Dr. Richard King M. D. – Origem Africana da Psiquiatria Biológica – Capítulo 8 –

 

download (4) 41baFWtdDvL._BO2,204,203,200_PIsitb-sticker-arrow-click-small,TopRight,12,-30_AA300_SH20_OU01_ iI African Origin of Biological Psychiatry by Dr Richard D. King M.D. CAPA

 

Dr. Richard King M.D.
Origem Africana da Psiquiatria Biológica –
O OLHO DE HERU/ GLÂNDULA PINEAL  –

Capítulo 8 – Parte A-

“00 = m33 = “VER”,
A VISTA DE VISÃO INTERIOR DO POVO DO SUL, ANU, 1333 A.C., KEMITA

[“00 = m33 = “SEE,”
THE ANU SOUTHERN ON SEE OF INNER VISION ,1333 B.C.E., KEMITE]

pg. 38 – 50

———————————————————————

 

Capítulo 8

A.
              “00 = m33 = “VER”,
A VISTA DE VISÃO INTERIOR DO POVO DO SUL, ANU, 1333 A.C., KEMITA

[“00 = m33 = “SEE,”
THE ANU SOUTHERN ON SEE OF INNER VISION ,1333 B.C.E., KEMITE]

 

Após pelo menos 28 anos, senão muitos mais anos de reflexão sobre as questões de histórica consciência de cor humana [historical human color consciousness], tornou-se uma revelação interior que tais questões, tanto surgem quanto são respondidas pelos ciclos cósmicos e terrestres de Luz pelas viagens dos sóis, luas, luz do dia, luz da noite, assim como vista pelos Africanos Pais de toda a humanidade, o povo Anu, do sul do antigo Egito, Kamitas, 1333 A.C., Registro do topo, painel da direita, Segundo Santuário, Tumba do Faraó Tutankhamen.

Criticamente, isto foi definido pelos Anu como as Sete Etapas no processo de desenvolvimento educacional da Visão Interior através dos três graus de Estudantes (James, G., Stolen Legacy, [Legado Roubado], Capítulo 3)

(Grau 1. Neófito [Neophyte], estudante Probatório, Infância ;

Grau 2. Inteligente [Intellegence], Homo Sapiens Sapiens, Idade Adulta, Realização da Visão Interior como uma visão do Djet Eternidade do País/Terra (IMORTAIS), União de Opostos, Pilar do Meio [Middle Pillar], Ativação do Olho Interior, Glândula Pineal linha média [Midline Pineal Gland]/ Hipotálamo / Glândula Pituitária / Terceiro Ventrículo através de uma União do Hemisfério Cortical Direito … /Feminino/Ascensão a partir das Baixas emoções de medo da morte, medo da dor, medo da perda, raiva, violência, luxúria animal, embriaguês, intoxicação, confusas e alimentadoras dos portais dos órgãos sensoriais para mais elevadas emoções superiores transcendendo a raiva, violência, baixa luxúria animal, para a euforia da expressão do talento criativo, Possessão do Espírito Santo/Falar em Línguas, investigação da Visão, Caminho da Vida como a Dança Harmônica de uma Jornada Espiritual de um Flor Florescendo, Amor Ágape, União de Almas Gêmeas… e o Hemisfério Cortical Esquerdo/ Masculino/Ascensão a partir da lógica inferior para a Lógica Superior que realmente definia as fronteiras/interação, dança, evocações, semeadura, renovações, revelações, que abarcavam a plenitude de toda a criação, incluindo Matéria Luminosa, Inteiros/Buracos/Singularidades Pretos [Black Wholes/Holes/Singularities], Matéria Escura [Dark Matter], Lógica da Energia Escura [Dark Energy Logic];

Grau 3., Unidade com a Luz, Cristo, (sóis) Filhos/Filhas (sóis) da Luz [(suns) sons/Daughters (suns) of Light], Obtenção da Visão interior como uma visão de Neheh Eternidade do Sol/Luz (IMORTAIS), Multi-Gênio/, Homo Sapiens Maximus, translação da luz aural biológica/ luminosa Negritude [luminous Blackness] (Neuromelanina/Melanina), Espírito Ankh, Falecidos Bem-Aventurados, Ancestrais, KM WR, O PRETO PERFEITO, WOSIR [OSÍRIS], O TIPO AFRICANO DE PERFEITO ADULTO IDEAL COMO IMHOTEP, AST/ISIS, bem capaz de viajar através da fontanela anterior, a Porta de Entrada no Topo [Doorway on the top] / coroa do crânio, lugar elevado [heaved up place], o interno/externo ser celestial harmonicamente afinado [atuned]/visto pelo complexo de tecido Preto luminoso de Neuromelanina I33 com pele Preta luminosa fenomelanina todamelanina/neuromelanina possuindo antenas de Ponto Quânticas [quantum Dot antennae] para a translação de recepção da luz interna/externa difundida em ambas dimensões quânticas, singulares, e cósmicas até a pedra Ben Bem dos Anu [Anu Ben Ben stone] trato nervoso de Neuromelanina do Amenta (Locus Coeruleus [Ponto Preto, Espírito Ankh], Substantia Nigra [Substância Preta]) / Trato espinhal intersticial (Epitélio alinhado à neuromelanina alinhado com celia do Canal Central da medula espinhal) como parte do Sistema de Ativação Reticular a ser exaltado pelos hemisférios corticais da linha média [midline cortical hemispheres] contendo o real/simbólico pássaro Anu Ben Ben [Anu Ben Ben bird] pássaro com as asas/ventrículos laterais da referida ave contendo um forro de neuromelanina que através da vida adulta lança sementes de novos neurônios que se submetem a uma viagem de ida e volta de três semanas de micro-gestação descendente/ascendente através da codificação do campo elétrico energético pelos gânglios basais do órgão circoventricular do tronco cerebral, incluindo os locais geradores de emoção/significado da amígdala e tálamo, em seguida, ascende e se enraíza no córtex de associação superior, com um ascendido órgão sensorial de expressão de viagem astral, materialização/desmaterialização, derivado de neurogênese/neuroplástica.

