias formas de doença – a utilização de luz-azul por Sharon McDonald para alívio da dor de artrite reumatóide; o uso de luz-vermelha por John Anderson para interromper ou diminuir enxaquecas. A utilização do espectro completo de iluminação e cores de parede de cores quentes e brilhantes tais como amarelo e laranja para melhorar o desempenho acadêmico de crianças em idade escolar.

Terapia de Luz Solar (Sunlight therapy) tem sido utilizada para ajudar pacientes com tuberculose, colite, anemia, gota, cistite, arteriosclerose, eczema, acne, herpes, lúpus, ciática, asma, algumas formas de doença do rim, e queimaduras.

Liberman reportou o uso de luz UV para aumentar a absorção de Cálcio, baixa pressão sanguínea, aumentar a eficiência do coração, melhorar o ECG e perfis sanguíneos (circulação cerebral) de pacientes com arteriosclerose, reduzir colesterol, aumentar a perda de peso; e aumentar o nível de hormônios sexuais.

Melanina no universo vivo existe em pelo menos cinco planos diferentes.

Estes planos são o cósmico, planetário, vegetal, animal, e humano “salvo” humano (transformado), (mental superior, gênio, “homo maximus”).

Considerando a Melanina cósmica, existem moléculas orgânicas complexas em vastas nuvens interestelares de gás que estão literalmente muitos anos luz (milhões de milhões de milhas) em tamanho conforme encontrado nas regiões de disco central [central disc regions] de nossa galáxia Via Láctea e em muitas outras galáxias no universo.

O átomo central em tais moléculas orgânicas é o átomo de carbono, o átomo central da Melanina. O átomo de carbono é formado no centro da maioria das principais estrelas da seqüência como elas evoluem. Em certa fase no desenvolvimento da estrela de seqüência principal vem uma erupção de estrela (nascimento?) em que a estrela verte seu carbono acumulado no espaço ao redor para combinar mais tarde com outras moléculas para formar moléculas orgânicas complexas.

[At a certain phase of the development of the star, there comes a star eruption in which the star sheds its accumulated carbon into the surrounding space to later combine with other molecules to form complex organic molecules].

Criticamente, assim como as famílias estelares e planetares, tais como nosso sistema solar, giram ao redor do centro de nossa galáxia, a cada centena de milhares de anos, nosso sistema solar assim como outros sistemas solares irão passar através deste preto carbono, molécula orgânica complexa, nuvem de gás interestelar de Melanina.

Ao fazê-lo, as congeladas bolas de gelo de cometas de gelo que compõem a Nuvem de Oort que cerca o sistema solar é literalmente banhada em Preta melanina.

[Critically, as the star and planetary families such as our solar system rotate around the center of our galaxy, every several hundred thousand years, our solar system just as other solar systems will pass through this black carbon, complex organic molecule, melanin interstellar gas cloud. Upon doing so the cometary frozen balls of ice that comprise the Oort cloud that surround the solar system is literally bathed in Black melanin.]

Dessa forma, em algum distante momento posterior cometas ocasionais das regiões exteriores do sistema solar irão passar pelas regiões interiores e irão parcialmente derreter sobre a exposição à radiação do sol.

Ao fazê-lo, o cometa deixa no espaço um rastro de moléculas orgânicas complexas / Melanina que irão semear superfícies planetárias como o planeta eventualmente passa pelas trilhas de cometas.

Moléculas orgânicas complexas na forma de Melanina são encontradas no Reino Vegetal, como a classe de fotopigmento conhecida como Clorofila. A Clorofila aparece como um pigmento de cor verde, que serve para manter e transformar a luz em uma ligação química que pode ser utilizada pela planta para combustível para energizar várias operações celulares.

Considerando que no Reino Animal, a Melanina existe como uma classe similar de fotopigmentos para manter ou transformar a luz em uma ligação química que pode ser utilizada pelo animal para o combustível para energizar várias operações celulares.

Além disso, em animais humanos, os sistemas de Melanina podem ser mostrados por processar a transformação de energia a partir de ligações químicas de volta para várias formas de luz em discretos pacotes informacionalmente significativos para, assim moldar, e organizar a matéria física.

Esta é a primeira forma de operação de Melanina em animais, homo maximus, que foram elevados ao nível de “salvos espiritualmente” no qual se pode comunicar com os imortais e usar sonhos e visões para moldar sua conduta e organizar o mundo físico para a real forma vista em seus sonhos.

[Additionally, in human animals, melanin systems can be shown to process the transformation of energy from chemical bonds back into various forms of light in discrete informationally significant packets to thereby shape and organize physical matter.

This is the first form of melanin operation in animals, homo maximus, that have been elevated to the “spiritually saved” level in which one can communicate with the immortals and use dreams and visions to shape one’s conduct and organize the physical world into the actual form seen in one’s dreams.]

