Melanina – Uma Chave Para a Liberdade – Capítulo I – Introdução – Richard King, M.D.

Melanin - Key To Freedom - capaxxxxxxxcapa mela


– Melanina –
Uma Chave Para a Liberdade –
– por Richard King M.D. –
– pg. 11 – 18 –
– Introdução –

 

 

————————————————————–

 

 


 

 

 

                                                   INTRODUÇÃO

 

O estudo de Melanina é em si mesmo uma área de assunto inacreditavelmente vasta que é o foco atual de intenso estudo científico. Esta é apenas uma breve e parcial consideração de um oceano de ambos, velho e novo conhecimento. Por favor, considere este estudo sobre Melanina como apenas uma introdução, um grão de areia em uma praia de conhecimento que é composta de linhas costeiras de areia muito diferentes, todas, à margem do mesmo vasto oceano de “Vida Mediada por Melanina” [Melanin Mediated Life]. Uma futura consideração própria do tema Melanina abordará as principais sub-seções do “Oceano de Vida da Melanina”[Melanin Life Ocean]  nas formas de

(1) Melanina Cósmica  (Moléculas Orgânicas Complexas de Melanina em Nuvens Interestelares de Gás nas Regiões Disco Central da Galáxia) [Cosmic Melanin (Melanin Complex Organic Molecules in Interstellas Gas Clouds in Galaxy Central Disc Regions)].

(2) Melanina Planetária,

(3) Melanina do Reino Vegetal (Clorofila, Equivalentes de Foto-pigmentação), e

(4) Melanina do Reino Animal.

Nesse sentido, esta visão geral é focada sobre apenas uma destas quatro grandes sub-seções principais de Melanina, a Melanina do Reino Animal, particularmente dentro da espécie Homo Sapiens, a Humanidade. Referência especial é dada ao potencial evolucionário epigenético dentro da humanidade, “Filho da Luz,”  “Transformação de Melanina”, ou estágio “Homo Maximus” da humanidade.

A mentalidade do estudante é fundamental para todo o trabalho realizado por ele ou ela em seu processo de desdobramento de observações científicas. Cada etapa do método científico é profundamente colorida ou, melhor ainda, inconscientemente projetada sobre-a formulação da pergunta inicial ou hipótese, medição de facetas observadas, análise de medição de facetas derivada de dados, e a formulação de uma hipótese final que tenta explicar os padrões de relações medidas observadas entre várias facetas de uma questão em observação.

É dado que, na busca de cada etapa do método científico o processo da concentração humana de atenção é de fato um intenso processo que se baseia em muitos níveis da experiência humana de consciência. Infelizmente, a maior parte dos níveis de consciência tão utilizados é inconsciente para alguns cientistas e sua audiência pública. Assim, se alguém está a considerar seriamente a atual controvérsia existente nos anos 1900 sobre o estudo de Melanina, apesar da existência de eras de conhecimento antigo e novo sobre Melanina, então, esteja certo que isto tudo é apenas um testemunho da grande necessidade por futuros estudos de Melanina.

A humanidade está precisando desesperadamente de um estudo completo público sem censura da evolução da consciência, mediada por Melanina, da Humanidade, ao longo dos tempos e em outras formas de vida do Reino Animal neste planeta Terra.

Eu estou certo de que esta “Pesquisa de Melanina da Nova Era” será feita por aqueles dos nossos filhos que irão escolher a vida em vez de testemunhar a extinção de toda a Humanidade. Após a revisão dos leitores desta Introdução sobre Melanina possivelmente muitos leitores vão encontrar-se perguntando a si mesmos se toda esta pesquisa de Melanina relatada é real.

Pesquisa de Melanina, obviamente, define apenas o quão essencial a Melanina é para a vida existir em sistemas biológicos e em seres humanos.
Por que é que Melanina não se tornou amplamente conhecida pelo público em geral?