Assim, para um estudante de grau 3, a visão interior é experimentada como um nível Multi-Gênesis da vida consciente diária, tornando-se semelhante a Deus, em ambas luz do dia e luz da noite, com uma ascensão dos cinco sentidos de tal forma que a sua é uma ascensão da visão para clarividência, “maior clarividência”, “visão divina”, “realização”;  ascensão da audiência para clariaudiência, maior clariaudiência,”compreensão” e “bem-aventurança”; ascensão do olfato para “idealismo emocional”,”discernimento espiritual”, “idealismo”, “todo conhecimento”; ascensão do paladar para “imaginação”, “discriminação”, “intuição” e “perfeição”; e a ascenção do tato para “psicometria”, “psicometria planetária”, “cura” e “serviço ativo”.

Chegou até nós, de Platão,

(Timeu, 22B (trans. Bury 1913, p.33; Bury, J.B. (1900) A history of Greece to the Death of Alexander the Great: Macmillan; Bernal, M., Black Athena, The Afroasiatic Roots of Classical Civilization, V. 1, The Fabrication of Ancient Greece, 1785-1985, Rutgers University Press, New Brunswick, New Jersey, 1987, p. 107, 459, 529-530, 553; Bernal, M., Black Athena, The Afroasiatic Roots of Classical Civilization, V. 11: The Archaeological and Documentary Evidence, Rutgers University Press, New Brunswick, New Jersey, 1987, p.78)

o registro escrito de um encontro entre sacerdotes Egípcios sêniores e o Grego Sólon em cerca de 550 A.E.C. [A.C.], 2560 anos antes da nossa atualidade de 2010 E.C. [D.C.]. Este é um relatório crítico da reunião do Grego Sólon, legislador Ateniense e fundador das instituições governamentais Gregas da democracia em Atenas, com sacerdotes Egípcios de alto nível na então capital Kemética de Saïs, no Delta ocidental.

Bernal cita o relatório escrito de Platão, “Ele (Sólon) foi ainda concedido uma entrevista com sacerdotes Egípcios sêniores, um dos quais, depois de ter condenado Sólon com as famosas palavras “Ó Sólon, Sólon, vocês Gregos são ‘sempre’ crianças. Não existe tal coisa como um Grego velho”, passou a dizer a Sólon que Atena tinha fundado Atenas antes de Saïs, ao invés do contrário. Ele explicou que a razão para a falta de conhecimento dos Gregos sobre isso e a ignorância geral Grega sobre o seu próprio passado era que a cultura Grega tinha sido periodicamente destruída por desastres de fogo e água, não deixando nenhuma memória da ex-glória de Atenas.

No Egito, no entanto, graças a sua posição favorecida, as instituições tinham sido preservadas.”…. (Bernal, V.1, nota 158, p.459.)

Além disso, Bernal escreveu:” “Platão, Timeu, 23A. É possível que Platão esteja realmente registrando uma antiga tradição aqui. O conteúdo das lendas do desastre será discutido no vol. 2. É possível que tenha havido uma paranomásia, ou trocadilho sagrado, em que, por Atenas, o sacerdote significava Hy NT, o nome religioso e, portanto, nome anterior de Saïs.
Veja a introdução e Vol. 2. Veja também Bernal (1985 [1987] a, p.78.”

Claramente o registro de Sólon documenta a definição dos Egípcios sêniores sobre os Gregos como sendo “sempre” crianças é um grande Evento como a avaliação por um antigo Sacerdote Kemético de um estudante Grego para a obtenção de apenas o estágio 1, aquele  de um neófito, carente da visão interior de um estudante de grau 2 ou grau 3, um estado de “Desenvolvimento Detido” carecendo do antigo Sistema Educacional de Mistérios Africano das instituições educacionais Iniciáticas com um estudo da Natureza com Astronomia, Geologia, Matemática, etc.. para limpar a mente de tendências irracionais, e as 10 virtudes com as 42 declarações de Inocência do capítulo 125 do Livro da Revelação (Book of The Coming Forth by Day and Night [Livro dos Mortos]), para cultivar/ascender(elevar) as paixões mais baixas para as emoções/paixões mais elevadas que, em conjunto com a lógica ascendida floresceriam  o/a Ponto Preto/Semente latente humana no mais perfumado Lótus de 1.000 pétalas do Nilo Arquetípico da “Visão Interior” do “Completo” ou “Olho do Som” [“Sound Eye”] de Heru.

Este é “O Terceiro Olho” [“The Third Eye”], O Olho Ascendido da Visão Interior [The ascended Eye of Inner Vision], a Glândula Pineal ativada nos estudantes de Grau 2 e Grau 3, que pelo processo de Iniciação/Educação tinham obtido a liberdade de sua alma e espírito dos grilhões (cadeias) da prisão do denso material, incompleto, corpo físico e emoções/paixões inferiores animais, um Unificado Terceiro e Quarto Olho anteriormente presente na parte de trás da cabeça de formas de vida vertebradas inferiores dos peixes, como um terceiro e quarto Olho Pineal nas águas do oceano primordial de Nun durante a Idade Devoniana de 500 milhões de anos atrás.