Existem níveis acima daqueles do mental superior tais como os níveis Búdico, e Átmico. É atualmente desconhecido quanto à qual o papel desempenhado pela Melanina nesses níveis. No entanto, há uma vasta visão de possíveis relações, se considerarmos a perspectiva cósmica de carbono estelar e a possibilidade de inteligências espirituais de dimensões estelares e galácticas.
[It is presently unknown as to what role is served by Melanin on these levels. However, there is a vast vision of possible relationships if one considers the cosmic perspective of stellar carbon and the possibility of spiritual intellects of stellar and galactic dimensions.]

———————————————————————————————


Melanina – Uma Chave Para a Liberdade –
por Richard King M.D. –

pg. – 81 – 83 –
Melanina e Energia Sexual, Energia Criativa Divina
[Melanin and Sexual Energy, Divine Creative Energy]

.

Melanina e Energia Sexual, Divina Energia Criativa

[Melanin and Sexual Energy, Divine Creative Energy]

.

UM ESTUDO DE ANTIGA HISTÓRIA AFRICANA REVELA A DEFINIÇÃO AFRICANA DO SISTEMA DE MELANINA HUMANO COMO UM SISTEMA DE MELANINA DO INTEIRO CORPO PRETO [HOLY BLACK BODY] (HBB) QUE SERVE COMO O OLHO DA ALMA PARA PRODUZIR VISÃO INTERIOR, VERDADEIRA CONSCIÊNCIA ESPIRITUAL, GÊNIO CRIATIVO, VISÃO BEATÍFICA, PARA TORNAR-SE SEMELHANTE A DEUS, E PARA MANTER CONVERSAÇÃO COM OS IMORTAIS (ANCESTRAIS).

O PROPÓSITO DA ANTIGA EDUCAÇÃO AFRICANA ERA PROPORCIONAR O CONHECIMENTO E DESENVOLVIMENTOO DA VONTADE DO ESTUDANTE QUE PERMITIA A SALVAÇÃO (LIBERDADE) DA ALMA DOS GRILHÕES (CORRENTES) DO CORPO FÍSICO.
(George James, Legado Roubado, Capítulo 3, U.B. & U. S. Communications Systems).

EM UMA TEORIA ELETROMAGNÉTICA DA VIDA (BUKLEY, D. H., An Electromagnetic Theory of Life [Uma Teoria Eletromagnética da Vida] Medical Hyphotesis, 30: pp. 281-285, 1989) AS ESTRUTURAS DA VIDA SÃO CLARAMENTE ELETROMAGNÉTICAS COM “CORRENTES” EM CIRCUITOS (NÃO-RESISTIVO?, SEMICONDUTOR/SUPERCONDUTOR) SE TORNAM CAMPOS MAGNÉTICOS TOROIDAIS E SOLENOIDAIS E COM OS CAMPOS VÊM ATRATIVA (SEXUAL) E REPULSIVA (MEDO) REPLICAÇÃO GENERATIVA (AUTO-SIGNIFICADO, EU SOU,. AUTO TRANSFORMAÇÃO, SENDO O ANJO) E MOTILIDADE (RESSONÂNCIA HARMÔNICA, UNIDADE COM A LUZ, CONVERSAÇÃO COM OS IMORTAIS).

[The Structures of Life are clearly electromagnetic with “Currents” in (Nonresistive?, Semiconductor/Superconductor) Circuits come toroidal and solenoidal Magnetic Fields and with Fields come Attractive (Sexual) and Repulsive (Fear) Generate replication (Self-Meaning, I AM,. Self Transformation, Being The Angel) and Motility (Harmonic Resonance, Unity with Light, Conversation with the Immortals).]

O Dr. John Chissell escreveu (Chissell, J. T., Pyramids of Power, An Ancient African Centered Approach Centered To Optimal Health [Pirâmides De Poder, Uma Antiga Abordagem Centrada Africana Centrada Para Saúde Ideal], Positive Perceptions Publications, Baltimore, Maryland, pp. 60, 61, 65, 1993) . . .  “Um dos relacionamentos mais freqüentemente negligenciados e/ou subdesenvolvidos em nossas vidas diárias é o relacionamento com nós mesmos . . . sempre abordar qualquer relacionamento com respeito, especialmente o relacionamento como nós mesmos. Respeitar a nós mesmos significa auto-diálogo positivo [positive self talk] (dizendo coisas construtivas e encorajadoras para nós mesmos),
não-julgamento [nonjudgement], e usando crítica construtiva de nossas escolhas e decisões diárias com uma via para direcionar nossa energia em direção de nossos maiores potenciais e mais elevado bem (amor próprio) . . .
,
Pense nisso; de todas as energias que o Criador teve que escolher para tornar possível a criação de adicionais seres humanos, o Criador escolheu a energia sexual. Assim, por definição, a energia sexual é a ENERGIA CRIATIVA DIVINA original.