O leitor também pode questionar a validade de se assumir Preto como sendo relacionado com inferioridade ou baixa inteligência/criatividade se Melanina é mostrada como sendo fundamental para níveis elevados de função cerebral.

Como pode a Supremacia Branca ser válida, se, apesar das diferenças na cor da pele todos os seres humanos têm massivas quantidades de Melanina Preta em locais de órgãos internos, particularmente o cérebro?

Apesar da adaptação e sobrevivência Africana em muitos ambientes difíceis, como os ecossistemas glaciais, internamente toda a Humanidade ainda é bastante Preta no interior.

Não revelam estas pesquisas de Melanina que a Humanidade é uma população derivada do Africóide Preto, que varia em cor da pele externa, do Preto-Roxo ao Branco, mas que são, todos, Pretos no interior?

Não tem os passados 500 anos de história deste planeta Terra sido testemunhas de uma Consciência Branca perpetuadora dos crimes humanos mais bestiais na história do planeta Terra com uma brutal Européia exterminação de cerca de Um Bilhão de humanos Africanos, destruição de múltiplas elevadas culturas Africanas na África, Terror Africano, estupro e mutilação durante uma forçada escravidão e pilhagem da Terra-Pátria Africana?

Não tem os passados 6,000 anos de história deste planeta Terra testemunhado uma consciência Branca de destruição de outros vastos milhões de pessoas de cor nos continentes da Europa (Ásia Ocidental), Ásia (Leste Asiático), Austrália, América do Norte e do Sul e África ?

Não foi essa consciência Branca expressa por algum “tipo diferente de Africano”, os reais assassinos de seus próprios pais Africanos?

Não demonstram os passados 6000 anos da história humana que existem, de fato, diferentes tipos ou estilos de consciência humana, que têm sido profundamente influenciados pela cor da pele e padrões de embranquecimento do ambiente ?

O que é Consciência Negra ? O que é Consciência Branca, Racismo, e Supremacia branca ? Tendo em conta que somos todos Africanos e internamente Pretos, não representa a distorção de um racista da negritude biológica o trabalho de uma “pessoa doente”, uma pessoa mentalmente doente com um ferido olho de Visão Interior?

[What is Black Consciousness? What is White Consciousness, Racism, and White Supremacy? Given that we are all Africans and internally Black does a racist’s distortion of biological blackness represent the work of a “Sick person”, a mentally ill person with a wounded Eye of Inner Vision? ]

Não É um Racista o Original Escravo Mental, profundamente deprimido e Psicótico (alucinação visual e pensamentos delirantes que não são baseadas sobre a realidade) ?

Não é verdade que a população carcerária dos Estados Unidos triplicou nos últimos dez anos?

Não é verdade que o processo e eleitorado de apoio político atual suportam ainda mais maciços aumentos na população prisional?

Não são 45% da população prisional e a maioria dos condenados à morte, Pretos do sexo Masculino?

Não são já os Estados Unidos, para o cidadão médio Preto, um estado policial com a maior taxa de cidadãos em prisão do que qualquer outra nação no planeta Terra?

Não passa esta região por uma guerra civil sobre a questão da escravidão física do Povo Preto?  Não foi a Industrialização Européia financiada pelo tráfico de escravos Africanos?

Não foi o tráfico de escravos Africanos um comércio triangular de drogas que envolveu as drogas álcool, rum, com posterior expansão em ópio/heroína e cocaína?

Não são o mesmo eleitorado e público em geral as verdadeiras vítimas da deseducação grosseira, horríveis baixos padrões de educação e indisponíveis serviços adequados de saúde mental?

É a doença mental desenfreada e sem tratamento?

Não estão as prisões e as escolas cheias de subdesenvolvidos, deseducados, diagnosticados, doentes, porém latentes gênios criativos?

Por que a pesquisa de Melanina tem sido suprimida?

Por que há uma ignorância tão chocante sobre a importância biomédica da Negritude biológica?