Igualmente importante, foi a avaliação do sumo sacerdote dos antigos Keméticos Anu sobre o limitado, congelado desenvolvimento do estudante Grego Sólon, no nível de criança, estado do desenvolvimento humano incompleto do nível de neófito de 1º Grau, resultante de Transtorno Mental psiquiátrico do Transtorno de Estresse Pós-Traumático resultante da inundação [dilúvio] de uma anterior realização verdadeira Ancestral Parental da Visão interior;  pela fracassada luta subdesenvolvida com as emoções/paixões Gregas IndoArianas de perda Abrupta Repentina Titânica Traumática seguindo as pragas reais de incêndios, inundações, secas, Idade do Gelo, a desativação da melanina da pele hipopigmentada pela  calcificação da Glândula Pineal com uma redução de 50% nos níveis de hormônio pineal noturno melatonina, o aumento de cancros da pele resultantes do aumento de luz U.V. atmosférica nos ecossistemas de Idade do Gelo dos Eurasianos com pele mais clara feomelanina isolados nas altas montanhas dos Vales do Cáucaso e Vales Alpinos, de crianças Africanas adaptadas de sua linhagem Anu, Homo Erectus Preto Africano Raiz Humana em migração da terra Africano central comum, Terra Khui, Terra Santa, Terra das Sombras, Região dos Grandes Lagos nos colinas ao sopé da Montanha Oriental da Lua [Eastern Mountain of the Moon] (Kilimanjaro) e Montanha ocidental da Lua [Western Mountain of the Moon] (região montanhosa do Monte Renzori), que O Livro da Revelação Pelo Dia e Noite [The Book of The Coming Forth By Day and Night (Livro dos Mortos)], cita como o Lago do Ru e Lago Karu, a M3NW, a “Simbólica Porta Limiar da Melanina” [“Symbolic Melanin Threshold Door”] como uma singularidade de  Buraco/Integral/Ponto Preto da intensa Negritude no horizonte ocidental através do qual o Sol entra na terra ao pôr-do-sol para começar a sua passagem através do todo reino Preto de Amenta durante os 12 portões/horas da noite para emergir como o ressuscitado/renascido Sol ao nascer do sol no topo da cabeça da deusa Kephra no horizonte oriental para uma passagem de 12 portões/horas do dia através do corpo de deusa do céu Nut.

Pois foi depois de tal abrupta mudança  catastrófica traumática que surgiram em tais populações humanas da pele clara altos níveis de embriaguez, intoxicação, confusão, grandiosidade bipolar, alucinações de ego inflado com visões delirantes do divino com falsos sentimentos de euforia/PTSD flashbacks lembranças de experiências traumáticas do passado como culpa inapropriada com entorpecimento emocional com medo excessivo, paranóia, alucinações, delírios de perseguição, falsa euforia, de tolo de ouro, ansiedade / psicose / dissociação / formação de reação / negação / genofobia / sadismo / racismo / supremacia branca / sexismo / graves distorções de memória de curto prazo com comprometimento grave da memória inconsciente coletiva, Medo Cármico Titânico Projeção do Diabo/Satanás como o Grande Deus uma Raiz de Medo Arquetípico da Negritude como uma desumanização dos Deuses Pretos dos estudantes geniais Africanos de graus 2 e 3 com visão além mas com a não-alcançada Visão interior Eurasiana Ocidental reduzida aos mesmos olhos que a branca, megalomaníaca, psicótica, defensiva redução de deuses Africanos para escravos, sem-posses, sem-teto, negados a educação, reduzidos mas em uma fantasia não compartilhada por tais Africanos sem-posses, mas ainda viva com o dormente adormecido  pássaro Fênix Ben Ben em Âmbar, envolto dentro de uma imagem, projetada pelo senhor-de-escravos, de seus pais Africanos como seres sub-humanos inferiores com almas maculadas pelo animal inferior cru.

O preço horrível de lucrar com este roubo da Missão da Humanidade, este Legado Roubado Titânico continua a ser uma negação global da Visão Interior, um fracasso para passar de um desenvolvimento detido de um ser preso na infância,  Grau 1, incapaz de alcançar e possuir a Visão Interior dos Graus 2 e 3, a elevação do Homo Sapiens para o Homo Maximus, os estudantes de Grau 1 permanecem embaralhados, confusos, intoxicados com uma Porta Falsa, Viela Cega, Trajeto Errado, Rasa, visão superficial da Negritude como um medo delirante psicótico da Negritude como Morte, O Fim, O Diabo, Anjos Caídos, Demônios, Sofrimento, Lamentação da Morte, inferioridade, contaminação pelo imundo, quando na realidade a Negritude é um Símbolo Divino da Espiritualidade como um Renascimento, Ressurreição, Renovação como refletida no Granito Preto Rosa (Preto com manchas ziguezague de Vermelho) da Câmara do Rei da Grande Pirâmide e a Pedra Limiar da Porta do pátio exterior para o pátio do meio e a Pedra Limiar da Porta do pátio do meio para o pátio interno no Templo Kemético em Abydos, local do sepultamento simbólico da cabeça de Wosir [Osíris], o Preto Perfeito.

A Negritude [Blackness] é um Símbolo Divino do Mistério da Ressurreição, Transformação, Renascimento de seus Bas, Um Ancestral Célebre/Matéria Escura/Passagem assistida da Energia Escura pelo de Comutação de Limiar de Semi/Supercondução e Comutação de Memória. Reino do Espírito através de uma Porta Preta pela Ascensão do Limiar de Comutação de Semi/Supercondução e Comutação de Memória.

De acordo com Atkinson Jourdan

(M. Jourdan Atkinson, Creolism & Racism On The Gulf Coast, Roots, P.O. Box 14645, Houston, Texas 77021, p.29),

Existe no âmago da racista, genofóbica, supremacia branca, latente /ativa Grega (550 a.C./332-320, e mais tarde 30 E.C.), Romana (202 A.E.C.), e muito mais tarde posterior a 1492 E.C. (D.C.), Espanhola, Portuguesa, Francesa, Holandesa, Inglesa, Italiana, Alemã, como um único sistema de pensamento investido no “confuso, bagunçado”, detido nível 1 de desenvolvimento PsicoAlmaEspiritual Grego como um confuso culto ao sol e confuso fetichismo albino como uma ignorância grosseira sobre a Negritude Interior Humana Universal, [Ignorância esta] baseada no medo como reação de formação defensiva psicológica do mental inferior/emocional inferior; e resultante Negação Psicótica da Negritude Interna como Neuromelanina, Carne de Ra, I33, m33, Olho Interior, Visão Interior, e Negritude Luminosa universal [universal Luminous Blackness].

Atkinson relatou: “De nenhum lugar pode este silogismo ser citado como tal.

Ele pode ser resumido a partir do medo da negritude [fear of blackness] (luto) de Luís (Louis XIV) (1685 EC. Código Negro. [Black Code]) (Rei Francês Luís XIV, 1600’s-1715 EC., o “Rei Sol” Francês),
[Seu medo da Negritude] (luto) como sinônimo de morte; sua recusa de proximidade a St. Denis, “o local de sepultamento dos reis”, a influência de sua morganática esposa, de cujos alguns dos anos impressionáveis da infância foram passados na ilha de Martinica; e de suas teorias relacionadas com o comércio de escravos Africanos.