O Orgasmo, neste contexto, pode ser definido como a celebração do encontro com o DIVINIO através de seu parceiro sexual. . .  Saúde econômica ideal [Optimal economic health] é definida como o estado de vitalidade em que estamos constantemente cientes de, e acreditamos em, a lei universal da abundância. A lei universal da abundância significa simplesmente que o CRIADOR nos deu tudo o que precisamos, interna e externamente, para sobreviver e prosperar neste planeta, se estamos dispostos a merecer e aceitar o que é o nosso devido. O que nos é devido é  alimentação adequada, vestuário e abrigo, agora e todos os dias, para nos permitir avançar para o nosso bem maior e maior potencial como usamos nossos talentos especiais para alcançar coisas acima e além do que precisamos para sustentar a vida em sua forma idealmente saudável.”

Similarmente, Wallis Budge escreveu (Budge, Wallis, The Gods of The Egyptians [Os Deuses dos Egípcios], Dover Publications, N.Y., V. 1, 1969) “Intimamente associada com Thoth (Tehuti) no desempenho de alguns de seus deveres como o deus das letras e da aprendizagem, estava a deusa cujo nome é geralmente lido Sefthet (Sesheta) [Seshat].
. . . nós a vemos sem a sua veste de pele de pantera, segurando um caniço de escrita na mão direita, e a cartela [cartouche] simbólica de “nome” em sua mão esquerda; nesta forma ela sugere a idéia de ser uma espécie de anjo registrador [recording angel], não tanto dos atos cometidos pelo homem, mas de seus nomes, dos quais ela, presumivelmente, toma nota, pelo que seu associado Thot pode declará-los perante Osiris.
No título que acompanha esta imagem, ela é chamada de “A Grande, Senhora das Letras, Senhora da Casa dos Livros.” [“great one, lady of the letters, mistress of the house of books.”]

Liberman registrou (Liberman, J., Light, Medicine Of The Future [Luz, Medicina do Futuro], Bear & Company, Sante Fe, New Mexico, pp. 135, 1991) “Minha menstruação é um tempo em que eu experimento sensação “baixa para o chão” (depressão, síndrome pré-menstrual, desarmonia) ou “puxada para a Terra.” É como se eu estivesse sendo puxada para suas cavernas introspectivas para refletir sobre como eu estou lidando com minhas experiências de vida imediatas, agora, e para ouvir aquela quietude profunda dentro de mim. É um momento em que, qualquer que seja o processo de aprendizagem que eu esteja, eu sou iluminado e aumentado com emocional (intuição) consciência. . . .

[“My menses is a time when I experience feeling “low to the ground” It’s as though I AM being pulled into its introspective caves-to reflect on how I’m handling my immediate life experiences, now, and to listen to that stillness deep within me. It’s a time when, whatever learning processes I’m in in, I am enlightened and heightened with emotional (intuition) awareness.]

Em algumas das culturas Nativo-Americanas, é das visões do “tempo da lua” das Mulheres que o chefe da tribo recebia orientação para o próximo passo de seu povo ou o que eles precisavam saber como um todo.
. . .as mudanças que ocorrem durante o inverno e a menstruação (sazonal, diária dia/ noite) são realmente significantes para a limpeza da psique. . . Por causa dessa repressão crônica, certos momentos do dia, meses e/ou estações irão tender para re-engatilhar [retrigger] estes sentimentos, resultando em ansiedade, depressão, e perturbação emocional geral (desordem afetiva sazonal, depressão, ansiedade, em ambos os sexos masculino e feminino).”

Sizonenko e Aubert escreveram (Sizonenko, P.C. and Aubert, M.L., Neuroendocrine Changes Characteristic of Sexual Maturation [Mudanças Neuroendócrinas Características de maturação sexual], J. Neural Transm [Suppl] 21: pp. 159-181, 1986) “tais fatores irão iniciar a atividade do hipotálamo para gerar a liberação pulsátil de GnRH e, secundariamente, a secreção aumentada de gonadotrofinas e esteróides sexuais (gonardarche). Este ’‘oscilador’’ está sob a influência de neurotransmissores cerebrais” (catecolaminas e serotonina), peptídeos opióides endógenos e de provável melatonina Pineal.”

(Olho de Heru, Olho da Alma, Olho da Visão Interior) A crônica diminuição dos níveis de secreção de melatonina durante a ovulação, e baixos níveis no meio da menstruação (ciclo da lua de 28 dias) com os níveis semelhantes de melatonina para a masculina produção de esperma durante o ciclo solar de 40 dias.

 

.

 

Anúncios

Sobre https://estahorareall.wordpress.com/

https://estahorareall.wordpress.com/
Esse post foi publicado em Dr. Richard King M.D., Melanina - Uma Chave Para A Liberdade e marcado , . Guardar link permanente.

2 respostas para Melanina – Uma Chave Para Liberdade – Richard King, M.D –

  1. https://estahorareall.wordpress.com/ disse:

    Dr. Richard King, M.D. – – – Km Wr -: Melanin & the Pineal Gland –


    Curtir

  2. https://estahorareall.wordpress.com/ disse:

    Dr. Richard King, M.D. – – – Excerpt: Melanin & the Pineal Gland –


    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s