[Why hás Melanin research been supressed? Why is there such a shocking ignorance of the biomedical importance of biological blackness?]

Racismo é uma Doença Grave, a Doença Mais Prevalente no Mundo. O Racismo é um Câncer da Mente e Alma. Racismo Resulta em Ignorância do Corpo, Mente, Alma, Espírito e é Fatal.

O Racismo é a Principal Causa de Mortes no Mundo. A Doença Racismo Gera Ignorância, os Principais Sintomas de Diagnósticos Sendo Medo, Infelicidade, Depressão e Psicose.

Assim sendo. Racismo e Supremacia Branca é o terreno baixo [Racism and White Supremacy is the low ground]. A Verdadeira Negritude, especialmente Melanina é, pela maioria dos relatórios, Divina, o Altíssimo Chão.

Sim, MELANINA PRETA é o Alto Chão [High Ground], o Ponto de Referência sobre o qual esta Introdutória Visão Geral sobre Melanina é Fundada.

[Blackness, especially Melanin is by most of reports Divine, the Most High Ground. Yes, BLACK MELANIN is the High Ground, the Point of Reference Upon Which This Introdutory Overview Of Melanin is Founded]

O Objetivo desta Introdução à Melanina é Estudar a Hipótese de que Melanina é o Químico da Vida. A História Evolucionária. A História Embriológica das Formas de Vida, e, particularmente, a História do Desenvolvimento PsicoSexualEspiritual das Formas de Vida quando estudadas, têm sido,  todas, encontradas como sendo mediadas por Melanina e Eventos Físicos/Químicos relacionados à Melanina.

A Hipótese, Melanina é o Químico da Vida, é crucial em oferecer uma abordagem quantificável que leva diretamente para o estudo do papel da Melanina no Processo de Salvação da Alma, a Libertação, Ascensão, Transformação de uma Forma de Vida em um Tipo mais Consciente, que é, assim, capaz de atingir ressonância harmônica com níveis mais altos (comprimento de onda extremamente curto) de Radiação de Luz, que impregna o Meio Ambiente. Esta Latente Potencialidade, a Alma, é liberada de um tipo de consciência baseada em robótico medo, que é principalmente preocupada com a sobrevivência imediata e prazer imediato. Na medida em que o nível de consciência do ego centrado no corpo persiste, apesar dos cataclísmicos terremotos e sacudidelas da alma sepultada no corpo, Ótima Saúde é evitada e a Doença prevalece em uma miríade de “Chamados Despertadores da Alma” [“Soul Wake Up Calls”].

Racismo por esta definição é uma forma de Detido Desenvolvimento, em que uma forma de vida é “congelada” ou “Fixada” em uma consciência que se agarra à aparência da imagem corporal de sua própria forma e evita a visualização das memórias genéticas de passadas formas de vida dos pais e visões das formas de futuros filhos. O Estado Congelado, Ego-baseado, “Egoísta” [“Big Head”], Megalomaníaco do Racismo existe como postura defensiva para evitar mal integradas “Estresse Pós-Traumático atrelado” memórias emocionais genéticas de Catástrofes Climáticas/Geológicas vividas por ancestrais. No processo de adaptação pela despigmentação da pele, calcificação pineal, baixa dos níveis séricos de vitamina D, permitiram a sobrevivência de Formas de Vida “Hipopigmentadas”  de Melanina na Pele em um ecossistema Climático Geológico Glacial.