Somente na base do fetichismo-albino –- a adoração de animais albinos e outros objetos naturalmente brancos ou brilhantes, principalmente ouro e prata, todos assumidos como sendo a essência do sol (ignorância da revelação pelos Pretos Africanos do Centro Africano Pais universais de toda a humanidade, incluindo a Eurásia Européia/Ocidental, [a Revelação] do Pedra Preta Ben Ben [Black Ben Ben Stone] contendo a essência [a alma] do sol) no conjunto de conceitos uma vez universais conhecidos como animismo — pode a oposição dos Nórdicos aos povos mais escuros ser compreendida.
Os princípios da supremacia branca dos Sulistas, ou o Arianismo de Hitler, ou o direito divino dos reis da Europa….

Além disso Atkinson relatou (p. 24-25, 12-13),

Isabela de Castela, de acordo com as descobertas eclesiásticas, via a escravidão como um plano divino para a salvação da alma Africana e via a si mesma como o instrumento divinamente (grau 1, bagunçado, confuso) designado para executar esse plano”.

Luis XIV dois séculos depois, via a escravidão como um negócio para o lucro e via a si mesmo como o Rei Sol (na realidade, grau 1, não grau 2 e não grau 3, misturado, confuso) sujeito a nenhuma autoridade maior que a sua. Enquanto impondo rigidamente o ritual católico, ele desprezou qualquer decreto papal que colocasse em risco o seu esquema de império.
Quando ele chegou ao trono, embora a consciência Cristã tivesse começado a questionar o direito de um Cristão para possuir outro, seu pai Luis XIII, já havia sancionado a escravidão para assentamentos Franceses ilícitos no hemisfério ocidental.

Fora de sua própria sabedoria divina (na realidade, uma criança como grau 1, misturado, confuso, bêbado, embriagado), Luis tomou cuidado com a idéia crescente dos Direitos do Homem, interpretando a teoria Cartesiana da natureza dual do homem desta maneira: o HOMEM é feito à imagem de DEUS. DEUS é LUZ. A centelha divina no HOMEM é trabalhada através de sua CLARIDADE [LIGHTNESS]. Portanto, o homem preto não tem nenhuma centelha divina e só é feito à imagem do HOMEM para aliviar o HOMEM da maldição do trabalho. Além disso, uma única gota de sangue negro adicionada a qualquer hereditariedade dilui-a toda ao nível animal preto.

Este, então, foi o credo de supremacia branca dos Bourbon que viria a permear o profundo sul da América do Norte…

“O Crioulismo [Creolism] teve seu início nas ilhas de Ispaniola [Haiti] e Cuba. Pode ser definido como uma sub rosa cultura pragmática fusão de características importados e nativas: Espanholas, Mourescas, Africanas, e Indianas, em uma área colonial sob administração ausente. O termo crioulo [creole], por sua vez, deriva de cria de lãs colônias,” ser nascido nas colônias.” Alguém deste modo nascido era apelidado crillo, como distinguido de um Peninsular nascido na Espanha, ou outro emigrante Europeu.

Originalmente, também um crillo, normalmente abreviado para criol’ era um catizo, isto é, de origem Européia pura em oposição à Puro Índio e Puro Africano, e especialmente para qualquer grau fracionado [miscigenado] dos mesmos. A Primeira geração de “miscigenados” [“crossbreds”] eram [chamados] Mestiços, Mulatos, e Zambos ou Sambos”…

Ele (Luis XIV, a linhagem de reis Franceses Bourbon) manteve-se a promulgar o primeiro Código Negro [Black Code], (Code Noir) regulando a relação entre senhor e escravo.

Em 1697, doze anos depois de o Código Negro [Black Code] entrar em vigor, a Espanha cedeu o extremo leste da [Ilha de] Ispaniola (St. Dominica, redescoberta por Colombo em 1492 EC.) Para a França, legalizando assim a colônia conhecida como Hayti [Haiti].

O Crioulismo Francês estava, à esta altura, claramente evoluindo… A miscigenação étnica era entre o homem Francês e a mulher Africana, com o casamento reservado para uma esposa Francesa… A conseqüência foi um sistema de castas com as crianças dos Crioulos ou Castizos (sangue puro) plantadores no topo. As curiosidades da Lei Francesa – meio pagã, meio Cristã – lhes permitiram estabelecer seus filhos Mulatos como “Pessoas de cor Livres” [“Free people of color”] (o Gens de Couleur)…

Na linguagem comum a casta Mulato incluía, sob o teorema da “uma gota de sangue”, todas as etnias fracionárias [miscigenadas], exceto a griffe [Africano com Índio]; ou seja, ela inclía os Quadroon, os Octoroon ou mustee, e os mustefino – os últimos dois termos emprestados, como Zambo, do Oriente colonial. O griffe era o filho de um verdadeiro mulato que aliava “abaixo de si ou si mesmo com um negro. Em ambos os casos o posto da mãe determinava se a criança era escrava ou livre…. A pessoa muito “clara” é conhecida em crioulo Francês como um didon. Negros modernos referem-se a alguém com uma preferência muito forte de compleição como “atingido pela cor” [“color struck”]… (Atkinson, p.26).

Concorrente com a invasão Francesa foi a intrusão Anglo nas Índias, cada uma sob o nome local para piratas-Bucaneiros [pirates-Buccaners], a partir do boucan ou “barbecue” dos Índios (barbacoa no México… Depois da época de Hawkins (Bucaneiro Anglo), [o termo] “Maroon” [“Quilombola”] passou a ser um termo Jamaicano comum para “refugiado, criminal, tanto para o escravo fugitivo quanto para as guerrilhas rebeldes.
… [o termo] ‘Humorosamente’ de desprezo “coon” parece vir de uma fonte semelhante….

Na época, a Inglaterra usou a ilha de Barbados como uma Sibéria política. Exilados Escoceses, a empolação (formação de bolhas) em seus saiotes-escoceses no trabalho forçado sob um sol trópico, eram ridicularizados como “Pés Vermelhos” [“Red Legs”].
Graças ao macacão como um uniforme de trabalho, esta terminologia seria alterada para “Pescoços Vermelhos” [“Red Necks”] e “Cracker” no continente.”

Para uma discussão continuada do evento central da Revolução Haitiana, a luta dos Pretos Africanos pela liberdade do ódio racial/ supremacia branca / Code Noir/Código Negro baseados na cor da pele, o leitor pode considerar o seguinte –

(1) Carruthers, J.H., The Irritated Genie, An Essay On The Haitian Revolution,The Kemetic Institute, 700 E. Oakwood Boulevard, Chicago, Illinois 60653, 1985;

(2) Dodard, P., The Idea of Modernity in Haitian Contemporary Art, M’Bow, B. Ed., Editeurs, 7550 N.W. 47th Avenue, Coconut Creek, Fl. 33073, Editions Henri Deschamps, Port-au-Prince, Hati, ISBN 13:978-1-58432-403-4, 2005,

(3) Godwin, D., Godwin’s Cabalistic Encyclopedia, A Complete Guide To Cabalistic Magick, New York, Llewellyn, ISBN 0-87542-03-4,1979;

(4)C.C. Zain (Elbert Benjamine), Course 6, Sacred Tarot, The Art Of Card Reading And The Underlying Spiritual Science, The Church Of Light, 2341 Coral Street, Los Angeles, Calif 90031-2916, 1921-1926, 1994;

(5) Deveney, J.P., Paschal Beverly Randolph, A Nineteenth-Century Black American Spiritualist, Rosicrucian, And Sex Magician, Albany New York, State University of New York Press, 1997;

(6) Hornung, E., The Ancient Egyptian Books Of The Afterlife, Ithacca, Cornell University Press, 1999;

(7) King, R., Melanin, A Key To Freedom, Baltimore, Afrikan World Books, 2010, (8) Bynum, B., Ed., Why Darkness Matters, The Power of Melanin In The Brain, Chicago, Illinois, African American Images,2005;

(9) Horowitz, M.J., Treatment of Stress Response Syndromes, American Psychiatric Publishing, Inc., Washington, DC, 2003

(10) Clarke, C. Christopher Columbus and the Afrikan Holocaust, Slavery and the Rise of European Capitalism , A & B Publishers Group, Brooklyn, New York 1993, 1994, 1998,

(11) Obenga, T., African Philiosophy, The Pharaonic Period: 2780-330 BC, Per Ankh, s.a.r.l., the African publishing cooperative, http://www.perankhbooks.info, 2004;

(12) Diop, A. D., Civilization ou Barbarie, Presence Africaine, Paris, 1981;

(13) Griaule, M. & Dieterlen, G., The Pale Fox, Afrikan World Books, Baltimore, Maryland, 1965, 1986;

(14) Jeffries, R. R., Genesis Angels, Mmoetia, and Human Twa People Short In Statue: Healing In The Art Of Africa And The Americas, unpublished/soon to be published, New York, New Jersey, 2010;

(15) Van Sertima, I., Ed., African Presence in Early Europe,Transaction Publishers, New Brunswick, 1985, 2006; (16) Begg, Ean, The Cult Of The Black Virgin, New York, Penguin Books, 1985, 1996);

(17) Van Sertima, I., Ed., African Presence in Early America, Transaction Publishers, New Brunswick, 1992, 2004; Denton, G.H., et. al.,

(18) The Last Glacial Termination, Science, V. 328, 25 June 2010, 1652-1656; (19) Clarke, J.H.C., On My Journey Now, The Narrative And Works of Dr, John Henrik Clarke, The Knowledge Revolutionary, Kwaku Person-Lynn Ed., The

Journal of Pan African Studies, A Journal of Afrocentric Theory, Methodology, and Analysis, V.1, No.2, Winter-Fall, 2000, V,11, No. 1, Spring-Summer, 2001; (20) Carruthers, J.H. and Harris, L.C.,Eds., African

World History Project, The Preliminary Challenge, Los Angeles, Association for the Study of Classical African

Civilizations, 2002;

(21)Brophy, T.G., The Origin Map:, Discovery Of A Prehistoric, Megalithic, Astrophysical Map And Sculpture Of The Universe, New York, Writers Club Press, 2002;

(22) Bauval, R., The Egypt Code, New York, The Disinformation Company Ltd., 2008;

(23) Heine, J. & Tellinger, M., Adam’s Calendar, Discovering The Oldest Man-Made Structure On Earth. 75,000 Years ago, Zulu Planet Publishers P.O. Box 91344 Auckland Park, Johannesburg 2006, South Africa, 2008; and

(24) Taylor, T., The Fable Of Cupid And Psyche, The Metamorphosis, Preface by Manly P. Hall, The Philosophical Research Society, Inc,, 3910 Los Feliz Boulevard, Los Angeles, CA 90027.

.

Profundamente, “Pele vermelha” [“Red skin”] um nome usado para Seth (Pele vermelha, Pele queimada nos Climas Geográficos Africanos) o irmão “Crioulo” de Wosir (o Preto Perfeito). Seth foi também aquele que por duas vezes assassinou seu irmão Wosir e roubou o trono do Rei, e foi o mesmo [Seth] contra quem o filho do Rei original, Heru, lutou para recuperar sua herança, sofreu um ferimento no olho esquerdo e recebeu um restituído “Olho do Som [Sound Eye], Completo,” o Olho do Olho Interior [the Eye of Inner Eye]. Assim, com as remotas Idades do gelo (degelo de geleiras e inundações) e movimentos de placas tectônicas (incêndios e erupções vulcânicas), alterações climáticas com secas, é provável que tenham passado mais de 20 ciclos de cósmica Infinitude Teheh [cosmic Teheh Infinity] entenda, Infinitude Djet [Djet Infinity], entenda,  alterações de um curto prazo de frações de épocas inter-glaciais de limitado “desenvolvimento retido – infantil, grau 1”, com galopante intoxicação, dependência de drogas usadas para auto medicar dores emocionais depressivas psicóticas ligadas a uma abortada visão interna de Renovação da Negritude Luminosa [Luminous Blackness] com a Ascenção [elevação] das funções dos Órgão Sensoriais para viver como humanos adultos espiritualmente conscientes – de grau 2 e grau 3 – com Expressão da Visão interna, e um retorno aos reinos Cósmicos com uma ativa Glândula Pineal / OO = m33 = VISÃO INTERIOR, Carne de Ra, I33Cérebro Preto / Pássaro Ben Ben / Renovação do Fluido Cerebrospinal / Tranformação em um Pássaro Ben ligado para cima [Transformation into an upward bound Ben Ben bird].