A mentalidade racista tentará suprimir (Supremacia Branca) os fatigantes “Chamados Despertadores da Alma” mediados por Melanina que aparecem em um nível Planetário e em nível Humano Individual. O racista tentará controlar o seu ambiente com uma propaganda prolífica (Supremacia Branca), cujo tema central é o de que a natureza da humanidade é a de uma Besta (que Preto é o sinal do diabo, sujeira, a “besta animal”), que o universo é apenas uma gigante máquina Sem Coração (que A Máquina Computador é Deus, que a mais alta forma de pensamento humano é a análise abstrata masculina estritamente lógica) (que as emoções são um sinal de fraqueza, o subdesenvolvido, o feminino primitivo”), e que, portanto, o único sóbrio objetivo, propósito, ou sentido para a vida deve ser encontrado na saturação de experiências sensoriais por imediato prazer/dor (Dinheiro, Dinheiro, Dinheiro, Sexo, Comida, Casa Grande, Carro Grande).

Apesar dos contínuos rumores e sacudidelas de uma alma tão enterrada no corpo, em tal total DESEQUILIBRADA PERSEGUIÇÃO POR PRAZER, apesar da persistência de uma vida-inteira de trivialidade e grandes sacrifícios pessoais da carne na esperança de um feliz céu em algo Celestial depois vida de morte, apesar da busca incessante por uma “Nova e melhor Emoção”, muitos relatam que eles continuam “machucados por dentro” e sentindo “com fome e famintos por dentro”, certamente doentes;

O conhecimento do que desperta a nascer dentro da forma de vida adulta tem sido suprimido por tanto tempo que ele foi realmente perdido. Pois até mesmo os guardas das prisões estão doentes e em busca desta muito importante “coisa perdida”, A Alma. O estudo do tema da alma foi publicamente rotulado por alguns como “fora dos limites”, “pseudo-ciência”, além da análise científica quantificável. No entanto, o estudo biomédico da alma está sob intenso controle institucional por inúmeras teorias distorcidas que são apenas “mapas mentais de becos sem saída” “doutrinas filosóficas/religiosas” que não são baseadas em um estudo da natureza. O racista tentará esconder e distorcer uns, parcialmente perdidos, mas parcialmente conhecidos estudos sobre o desenvolvimento da alma em Psiquiatria, História, Biologia, Química, Física, e Matemática.

O racista irá focar apenas nos segmentos das disciplinas científicas que somente definem o Ego. No entanto, é este estudo do papel da Melanina no desenvolvimento da alma que é apoiado por uma expansão de conhecimentos através dos trabalhos de excelentes Cientistas femininas e masculinos no mundo todo, nas diversas Faculdades da Universidade de Natureza. A humanidade está agora se aproximando rapidamente do ponto onde nós iremos recuperar coletivamente o que foi perdido, os precisos mapas mentais para a transformação pessoal, relações familiares, e transformações sociais que promovam Salvação da Alma e Desenvolvimento da Alma.

Melanina, pela natureza de sua vasta presença na natureza e freqüente sobreposição de funções e sistemas relacionados à Melanina, requer uma equipe multidisciplinar de estudo. Dentro da abordagem da equipe é da maior importância que uma perspectiva histórica Africano-Cêntrica seja o ponto de ancoragem e articulação a partir do qual esses estudos são conduzidos. Esta é uma perspectiva fundamental que promove a descoberta de antigos modelos de pesquisa de Melanina, Simbolismo Preto, e Psiquiatria, que foram conduzidos por antigos Estudiosos da Universidade Africana durante um tempo muito antes do surgimento do racismo e Supremacia Branca Europeus. Racismo produziu generalizada má-interpretação, fragmentação, supressão e perda de antigas fundamentais descobertas Africanas sobre Melanina.

Esta introdução irá brevemente revisar achados que apontam para a existência de Pesquisa de Melanina e Estudos Psicológicos pelos antigos Africanos em Kemit. Esses estudiosos Africanos parecem ter descoberto o crítico fato psicológico de que a visualização de Símbolos Pretos pela mente/alma humana poderia induzir mudanças dramáticas em estados de consciência e induzir a saúde ou ferimento do Olho da Visão Interior, O Olho de Heru, A Glândula Pineal. A Glândula Pineal é agora conhecida por, durante a noite, liberar para o sangue / LCR [líquido cefalorraquidiano] o hormônio melatonina. Melatonina afeta todo o sistema de Melanina do Inteiro Corpo Preto (HBB), aumentando a quantidade liberada de MSH (hormônio estimulante de melanócitos) da Pituitária, aumentando assim a produção de melanina pelos melanócitos da epiderme, que por sua vez, afetam diretamente a produção de Melanina nos locais de órgãos internos.