Assim, este jogo mortal de Genocídio,  o drama do “ódio racial baseado na cor da pele, da supremacia branca,” de um mental inferior, Grau 1, desenvolvimento limitado de uma visão humana carente de Visão Interior e verdadeiramente “atingido pela cor” [“color struck”], com diferenças de cor da pele humana geradas pela migração para diferentes regiões da terra com diferentes ciclos e padrões de iluminação ambiente. Este é um “Pior Caso de Psicose”, O “Estado de Negação de uma Consciência da Negritude, Baseado No Medo”, um sentimento não-desenvolvido [undeveloped] de algo mais profundo sob a pele, a Negritude Interior da Preta Neuromelanina do Cérebro [Black Brain Neuromelanin] que é comum a todos os seres humanos, Pretos, Amarelos, Brancos, Morenos, Vermelhos, Azuis, e Multicores [Technicolor].

( [1] Ben-Jochannan,Black Man of the Nile and His Family;
[2] We the Black Jews,; and  [3] African Origins of the Major Western Religions)

Igualmente importante no encontro em 550 A.E.C. [a.C.] entre o Grego Sólon e o Sumo Sacerdote Kemético foi a afirmação do Sacerdote de que os ancestrais de Sólon haviam experimentado catastróficos incêndios e inundações que destruíram suas instituições de ensino (faculdades humanas, bibliotecas, registros escritos).
É supercrítico considerar a realidade de que nos últimos 2 milhões de anos, desde a migração do estoque raiz comum de toda a Humanidade – os Anu Preto Africanos [Black African Anu] – Homo Sapiens Sapiens, como Homo Erectus para fora da África para todos os continentes do planeta Terra, a Terra passou por pelo menos 20 eras do gelo a cada 80 à 120.000 anos, com a última idade do gelo tendo terminado há cerca de 18.000 anos atrás. O relato do sacerdote sobre fogos e inundações periódicos são os sintomas diretos de tais deslocamentos de placas tectônicas, atividade vulcânica e sísmica, secas, o retorno de idades do gelo, inundaçãos por rápido derretimento de geleiras, que levaram e continuam a levar massivas populações humanas para ecossistemas locais e migrações sempre em busca de água, alimento, e climas seguros.

Por exemplo, foi durante os Reinos Antigo e Médio que Kemet e o Norte da África sofreram uma seca de 2.500 anos que testemunhou 2 períodos intermediários, grande expansão do deserto do Saara, migrações massivas das populações Pretas Africanas a partir do Vale do Nilo para outras partes da África, outros continentes, para e da Eurásia particularmente a bacia do Mediterrâneo.

Claramente, os Antigos Keméticos Textos da Pirâmide [Pyramid Texts], Textos dos Sarcófagos do Reino Médio [Middle Kingdom Coffin Texts], e Livro da Revelação Pelo Dia e Noite (Livro dos Mortos) [Book Of the Coming Forth by Day and Night (Book of The Dead)] do Reino Novo [New Kingdom], contêm fórmulas detalhadas da Gerência [Direção] Preta Africana de Si Mesmos e de Outros durante épocas de conflitos competitivos com o retorno para casa, após a era, de Seth (desordem, red neck, pessoas de pele clara queimadas de sol). Por exemplo Heru, o despossado Homem Africano desabrigado; A Mulher Africana foi dita que quando sofriam de um olho esquerdo danificado, visão da realidade material, que através da oração como intensa concentração focada, a Realidade de seu Inconsciente Coletivo Arquetípico Interior do Gênio de Jehuty, o Deus da Magia, Ciência e Escrita, Poderia ser Expressada como um Olho Completo [Complete Eye], uma Ativada Glândua Pineal, Visão interna que iria mostrar e auxiliar Heru em sua luta contra o seu tio Seth para permitir a Heru recuperar seu Legado Roubado e continuar como um  Correto e Justo Guardião dos Estados de seu Pai Celeste. Heru foi dito para roubar [recuperar] o Olho Menor de Heru, (Olho Esquerdo, LUA) dos filhos de Seth.

Assim, Consciência Preta [Black Consciousness] é tudo sobre a experiência espiritual do Anu Preto Africano da Visão Interna do Completo Olho do Som de Heru [Complete Sound Eye of Heru] que permitia uma Revelação/ (um Surgir) [a Coming Forth], Expressão da Consciência, Expressão dos Ascendidos [Elevados] Órgãos Sensoriais pela Dia [Daylight] / Luz Solar, Olho Direito, e Noite [Nighttime] / Luar, Olho Esquerdo.

Na superfície do Legado Roubado dos últimoss 2.332 anos das bibliotecas  das instituições Educacionais Keméticas, museus de registos escritos das realizações sobre a experiência sensorial feitas pelos estudantes Africanos em todo o mundo, [os Estudantes] dos Graus 1  e, especialmente, dos Multi-Gênios com Visão Interior dos Graus 2 e 3, é, em um nível mais profundo, uma história de 2 milhões de anos de repetidos ciclos de Sol-Nascentes de elevadas realizações [sun rises of high attainment]. Isto tem sido um brilho ofuscante no olho Lateral, pela ascenção inspiradora do Olho Interior incrivelmente velho-cinza com o tempo descido para o Reino Todo-Preto da Melanina Amenta, que através de uma Negritude Luminosa agora está grávida deste sono dos últimos 2.332 anos para dar à luz a uma renovação de um nascer do sol ainda mais brilhante da Visão Interior Preto Africana para, mais uma vez, espalhar em todos os vastos céus de incontáveis galáxias de estrelas, planetas, sóis, luas e outras incontáveis dimensões de tempo e espaço para servir como guardiões da ordem harmônica sobre os vastos estados do Maior Deus do Cosmos [Greatest God of the Cosmos].

Tragicamente, um renomado Egiptólogo Europeu, Eeik Hornung, continua a ficar muito aquém de uma apreciação dos Graus avançados 2 e 3 da consciência Preta Africana e com nenhuma visão [insight] sobre os conceitos biológicos das redescobertas de Neuromelanina/ Melanina / Ponto Preto / Locus Coeruleus / Carne de Ra / Olho Interior / Olho Interior/Glândula Pineal da Antiguidade Clássica – “Antes de Bernal, o expoente mais conhecido deste ponto de vista Afrocêntrico foi Cheikh Anta Diop do Senegal; a partir de 1946, ele estudou (incluindo Egiptologia) na Sorbonne, onde por duas vezes ele não conseguiu obter um doutorado, pois a sua tese de que o antigo Egito foi a primeira elevada-cultura Preta Africana foi rejeitada. em 1960, ele conseguiu em sua terceira tentativa obter um diploma, e depois disso em sua terra natal.” afirmou Erick Hornung (Hornung, E., The Secret of Egypt, Its Impact On The West, The Afrocentric Movement, Cornell University Press, 2001, p. 185-188.) Horning não fez nenhuma referência às apresentações de nível mundial de Diop e nem às de Obenga sobre o tema das origens Africanas dos Egípcios, particularmente a origem Anu (Amous) Central Africana dos Grandes Lagos dos Egípcios [apresentada] em um Simpósio das Nações Unidas pela UNESCO, realizado no Cairo, de 3 de janeiro à 3 de feveveriro de 1974 (The Peopling of Ancient Egypt and the Deciphering of Meroitic Script [O Povoamento do Egito Antigo e a Decifração da Escrita Meroítica], Cheikh Anta Diop, Jean Leclant, Theophile Obenga, Jean Vercoutter, Karnak House, Londres Inglaterra, 1978, 1977).

Ainda pior, será a trágica negligência típica do Grau 1 de Hornung, a negligência/abandono da sua própria responsabilidade para com toda a Humanidade de ser amável [soulful] e consciente da reivindicação de sua liderança de nível mundial para a especialidade de Egiptologia. Será isto a verdade? Será esta uma reivindicação tendenciosa culturalmente limitada? Hornung disse: “Mary Lefkowitz retrata (Not Out of Africa, p.22) uma cena em uma faculdade em Massachusetts em fevereiro de 1993, onde um Dr. Yosef ben-Jochannan, que foi introduzido como um “notável Egiptólogo” (embora ele seja totalmente desconhecido para o Campo da Egiptologia) palestrou sobre doutrina Afrocêntrica moderna.”  Por favor, permita que o leitor seja o juiz destas questões, lendo os quatro livros do Dr. ben-Jochannan citados na bibliografia deste livro.

Segue-se um livro recente apoiado por Hornung, um Egiptólogo, um Psiquiatra/ um Psicanalista de Profundidade, da Suíça afirma:
(em, Schweizer, A., The Sungod’s Journey Through The Netherworld, Reading the Ancient Egyptian Amduat [A Viagem do Deus-sol Através do Submundo, Lendo o Amduat do Egito Antigo], prefácio de Erik Hornung, Cornell University Press, 1994, 2010, p. 116-117),

“Durante séculos, especialmente desde Agostinho, houve um excesso de ênfase no lado da luz [light side] do Deus Cristão do amor, e isto exige uma reação compensatória do lado escuro [dark side] de Deus… há, de fato, traços do lado escuro de Deus na Bíblia Hebraica e no Novo Testamento, que abraçam a ira de Deus e seu lado terrível, mas durante a história da Igreja, houve uma tendência progressiva para sobrecarregar a humanidade somente com com todos os aspectos obscuros e maus [dark and evil] da criação. É da maior importância se reconhecer o lado escuro de Deus.”

Infelizmente, apesar das credenciais de Schweizer como um especialista em Egiptologia ele está obviamente carecendo de uma visão Africana de Visão Interior [Inner Vision], Negritude Luminosa [Luminous Blackness], os 96% do Cosmos (o Grande Deus [Greatest God]) recentemente redescobertos por existir como Matéria Escura [Dark Matter] e Energia Escura [Dark Energy] que existe não só do lado de fora dos seres humanos, mas no interior de seres humanos em muitas dimensões; mas, certamente, num material/plano biológico denso como o átomo de carbono, o cubo perfeito, nanodiamantes cósmicos transformados em uma infinidade de formas de vida, incluindo os seres humanos, com uma vasta variedade de melanina da pele, mas todos com Negritude interior [inner Blackness] como Neuromelanina viva em tecidos cerebrais vivos como Negritude Luminosa [Luminous Blackness] (a consciência branca [white consciousness] sendo como o desenvolvimento detido/limitado, preso no Grau 1 / movendo-se lentamente / congelado / agora em um modo de descongelamento lento, lento gotejamento [gota por gota] da fusão de uma coisa congelada (calcificação pineal) re-despertando para a vida, carecendo da Visão Interna de Grau 2 e Grau 3, “sempre crianças” [como disse o Sumo Sacerdote Egípcio à Sólon], supremacia branca, ódio racial baseado na cor da pele, intoxicado, confuso, atrapalhado).

Veja Ascenção da Luz, Acelerada, a Luz mais rápido do que a [velocidade da] luz que retorna à Negritude [Blackness] e renasce de novo através da Porta de Entrada da Negritude, Sempre em Ciclo Acima e Ao Redor do Divino Ponto Preto Central, O Grande Deus.

[See Light Rise Up, Speeds Up, Light at faster than Light than Speeds Returns To Blackness and Is Reborn Again through the Blackness Threshold, Forever Cycling Upwards and Around The Divine Black Dot Core, The Greatest God.]