Por favor, considere, seção 157 dos Antigos Keméticos Textos Dos Sarcófagos (2100 – 1675 a.C.) (R.O. Faulkner, tradutor), “Aconteceu que Re disse a Horus: ‘ Deixe-me ver seu olho desde que isso aconteceu com ele’. Ele olhou para ele e disse: ‘Olhe para esse (Preto) traço com a sua mão encobrindo o Olho de som [sound Eye] que está lá.’ Horus olhou para o traço e disse: ‘ Eis que eu estou vendo-o como totalmente branco” e é assim que o órix surgiu, e Re disse: ‘ Olhe novamente para aquele porco preto. ’ E Horus olhou para este porco preto, e Horus gritou por causa da condição de seu olho ferido, dizendo: ‘ Eis que o meu olho é como aquele primeiro ferido, o qual Seth infligiu em meu olho ‘, e Horus ficou inconsciente em sua presença e Re disse: ‘ O porco é detestável para Horus ‘. ”

Assim, mais de 4.000 anos antes da redescoberta da análise do inconsciente e dos sonhos pelo psiquiatra e médico, Sigmund Freud (estudante e colecionador de psicosimbolismo Kemético), estes antigos Africanos estavam bastante familiarizados com o conceito do inconsciente e o processo psicológico de projeção. Além disso, eles parecem ter sido familiarizados com os conceitos de Visão Interior, o Olho de Heru (Glândula Pineal), e as relações do sistema endócrino à visualização de Simbolismo Preto.

Estes são assuntos que foram perdidos e apenas parcialmente recuperados pela ciência moderna. Antigos Africanos de Kemit valorizavam tanto a sua Pele Preta que havia uma proibição contra a alteração da pele Africana como foi registrado na 32ª das 42 Confissões Negativas, Melanina da Pele era diretamente identificada sob os títulos Keméticos de Carne de Ra e Carne de Heru. Melanina, ou melhor ainda, khem, o nome Kemético para Preto, era vista como tendo propriedades “mágicas”, sob o nome de Âmbar-Negro [Jet] (Cristo). Preto, um nome dado ao Minério Preto que resultava do Kemético processo metalúrgico de separar Ouro e Prata da Terra bruta pelo uso de Mercúrio.

Em um nível simbólico, este processo foi redescoberto pelo psiquiatra C.G. Jung como o Processo Simbólico de Alquimia, uma experiência na qual apenas o processo de intensa concentração de atenção (meditação) pelo observador foi visto a produzir uma projeção espontânea do próprio conteúdo inconsciente do observador sobre o assunto sendo visualizado. Simbolicamente, a mente (mercúrio) separava o ouro (Luz, efeitos Astronômicos) da Prata (Memória Genética, Corpo Material/Planetário).

Assim, é a partir de uma perspectiva histórica Africano-Cêntrica de nossos Ancestrais Africanos que eu tenho sido abençoado para encontrar as Raízes desta Grande Árvore da Vida Preta de Melanina [Great Melanin Black Tree of Life] sobre a qual tem Florescido um Fruto de Sacrifício, Uma Introdução Para O Estudo de Melanina, Âmbar-Preto , Khem, A Carne de Ra, A  I-33 Carne de Horus, e Wosir (Osiris), O Preto Perfeito.

Anúncios

Sobre https://estahorareall.wordpress.com/

https://estahorareall.wordpress.com/
Esse post foi publicado em Dr. Richard King M.D., Melanina - Uma Chave Para A Liberdade e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s