Claramente, a Supremacia Branca simplesmente não começou em 1795 EC. [d.C.] como Bernal sugere

(em Bernal, M., Black Athena, The Afroasiatic Roots of Classical Civilization [Atenas Negra, As Raízes Afro-Asiáticas da Civilização Clássica], V1; A Fabricação da Grécia Antiga 1785-1985, Rutgers University Press, New Brunswick, New Jersey, 1987),

“Blumenbach foi o primeiro a divulgar a termo ‘Caucasiano’, que ele usou pela primeira vez na terceira edição da sua grande obra em 1795. Segundo ele, a branca ou Caucasiana foi a primeira e mais bela e talentosa raça, a partir de qual todas as outras tinham se degenerado para se tornar Chinêses, Negros, etc. Blumenbach justificou o curioso nome Caucasiano por motivos ‘científicos’ e ‘raciais’, uma vez que ele considerava os Georgianos como sendo a ‘raça branca’ excelente.No entanto, havia muito mais do que isso. Havia, em primeiro lugar a publicidade dada por crença-religiosa por Vico no Século 18º – que o homem poderia utilmente ser visto como tendo vindo depois do dilúvio e, como todos sabiam, que a Arca de Noé tinha aterrado no Monte Ararat no Sul do Cáucaso.”

Para tal afirmação eu posso afirmar com Grande confiança: “De Modo Algum” [“No Way”], a Supremacia Branca é um generalizado Transtorno Defensivo Psicótico Mental que tem crescido ao longo dos últimos 2 milhões de anos se não mais, especialmente como exibido pelos arquétipos do inconsciente coletivo – SETH TYPHON [SETE TIFÃO], o Deus do Desajuste [Isfit], Caos, Desordem; HERU, o Deus da Visão Interior, o Deus da União dos Opostos; AST/ISIS, a Deusa do Espaço, A Esposa do Homem Preto Perfeito, A Mãe de Heru; E Wosir, O Preto Perfeito, O Marido Preto Perfeito preto Marido do preto perfeito Mulher, O Perfeito Marido Preto da Perfeita Mulher Preta, O Pai Perfeito do Filho Preto Perfeito, O Deus de Renovação / Ressurreição, Deus do Submundo, AMENTA, o Inconsciente.

Parece-me que a Supremacia Branca tem crescido ao longo das últimas 20 ou mais Eras do Gelo ao longo dos últimos 2 milhões de anos como uma peça-de-teatro/dança nas lutas progressivas do Homem Preto / Mulher Preta e sua família com alguns dos seus realmente confusos, Misturados [Mixed Up], muitas vezes com Intoxicados Espiritualmente mas Ainda assim [seus filhos] Nascidas Crianças Crioulas com um dolorosa lenta resolução de desenvolvimento interrompido, há muito tempo preso em um nível infantil de desenvolvimento de um Grau 1, em uma forma agressiva bestial competindo pela sobrevivência na superfície do planeta Terra, em grande parte resultante de alterações das expressões de obtenção da Visão Interior, com alterações nos ciclos de luz Solar e Lunar [Noturna], com variações individuais de Melanina da pele e interna Negritude Luminosa interior da I33 Neuromelanina.

Faz muito mais sentido logicamente e emocionalmente considerar a Supremacia Branca desta forma, a partir do meu ponto de vista como um Africano Preto. Um Africano Americano (Nova Orleans/ filho primogênito em uma linha de filhos primogênitos paternos de Reis Africanos, como Ferreiros [Blacksmiths] que viajaram para (Mechanicsville) Houma, Louisiana, a partir de Porto Rico, Cuba, Jamaica, Haiti, Daomé, África Ocidental, migrações distantes em toda a face do Norte da África, todos seguindo a subida até o Vale do Nilo através da cidade Kemética do Sul, ON [Heliópolis] da antiga Etiópia/ Kush/Núbia, especialmente a partir da grande cidade trabalhadora de ferro da Núbia, Meroe, após uma migração do local de nascimento Africano Central na Terra Santa, Terra Khui [Khoi], da região dos Grandes Lagos [Lago Rhu e Lago Karhu] no sopé das Montanhas da Lua. Eu agora como eu próprio em um corpo masculino Africano Preto em atos de oração diária, reverência, louvor divino, e muito amor para todos os meus Ancestrais Africanos Pretos, incluindo a minha recente herança Crioula da Louisiana (predominantemente Africana com pequenas gotas de sangue humano a partir de outros Crioulos nomeados-erroneamente como Índios [Nativo Americano], Gregos, francêses, Espanhóis/Mexicanos, Irlandêses e outros que passaram por Clarence, Louisiana, e Rio Cain, Nakitouche Louisiana, uma coletiva família Africana Preta, todos abençoados na busca, a busca eterna da Visão Interior.

Eu tenho visto esta pesquisa neste tempo de vida humana [nesta vida] como uma experiência com a religião como um Garoto Encrenqueiro do “Bairro” na infância com os Cristãos Batistas do Sul, Testemunha de Jeová, e Muçulmano da Nação do Islã, e na Espiritualidade como um místico vidente com o Centro Espiritual Aquariano Preto Gnóstico com uma educação permanente da ASCAC (Associação para o Estudo das Civilizações Africanas Clássicas) e como como um Médico licenciado da Califórnia com especialização em Psiquiatria Geral Adulta, Estresse Pós-Traumático, Transtorno Bipolar, Depressão Grave, Transtornos de Ansiedade, Psicose, Distúrbios do Sono, Síndromes de Resposta Síndromes de Reação Aguda ao Estresse, Psicofarmacologia, e o Inconsciente Coletivo. Há uma chamada permanente da minha alma/espírito para mais uma vez e, neste tempo de vida para continuar a realizar/completar a expansão da minha Visão Interior no estudo de Melanina, Neuromelanina, e a Glândula Pineal.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

[em construção]

 

 

 

 

Anúncios

Sobre https://estahorareall.wordpress.com/

https://estahorareall.wordpress.com/
Esse post foi publicado em Dr. Richard King M.D., Origem Africana da Psiquiatria Biológica - Dr. Richard King M.D., Sem categoria e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s